A reposição dos cortes aplicados à Função Pública e a redução da sobretaxa de IRS permitem que os funcionários públicos recebam, em média, mais 55 euros brutos por mês em 2016. A conclusão é de um estudo elaborado por Eugénio Rosa com base em dados da Direção-Geral da Administração e Emprego Público (DGAEP).

Segundo o economista, a reposição dos cortes salariais permite chegar ao final do mês com mais 41 euros no salário. Trata-se de um valor médio, uma vez que quase 260 mil funcionários não usufruem de qualquer reposição, já que o seu rendimento mensal é inferior a 1.500 euros, pelo que não sofreram cortes.

A medida em causa, aplicada pelo Executivo de António Costa, determina um aumento da despesa bruta do Estado em 447 milhões de euros ao longo do ano.

Já no que toca à redução da sobretaxa de IRS dos funcionários públicos, 14 euros brutos é quanto os trabalhadores do Estado recebem a mais nos meses do ano 2016. Já os cofres do Estado perdem 130 milhões de euros anuais.

No privado, por sua vez, a redução da sobretaxa determina uma perda de receita fiscal bruta avaliada em 430 milhões de euros. Em média, cada trabalhador passa a ganhar mais cinco euros de salário líquido.