Uma escolha do pai trangénero Kori Doty que quer registar o filho sem género.

Este pode vir a ser o primeiro bebé a ser registado sem género. Desde novembro do ano passado que Kori tenta adquirir uma certidão de nascimento do filho mas sem sucesso, uma vez que não é possível obter o documento sem a indicação do género.

“Reconheço-o como um bebé e estou a tentar dar-lhe todo o amor e apoio para que seja a melhor pessoa do mundo, sem as restrições associadas ao facto de ser um rapaz ou uma rapariga”, explica Doty ao jornal britânico Daily Mail.

Doty quer que o sexo de Searyl Atli fique excluído de qualquer registo. Quer educar o filho sem qualquer noção de sexo, até que ele tenha capacidade de decidir o que é.

“Quando eu nasci os médicos definiram o meu futuro e quem eu seria com base nos meus genitais”, afirmou.

Algumas províncias do Canadá, como Ontário e Alberta, estão a rever as políticas para que possa ser introduzida uma terceira opção nos documentos, o género não-binário.

No entanto Kori Doty defende que não deve existir nenhuma opção na certidão de nascimento so seu filho.