“SERPA É UMA EXPERIÊNCIA FORTE EM TODOS OS SENTIDOS”

No Alentejo e na sua imensidão de lugares extraordinários existe uma cidade chamada Serpa.Tomé Alexandre Martins Pires, Presidente da Câmara Municipal, em entrevista à Revista Pontos de Vista, fala sobre os desafios e conquistas da terra conhecida pelo queijo de sabor inigualável.

581

Enquanto Presidente da Câmara Municipal de Serpa que missão o define perante a sua população?

A Câmara Municipal, enquanto órgão executivo do município, tem como missão definir e executar políticas que promovam o desenvolvimento do Concelho. Por conseguinte, temos como objetivo melhorar a qualidade de vida da população, através do desempenho das competências do Poder Local e exigindo do Poder Central políticas que defendam os interesses das populações e que promovam o desenvolvimento e coesão territorial, nomeadamente no que respeita à qualidade dos serviços públicos, às vias de comunicação e ao investimento. Enquanto presidente da Câmara estou fortemente empenhado nesta missão, que é um missão coletiva como já referi, cumprida todos os dias com o maior gosto e determinação.

Que balanço autárquico é possível fazer desde a tomada de posse até agora?

O balanço é positivo, se falarmos do trabalho que fizemos e que estamos a fazer, é positivo também a nível funcionamento interno, mas já é negativo se falarmos no investimento, sobretudo com o atraso do Portugal 2020 e com a redução das transferências para os municípios. Os nossos investimentos estão muito dependentes das verbas disponibilizadas pelo Portugal 2020, as indefinições e demoras têm sido mesmo um dos maiores condicionalismos, correspondendo a um atraso de muitos meses e dificultando o planeamento das intervenções.

Que iniciativas estão em curso e que contribuem de forma direta para o aumento da qualidade de vida da população?

O nosso trabalho tem sido sempre baseado numa lógica de continuidade e melhoramento, apostando fortemente nas dinâmicas culturais, sociais e educativas, no apoio ao movimento associativo e no desenvolvimento económico e na promoção turística do concelho. Refiro alguns dos projetos em que estamos a trabalhar, que foram agora aprovados pelo Portugal 2020 e que vão criar dinâmicas muito importantes no desenvolvimento do concelho, como é o caso da requalificação das infraestruturas educativas, com intervenções de melhoria nas escolas de 1º ciclo e novos equipamentos informáticos em todas as salas de aula, a beneficiação do Jardim Municipal de Serpa, cujo concurso publico está a decorrer, ou o conjunto de projetos no âmbito do desenvolvimento económico, muito direcionados para o apoio e qualificação das empresas locais, apostando também na internacionalização, designadamente do Queijo Serpa, uma das nossas maiores imagens de marca.

Serpa, situada no Baixo Alentejo, é uma região do interior de Portugal, considera este facto como um entrave à evolução económico-social?

O entrave não é estar no interior, porque este território tem muitas potencialidades. O entrave são as políticas centrais: menos serviços públicos, más vias de comunicação, falta de estratégia em algumas áreas nomeadamente na agricultura…Estar no interior só é uma dificuldade na medida em que não existe uma política central de desenvolvimento regional, que combata as assimetrias, que promova a coesão territorial e o desenvolvimento destes territórios. E é isto que acontece, apesar de todo o trabalho que temos vindo a fazer, a nível local, em defesa das populações, potenciando os recursos, promovendo a qualidade de vida das populações, fomentando o desenvolvimento económico e social.

Considera questões como inovação e modernização cruciais para a melhoria do município? Que medidas podem ser apontadas como exemplos?

Sim, a modernização administrativa, a inovação, a criatividade são fundamentais. O município de Serpa há muito que apostou na modernização administrativa como uma forma de garantir um trabalho de aproximação aos munícipes, com melhores e mais rápidas respostas e neste momento apresentámos uma candidatura no âmbito do Alentejo 2020, que tem como objetivo aprofundar todo o trabalho já feito. De igual forma estamos muito atentos às questões da inovação, em todas as áreas, desde a cultura e indústrias criativas, às questões relacionadas com o desenvolvimento económico e às atividades ligadas à agricultura, nomeadamente na transformação agroalimentar e, também, na agricultura em modo de produção biológica.

Para quem ainda não conhece, visitar Serpa é…?

Visitar o concelho de Serpa é ter uma oportunidade única de conhecer um património imenso…Temos para oferecer a hospitalidade das nossas gentes, a nossa excelente gastronomia, com destaque para o queijo, o vinho, o pão, os enchidos, os muitos pratos típicos, o Cante Alentejano, nosso principal património imaterial e também Património da Humanidade, um património construído de grande valor, um património ambiental importantíssimo, um clima excelente. Temos o Centro Histórico da Cidade de Serpa, os Museus, a Casa do Cante, o Musibéria, as nossas aldeias tradicionais, a rede de percursos temáticos no concelho, pedestres e em BTT, temos ao longo do ano uma agenda de eventos para todos os gostos e idades…Visitar Serpa é, sem dúvida, uma experiencia afetiva, uma experiencia forte em todos os sentidos…