Volkswagen vai cortar 30 mil postos de trabalho até 2020

O fabricante automóvel foi afectado, há cerca de um ano, pelo escândalo da manipulação dos valores das emissões poluentes nos veículos a gasóleo.

887

A Volkswagen anunciou hoje o despedimento de 30 mil trabalhadores, em todo o mundo, 23 mil dos quais na Alemanha, no quadro de um plano de recuperação e de desenvolvimento dos veículos eléctricos.

Herbert Diess, responsável máximo da empresa, disse nesta quinta-feira, em conferência de imprensa, em Wolfsburg, que a supressão de 23 mil postos de trabalho vai atingir as fábricas da Alemanha durante os próximos quatro anos. Os restantes sete mil trabalhadores vão ser despedidos no resto do mundo, mas os locais não foram especificados.

Segundo a Volkswagen, a medida vai conseguir uma poupança de 3,7 mil milhões de euros por ano, até 2020.

Esta medida é tomada um ano depois de rebentar o escândalo das emissões fraudulentas.

Fonte da Autoeuropa em Portugal disse à Lusa que as comissões de trabalhadores da Volkswagen a nível mundial vão reunir-se na Alemanha entre os próximos dias 5 e 8 de Dezembro. A questão dos despedimentos vai “naturalmente” ser analisada durante as reuniões dos trabalhadores que, depois, “tal como previsto”, devem reunir-se com a administração da empresa, disse a mesma fonte.