Manuel Maria Carrilho publicou, esta quinta-feira, na sua página no Facebook uma reação ao momento protagonizado por Bárbara Guimarães e Rodrigo Guedes de Carvalho nos Globos de Ouro.

Em causa estão as palavras do jornalista da SIC que, antes de entregar o primeiro prémio da noite, se referiu à violência doméstica como algo que “cresce de forma assustadora em Portugal” e que “passou a ter difusão em massa e a ser partilhada”. Fê-lo de forma emotiva, de mão dada com a apresentadora da estação e ex-mulher de Manuel Maria Carrilho.

Quatro dias depois, o ex-marido de Bárbara Guimarães usou as redes sociais para reagir, dizendo que “o que se passou nos Globos de Ouro com Bárbara Guimarães e Rodrigo Guedes Carvalho coloca a falsa vítima e o seu parceiro de performance no sítio certo: no palco do entretenimento, do faz-de-conta, da mentira bem treinada e bem premeditada”.

“O que torna verdadeiramente infame o que se passou nos ‘Globos’ é que que se tenha, perante um público de centenas de milhares de pessoas, procurado intencionalmente influenciar a opinião pública e pressionar os tribunais, num caso que está com o julgamento em curso e em que Rodrigo Guedes Carvalho é testemunha da própria Bárbara Guimarães”, explicou o antigo ministro da Cultura.

Num texto intitulado “A falsa vítima e o ignóbil farsante”, Carrilho refere-se a Bárbara Guimarães e Rodrigo Guedes de Carvalho como elementos e uma “casta que pensa estar acima da lei”, que “parasita sem quaisquer escrúpulos todo o tipo de ‘vitimismo’” e que “tudo pode fazer e dizer com completa irresponsabilidade e impunidade”

“Aflita nos tribunais, a minha ex-mulher recorre agora a todos os expedientes do espetáculo para tentar impedir o conhecimento da verdade – mas ela continuará, estou certo, a fazer o seu caminho”, remata Manuel Maria Carrilho, sobre quem recai um processo em tribunal por suspeitas de violência doméstica sobre Bárbara Guimarães.