Há três anos, no dia 5 de agosto, a polícia de São Francisco, na Califórnia, recebia uma chamada de emergência de uma mulher que temia pela sua vida, depois de o namorado lhe ter dito quatro vezes: “Vou matar-te”. É graças à qualidade do vídeo das câmaras de vigilância da penthouse nas Torres Infinity que a polícia conseguiu contabilizar que Gurbaksh Chahal, na altura com 31 anos, a pontapeou 117 vezes, durante 30 minutos, tendo-a também sufocado com uma almofada durante 20 segundos.

Ela ficou incapaz de respirar, testemunhou o polícia Anh Nguyen durante a audiência preliminar contra Chahal, como relatado no jornal San Francisco Chronicle. O multimilionário empreendedor de tecnologia, de origem indiana, que já foi um dos solteirões mais cobiçados da América, estava acusado de 47 crimes, incluindo posse de arma letal (a almofada). Mas o homem que continua a dar palestras motivacionais (sobre “15 coisas que os líderes nunca fazem” ou “se está à procura de um modelo, não olhe para fora mas sim para dentro”) viu o juiz do julgamento suprimir o vídeo como prova, uma vez que a polícia o obteve sem um mandado judicial, o que enfraqueceu substancialmente a acusação. A namorada também retirou o seu testemunho e recusou-se a cooperar no processo, apesar de o réu ter admitido a culpa. A 16 de abril, a sentença ditou uma pena de 25 horas de trabalho comunitário, três anos de liberdade condicional e um curso sobre violência doméstica durante 52 semanas.

A grande reviravolta é que o mesmo vídeo de meia hora de agressões físicas pode agora vir a comprovar que Gurbaksh Chahal é reincidente e que violou a liberdade condicional. É novamente acusado de violência doméstica pela nova namorada, uma mulher de Las Vegas, cinco meses depois da agressão à ex-namorada, e um outro juiz autorizou o visionamento do vídeo que se encontra fechado a sete chaves para proteger a identidade da vítima. Também esta namorada deixou de colaborar com as autoridades.

Este é o mesmo homem que aos 18 anos se tornou numa lenda ao vender a sua primeira startup digital, ClickAgent, por 40 milhões de dólares. E, quatro anos mais tarde, tinha vendido a segunda empresa, BlueLithium, por 300 milhões de dólares. Aos 27 anos, escreveu uma autobiografia intitulada O Sonho: Como aprendi os riscos e benefícios do empreendedorismo e fiz milhões. No próximo dia 12 de agosto Gurbaksh Chahal saberá se vai ou não parar à prisão.