Uma aplicação para escolher e agendar serviços de saúde, que permitam conhecer e escolher o prestador em tempo real e na sua área de localização.

A ideia de Marta passa por conseguir garantir às pessoas o acesso a uma rede de cuidados de saúde ao domicílio, de forma simples e intuitiva no telemóvel.

Envolveu três amigos e explicou a sua ideia e, de uma conversa de café, passou à ação. “Fui tentar encontrar as pessoas que me poderiam ajudar a agilizar o processo que se tornou muito fácil. Num domingo à tarde começamos a desenhar o projeto, pensamos em falar com alguém que soubesse como funcionava o universo das star-ups e depois de encontrar a pessoa certa me ajudar, cheguei até ao Pedro Santos da DarwinLabs”, que é o responsável pelo desenvolvimento tecnológico e digital da  MyNurse. “O Pedro achou uma ótima ideia de negócio e pediu-me duas coisas antes de aceitar o desafio: 20 prestadores e um cliente. Deu-me tempo de uma semana a um mês para o conseguir. No dia seguinte telefonei-lhe a dizer que tinha arranjado 40 prestadores e um cliente. Avançámos e foi assim que nasceu a empresa”.

O parceiro certo para a área tecnológica estava encontrado e é a quem se deve todo o desenvolvimento técnico num ambiente OutSystems que está a cargo de uma equipa de três pessoas da DarwinLabs e que tem desenvolvido a aplicação da MyNurse, a plataforma onde os utilizadores podem solicitar todos serviços de cuidados de saúde ao domicílio, sejam enfermeiros, fisioterapeutas, auxiliares de ação médica ou outros terapeutas. Passados apenas quatro meses do lançamento da plataforma, a MyNurse tornou-se a maior rede nacional de prestadores reunidos numa só aplicação.

Há mais de 1200 profissionais disponíveis e espalhados por todo o país, de várias áreas: enfermagem, fisioterapia, osteopatia, acupuntura, psicologia e, mais recentemente, cuidados paliativos. “Faz parte do nosso sonho replicar o serviço dos cuidados paliativos que para já estão só disponíveis na região de Lisboa em parceria com a Linque, primeiro porque há muita necessidade e depois porque as pessoas não sabem que os cuidados paliativos podem ser feitos com grande antecedência. É possível desenvolver um plano de tratamentos ao domicílio e assim dar uma maior qualidade de vida a estes doentes. Estamos sempre à procura do que as pessoas nos pedem”.

Todos os profissionais têm um perfil preenchido com uma espécie de currículo, uma vez que Marta considera extremamente importante o utente poder dar a sua opinião sobre o seu prestador e por isso é possível ver a avaliação atribuída pelos outros utilizadores da plataforma.

O processo para requisitar um dos especialistas pode ser feito através do computador, tablet ou smartphone, e segundo a fundadora “é o mais intuitivo possível para que seja de fácil utilização”.

“Temos que ser facilitadores, eliminar barreiras. E eliminar barreiras pode ter de começar por usar o telefone e só depois levar as pessoas a usar a App”.

A comodidade vai além da App desenvolvida: “Na MyNurse o utilizador decide a hora para o atendimento, o serviço pretendido e, automaticamente, aparecem os prestadores que estão disponíveis, com currículo e comentários visíveis para apreciação”.

Os valores variam consoante o valor prestado. Porém, existem serviços que podem compensar comparativamente com o SNS – Sistema nacional de Saúde.

Marta Veiga deixa um conselho a quem está a pensar construir o seu negócio. “Mexam-se. É mesmo isso. Ideias boas há muitas, mas é preciso ter uma boa e consolidada equipa e, principalmente, querer trabalhar muito. Abrir um negócio, seja star-up ou de modelo tradicional é sinónimo de trabalhar muito. Dias, noites, fins-de-semana… e é bom que haja um sonho por trás disso, porque se não houver a pessoa desmoraliza. Mexam-se, lutem e perseverem!”.