De um total de cerca de 12 mil ingredientes cosméticos, um estudo analisou 2.400 para perceber como afetam a nossa saúde. Descobriu que dos 2.400 estudados, 1.200 são tóxicos, revela Sara Werner, química especialistas em cosmética.

“Que um produto seja natural não significa que é bom; que um produto tenha ingredientes químicos, não significa que é mau”, sublinhou a especialista em conversa com o Deporte y Vida do jornal espanhol AS.

“As substâncias são reguladas e registado na lista e REACH e submetidas a testes de toxicidade geral, ecotoxicidade, propriedades físico-químicas e de segurança química. Mas não têm em conta o efeito cumulativo, o efeito do tempo (colocar um pouco de um ingrediente pode ser inofensivo, mas o que é que acontece se puser um pouco hoje, um pouco amanhã e durante meses ou anos?) nem estudam o efeito cocktail (se coloco um produto x e, em seguida, um produto y … o que sai dessa combinação? Os ingredientes químicos são regulados, mas não como deveriam”, afirmou a especialista.

Há várias iniciativas e marcar que defendem e apostam numa cosmética natural e livre de tóxicos. Sara Werner é co-fundadora do Environmental Working Group, nos Estados Unidos, cuja página online o pode ajudar a perceber se os ingredientes dos seus cosméticos são ou não prejudiciais. A química também decidiu criar uma empresa 100% livre de tóxicos e já lançou a marca de cosméticos Cocunat.