Trabalhadores da EGEAC contra concessão do Teatro Maria Matos

Trabalhadores da Empresa e Gestão de Equipamentos e Animação Cultural (EGEAC) entregam, na quarta-feira, ao presidente da Câmara de Lisboa, um abaixo-assinado a contestar a decisão da autarquia de concessionar o teatro Maria Matos a privados.

431

Segundo um comunicado do Sindicato dos Trabalhadores do Município de Lisboa, o abaixo-assinado é subscrito por mais de 60 por cento dos trabalhadores da EGEAC.

Em declarações à agência Lusa, Vítor Reis, do sindicato, disse que este processo reivindicativo visa contestar a decisão anunciada pela vereadora da Cultura, Catarina Vaz Pinto, de concessionar o teatro Maria Matos.

Para o sindicalista, esta decisão “desvaloriza mais de uma década de investimento da autarquia” naquela sala municipal, junto à avenida de Roma.

“E desvaloriza também a formação altamente especializada prestada aos trabalhadores que, ao longo dos anos, fizeram deste teatro um equipamento cultural de referência e de excelência”, frisou.

Apesar de não estar em causa qualquer posto de trabalho, o sindicalista sublinhou que os trabalhadores da EGEAC foram “surpreendidos” com esta decisão política da vereadora da Cultura, a qual tomaram conhecimento pela imprensa.

“E nada fazia esperar, já que não constava do programa eleitoral do PS para as últimas autárquicas”, concluiu.

LUSA