CSI – CONSUMO SOB INVESTIGAÇÃO

Poucas organizações reinventam diariamente a sua credibilidade como faz a nossa. Todos os dias analisamos os produtos tal como estão disponíveis na prateleira do hipermercado, são entregues em casa ou vendidos pela internet – isto é, desenhamos e implementamos estudos e testes que reproduzem as condições normais do consumo de um produto.

614

À criatividade das fraudes, vamos respondendo com critérios mais apertados, com buscas mais alargadas. Não hesitamos, por exemplo, em recorrer a legislação aplicada por outros países, se apontarem novos caminhos, que possam ser o pilar futuro de novos direitos ou do aprofundamento dos existentes em Portugal.

E publicamos as nossas descobertas. Elogiamos quando é possível, denunciamos sempre que é necessário. E não nos limitamos a sussurrar responsabilidades, sejam públicas ou privadas. Fazemos como no poema Pastelaria, de Cesariny:

“Que afinal o que importa é não ter medo de chamar o gerente e dizer muito alto ao pé de muita gente:

Gerente! Este leite está azedo!”

Este assombro, esta frontalidade, e esta enorme responsabilidade que carregamos desde os anos 70 do século XX, têm um parceiro imprescindível – os laboratórios certificados que trabalham connosco e que representam a vanguarda técnica e tecnológica nas suas áreas de intervenção.

Sem o profissionalismo que reconhecemos e em que confiamos, o esforço permanente para estar em linha com o estado da arte, e a disponibilidade para corrermos riscos  juntos, o nosso caminho até aqui teria sido muito diferente.

Uma parte da nossa credibilidade assenta totalmente nesta interatividade com os laboratórios nacionais e estrangeiros que connosco trabalham. A sua credibilidade e o seu rigor são a nossa credibilidade e o nosso rigor.

A defesa dos direitos dos consumidores seria, ainda e só, um palco de proclamações. Faríamos, certamente, belos powerpoints, mas sem profundidade, sem alcance… em duas palavras: sem resultados.

E se intervimos publicamente da forma convicta fazemo-lo sabendo que contamos com o profissionalismo dos laboratórios que são nossos parceiros neste percurso de quatro décadas.

É a diferença entre “achar” e “provar”. É o salto entre a intransmissibilidade da experiência pessoal e a identificação de problemas que nos afetam coletivamente. É o abismo entre o boato e a apresentação de resultados robustos, obtidos cientificamente.

A nossa ação seria apenas – diferente – se não pudéssemos contar com as dezenas de profissionais qualificados que nos apoiam? A resposta é inequivocamente negativa. Estaríamos numa fase muito mais rudimentar e menos extensa.

Em qualquer sociedade, a proteção dos consumidores é indissociável e diretamente proporcional ao avanço, à qualidade e à seriedade científica dos laboratórios que a compõem.

E se caminhámos juntos até aqui, é também lado a lado que seguiremos em frente, porque os avanços dos nossos parceiros são a melhor garantia do nosso sucesso. E a solidez do trabalho de cada laboratório que participa nos nossos testes é também o nosso compromisso de credibilidade para com todos os consumidores. Porque é para eles que trabalhamos. Todos os dias.