A rapariga contou que o primo entrou em casa da sua família durante a noite, quando todos estavam a dormir, e ameaçou-a com uma pistola.

“Não podia pedir ajuda porque ele estava a apontar uma arma. Mas o panchayat rejeitou o meu testemunho e declarou que eu quis dormir com ele”, contou a rapariga ao jornal Press Trust of India.

O tribunal de aldeia não puniu o alegado violador e condenou a adolescente por adultério.

Entretanto, a família da rapariga apresentou queixa na polícia e a adolescente foi escondida num centro de acolhimento estatal, em Rajanpur.