Arranques desenfreados

A mecânica do seu veículo é semelhante e exigir demasiado do motor assim que dá à ignição é prejudicial. Os primeiros quilómetros devem ser feitos com acelerações tranquilas sem que as rotações subam muito até que o óleo fique à temperatura ideal e todos os componentes internos do bloco sejam corretamente lubrificados. Tanto mais que o estado do piso também o desaconselha.

Não aquece prolongadamente o automóvel 

Os motores modernos – em que a injeção de combustível é bem mais avançada – não necessita que o motor fique minutos (falamos de minutos e não um minuto, por exemplo) a aquecer, como era norma com os sistemas de carburador (quando a mistura ar-combustível era mais pobre na fase inicial). Ou seja, assim que ligar o carro, pode deixar o motor aquecer por 20-30 segundos, mas a melhor forma de o colocar à temperatura ideal é com uma condução relaxada nos primeiros quilómetros.

Mude as escovas

Um dos elementos mais descurados pelos automobilistas está bem à sua frente. As escovas do pára-brisas são essenciais para a correta visibilidade da estrada e do ambiente à sua volta, mas muitas vezes são esquecidas quando chega o inverno. Assim que as escovas começarem a deixar o para-brisas mais baço do que limpo, é altura de proceder à sua mudanças, mesmo que o mais indicado seja fazê-lo imediatamente antes do inverno (no verão, com o tempo quente, irão ressequir).

Tenha atenção aos pneus

Lembre-se que os pneus são o único meio de contacto do veículo com o asfalto. Mesmo que o conjunto de suspensão e os travões sejam fundamentais, não se esqueça que são aqueles elementos de cor preta que determinam o nível de aderência do veículo. Pneus com a pressão incorreta tendem a ser um problema, sabendo-se que a pressão dos mesmos decai com o tempo frio. Pneus sem rasto são outro problema decorrente do seu desgaste, mas que não pode descurar: faça o teste da moeda e saiba se os seus pneus precisam de ser mudados.

Bateria

A bateria é um dos elementos que mais sofre com o inverno, perdendo alguma da sua eficácia com o clima frio. Tanto mais que o número de funcionalidades utilizadas com o frio pode aumentar: aquecimento, limpa para-brisas, luzes de nevoeiro, bancos aquecidos ou sistemas de infoentretenimento mais elaborados aumentam o esforço da bateria. Por vezes, a bateria pode simplesmente ‘morrer’ sem qualquer aviso.

Não utilize água da torneira

Os construtores prescrevem prazos para a mudança de todos os fluidos do seu carro e fazem-no para que o motor esteja nas condições ideais em todos os momentos. Naturalmente, os líquidos do circuito de arrefecimento devem ser específicos e não água da torneira, que contém minerais que podem corroer todo o sistema. A atenção a este aspeto deve ser reforçada em regiões mais frias, por conseguinte, um conselho mais adequado aos condutores do Norte do país.

Conduza com mais precaução

As baixas temperaturas podem formar finas camadas de gelo no asfalto, invisíveis a olho nu e que podem provocar perdas de aderência. Mantenha uma distância segura para o carro da frente e a atenção ao máximo.