EUA proíbe viagens de norte-americanos à Coreia do Norte

Os Estados Unidos querem proibir viagens de cidadãos norte-americanos à Coreia do Norte no seguimento da recente morte do estudante Otto Warmbier, que foi detido pelo regime de Pyongyang durante uma visita turística, divulgou hoje a diplomacia americana.

808

“Devido às crescentes preocupações sobre o sério risco de prisão e de detenção prolongada (…) na Coreia do Norte, o secretário (de Estado) autorizou uma restrição de viagem aos titulares de um passaporte norte-americano para a Coreia Norte” disse a porta-voz do Departamento de Estado dos Estados Unidos, Heather Nauert.

Esta proibição deve entrar em vigor dentro de um mês e só os cidadãos americanos que tenham uma autorização especial poderão viajar para o território norte-coreano, precisou o Departamento de Estado.

Otto Warmbier, um estudante norte-americano de 22 anos que esteve detido quase um ano e meio na Coreia do Norte, morreu em meados de junho último, dias após ter sido libertado pelas autoridades norte-coreanas.

O estudante de Economia da Universidade da Virgínia admitiu ter roubado um cartaz de cariz político num hotel em Pyongyang, onde estava hospedado, e foi acusado de “atividades hostis” e conspiração contra a unidade da Coreia do Norte.

Em março do ano passado, as autoridades norte-coreanas condenaram o estudante a 15 anos de trabalhos forçados.

Otto Warmbier estava em coma há mais de um ano, depois de ter contraído botulismo.

A morte do estudante norte-americano acentuou as fortes tensões existentes entre Washington e Pyongyang, em grande parte relacionadas com o programa de armamento nuclear do regime liderado por Kim Jong-un.

O Presidente norte-americano, Donald Trump, caracterizou Pyongyang como um “regime brutal”, declarando estar determinado “em impedir que inocentes sofram tais tragédias” numa altura em que três americanos continuam detidos na Coreia do Norte.

LUSA