Rio de Janeiro: são esperados 1,5 milhões de turistas no Carnaval

A câmara municipal do Rio de Janeiro anunciou hoje que espera cerca de 1,5 milhões de turistas estrangeiros no Carnaval deste ano, estimando também que o evento deverá atrair cerca de 6 milhões de pessoas.

296

As previsões para este ano são maiores do que as de 2017, quando o Governo estimou que o Carnaval mobilizaria 5 milhões de foliões na cidade.

De acordo com um estudo da Fundação Getúlio Vargas (FGV), o Carnaval terá um impacto positivo de 3,5 mil milhões de reais (900 milhões de euros) na economia do Rio de Janeiro.

Apesar dos cortes de verbas anunciados pela câmara do Rio de Janeiro no ano passado para os festejos do Carnaval, Marcelo Alves, presidente da Riotur – uma agência pública de promoção do turismo da cidade – informou que este ano realizou uma captação recorde de investimento privado, totalizando 38,5 milhões de reais (9,9 milhões de euros).

“O volume de turistas esperado baterá todos os recordes. Estamos preparados para oferecer a melhor experiência desta festa para todos”, disse o presidente da RioTur.

Já o presidente da câmara do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, destacou hoje numa reunião com jornalistas que espera que o Carnaval traga de volta o otimismo para a cidade, que tem sofrido com o aumento da violência.

“Fizemos um esforço para apresentar um Carnaval muito bonito, e esperamos que seja sem violência. Além da competição nos desfiles, o Carnaval é também para mostrar ao mundo que continuamos otimistas”, afirmou Marcelo Crivella.

Os representantes do Governo carioca também confirmaram que além das escolas de samba que desfilam no Sambódromo a cidade terá pelo menos 600 desfiles de blocos pelas ruas, número que ainda pode aumentar.

A câmara anunciou ainda que vai instalar 32.560 casas de banho portáteis nas ruas, uma oferta maior em relação às 31 mil de 2017. Quem precisar de atendimento médico durante o Carnaval poderá contar com cinco postos de saúde e 130 ambulâncias e paramédicos.

A tarefa de organizar o trânsito ficará a cargo de 1.500 agentes da polícia.

LUSA