Equipa da Europol esperada na Grécia até final de agosto

Uma equipa de especialistas da Europol é esperada na Grécia até ao final de agosto para tentar detetar eventuais candidatos à 'jihad' entre os refugiados e migrantes bloqueados no país.

728

Uma equipa de especialistas da Europol é esperada na Grécia até ao final de agosto para tentar detetar eventuais candidatos à ‘jihad’ entre os refugiados e migrantes bloqueados no país.

A missão insere-se no “processo permanente de cooperação entre as autoridades gregas, os seus homólogos europeus e a Europol”, criado em 2015 após o afluxo ao país de centenas de milhares de candidatos a asilo na Europa, nomeadamente sírios, e os atentados de Paris, indicou este sábado uma fonte policial grega.

O chefe do serviço de informações alemão deu conta no início de julho de “indícios tangíveis” de que 17 pessoas agindo por ordem do grupo extremista Estado Islâmico se tinham feito passar por refugiados para entrar na Europa. Duas delas fizeram-se explodir perto do estádio de França a 13 de novembro.

A equipa da Europol deve incluir cerca de 50 polícias europeus e a sua responsável, uma holandesa, é esperada em Atenas a 20 de agosto, segundo o diário grego Kathimerini, que anunciou a missão. Serão realizados controlos em dezenas de campos de acolhimento instalados na Grécia continental, indica o jornal.

Desde o encerramento no inverno da designada ‘rota dos Balcãs’ para o norte da Europa, mais de 47.000 pessoas, sobretudo sírios, afegãos e iraquianos, ficaram ‘presas’ na Grécia em condições difíceis.

Até agora, os controlos anti-‘jihadistas’ da Europol concentravam-se nos centros de registo instalados nas ilhas de chegada dos refugiados e migrantes, Lesbos, Chios, Samos, Leros e Kos.

O número de chegadas diminuiu consideravelmente desde a entrada em vigor do acordo entre a União Europeia e a Turquia, que prevê que todos os que desembarquem depois de 20 de março sejam devolvidos.