“O MUNDO DOS VINHOS SEMPRE TEVE BONS EXEMPLOS DE GESTÃO NO FEMININO”

Gina Francisco, Diretora Comercial e Marketing da Adega Cooperativa de Favaios, em entrevista, dá a conhecer que o facto de ser mulher, no mundo vitivinícola, é algo, simplesmente, natural.

4871

Gina Francisco é diretora comercial e de marketing da Adega de Favaios, uma profissão dominada, até há bem pouco tempo, maioritariamente por homens. Atualmente, ainda pesa o fator “ser mulher” no mundo da vitivinicultura?

Não, penso que esse conceito de avaliar os cargos executivos/direções pelo facto de sermos mulheres, hoje já não se coloca, mesmo num mundo dos vinhos, aliás o mundo dos vinhos sempre teve bons exemplos de gestão no feminino. A questão não está tanto concentrado nos setores, mas sim na sociedade que ainda dificulta, e acredito que sempre irá dificultar, a gestão entre profissão e a família. Este é um peso muito mais acrescido nas mulheres.

O que a moveu para integrar este «mundo» do vinho?

Por um lado o desafio que me foi colocado na altura que integrei o setor e porque o mundo do vinho é uma enorme paixão, um desafio constante uma forma única de trabalhar, um renovar em cada ano, em cada vindima, uma aproximação muito forte com os consumidores, e claro, a possibilidade desde há seis anos de integrar o projeto da Adega de Favaios, com toda a grandiosidade e expressão de mercado da marca Favaios.

Quais são as suas maiores conquistas e como é “movimentar-se” neste universo enquanto mulher?

O crescimento sustentável da Adega de Favaios, a liderança indiscutível do moscatel de Favaios no mercado, e o posicionamento da marca têm sido uma das mais aliciantes conquistas profissionais. Conseguir juntar a parte profissional com um equilíbrio pessoal e familiar é, também, para mim uma conquista. Quanto à parte de “ movimentar-me” enquanto mulher… é tranquilo, natural, sempre tive como princípio que a sabedoria, e o desempenho são trabalhados e conquistados independentemente de sermos mulheres, homens, altos, baixos, loiros ou morenos. A nossa formação, educação, conceitos de vida e capacidade profissional são os fatores que realmente contam. 

O paradigma está a mudar e os lugares de chefia do universo empresarial começam a ser ocupados por mulheres. É fácil fazer esta gestão dos múltiplos papéis que a mulher assume na sociedade, atualmente?

Fácil não é. Desempenhar bem vários papéis exige organização, capacidade de sacrifício, apoio e compreensão das partes envolvidas.

Fora do mundo vitivinícola, quem é Gina Francisco?

Raramente estou fora do mundo vitivinícola, posso é estar em papéis diferentes. Mais posicionada como consumidora, mas sim, quando tenho pausas para estar fora do ambiente de trabalho, viajo, estou com a família e os amigos. Divirto-me e não uso relógio. Quando consigo, coloco o telemóvel em silêncio. 

Para si ser líder e mulher é …? O que vão continuar a esperar de si de futuro?

Desafiante. Vão com certeza continuar a encontrar-me no mundo dos vinhos, a lutar pelos excelentes vinhos portugueses, a encontrar formas desafiantes de os colocar nos mercados e a posicionar marcas numa política de proximidade com o consumidor.