De que forma está organizado o consórcio Porto4Ageing e quais os seus principais eixos de intervenção?

O envelhecimento ativo e saudável é reconhecido pela União Europeia como sendo um dos maiores desafios societais atuais. O consórcio Porto4Ageing foi criado tendo por base a quádrupla hélice da inovação, isto é: inclui 1) decisores e prestadores de cuidados, 2) academia e centros de investigação e inovação, 3) empresas, e 4) representantes da sociedade civil e dos utilizadores. Neste contexto, o consórcio Porto4Ageing está em posição privilegiada para contribuir para o aumento da qualidade de vida da população idosa, a sustentabilidade dos sistemas de saúde e de cuidados, e crescimento e expansão da indústria na região.

O Porto4Ageing está alinhado com os principais eixos de intervenção estabelecidos pela Parceria Europeia de Inovação para o Envelhecimento Ativo e Saudável (EIP-AHA), incluindo adesão aos planos de saúde, prevenção de quedas, prevenção da fragilidade e declínio funcional, cuidados integrados, soluções para uma vida independente e ambientes amigos do idoso, entre outras.

Portugal está a envelhecer. Perante este contexto demográfico que soluções são possíveis criar para contrariar este problema?

O facto de a população estar a envelhecer, significa apenas que as pessoas estão a viver mais tempo – o que é bom! A grande questão que se coloca é como melhorar a qualidade de vida associada a este aumento da longevidade. Um importante facto é que nos últimos anos a esperança de vida aumentou em Portugal e na Europa, no entanto, este ganho em termos de longevidade não foi acompanhado por uma melhoria na qualidade de vida. O consórcio Porto4Ageing permite que a região se una face a este objetivo comum, de promover a qualidade de vida e um envelhecimento ativo e saudável.

Quais os principais desafios e problemas com que lidam diariamente?

O envelhecimento, naturalmente relacionado com a longevidade, tem sido acompanhado, no seu conjunto, por défices no autocuidado e por incapacidades para o desenvolvimento de atividades a diversos níveis, agravados pelas doenças mais prevalentes nesta fase da vida. As necessidades em cuidados de saúde, e as necessidades económicas e sociais são alguns destes problemas, para os quais as respostas são ainda insuficientes e inadequadas. A promoção da autonomia e da capacitação do indivíduo ao longo do processo de envelhecimento são fundamentais, quer para o indivíduo, quer para os decisores das políticas locais.

O Porto4Ageing dispõem de uma oferta formativa que vai desde a promoção da saúde e bem-estar dos idosos até a formação especializada de profissionais nas áreas de Gerontologia e Geriatria. Que impacto esta formação poderá ter na qualidade de vida dos idosos?

A adaptação da sociedade à nova realidade demográfica exige alterações tanto ao nível da formação dos profissionais, como dos próprios indivíduos. O Porto4Ageing integra instituições académicas de prestígio, assim como profissionais experientes e qualificados com grande experiência em formação para profissionais e dirigida à população sénior. Toda esta formação para profissionais, cuidadores formais e informais, e população sénior tem como objetivo influenciar positivamente uma abordagem mais integrada do sénior, o que tem repercussões positivas na sua saúde, que é entendida pela Organização Mundial da Saúde como “o completo bem-estar físico, mental e social, e não simplesmente a ausência de doença ou enfermidade” e qualidade de vida da população sénior da região.

Além da formação existem também outras atividades como a “Baixa em forma”, a “chave dos afetos” ou “memórias com sabor”. A adesão a estas iniciativas tem sido positiva?

Dos três exemplos destas boas práticas, duas são promovidas pela Câmara Municipal do Porto (“Baixa em Forma” e “Memórias com Sabor”) e a outra pela Misericórdia do Porto (“Chave dos Afetos”), constituindo-se como iniciativas com grande adesão e impacto na população sénior da região. Este impacto está sobretudo relacionado com a prevenção do risco de isolamento e sentimentos de insegurança e solidão nos seniores, que afetam de forma muito significativa a qualidade de vida e previne a institucionalização dos seniores.

A área Metropolitana do Porto é candidata a Sítio de Referência Europeu na Área do Envelhecimento Ativo e Saudável, uma classificação atribuída da Comissão Europeia. O Porto4Ageing entregou a candidatura no passado dia 15 de abril. Com o título adquirido que mudanças irão ocorrer?

A classificação da Área Metropolitana do Porto como uma Região de Referência Europeia na Área do Envelhecimento será o reconhecimento do esforço que as autoridades regionais têm feito nos últimos anos para melhorar a qualidade de vida da população idosa, nomeadamente através da implementação de respostas sociais inovadoras. Em termos de futuro, este consórcio ambiciona que os poderes políticos regionais, prestadores de cuidados, academia e centros de investigação, empresas, particularmente aquelas que trabalham diretamente com os seniores, e representantes dos utilizadores e da sociedade civil, se mobilizem para um objetivo comum que é a promoção de um envelhecimento ativo, saudável e feliz. Desta colaboração, que inclui neste momento mais de 80 entidades públicas e privadas (mais informação em www.porto4ageing.pt), podem resultar políticas e respostas sociais inovadoras, que para além de promoverem a qualidade de vida dos seniores, aumentem a competitividade da região.