China apela aos EUA e à Coreia para aproveitarem oportunidade histórica

A China pediu hoje aos EUA e à Coreia do Norte para aproveitarem a "oportunidade histórica" da cimeira, um dia depois de o presidente dos Estados Unidos ter cancelado o encontro programado para 12 de junho.

481
© iStock

“A cimeira Coreia do Norte-EUA pode desempenhar um papel fundamental na desnuclearização da península coreana”, disse o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Lu Kang.

“Nas circunstâncias atuais, esperamos firmemente” que ambas as partes “possam avaliar os recentes desenvolvimentos positivos” e “permanecer comprometidos” na busca por um acordo, disse Lu numa conferência de imprensa em Pequim.

Lu Kang rejeitou que a China pudesse ter alguma relação com a suposta mudança de posição de Pyongyang que motivou a decisão de Trump e assegurou que continuará a “desempenhar um papel” na promoção do diálogo.

Além disso, a China disse apreciar o desmantelamento do centro norte-coreano de testes nucleares em Punggye-ri (nordeste do país), que Lu considerou “um importante passo dado pela Coreia do Norte para a desnuclearização”.

O desmantelamento da base aconteceu na sequência do acordo firmado entre as duas Coreias a 27 de abril passado, no âmbito da “total desnuclearização da península”, e coincidiu com o anúncio do cancelamento da cimeira entre a Coreia do Norte e os Estados Unidos feito pelo Presidente norte-americano, Donald Trump.

A cimeira entre o líder norte-coreano, Kim Jong-un, e Donald Trump estava prevista para 12 de junho, em Singapura.

Ao cancelar a cimeira, Trump invocou uma “raiva tremenda e hostilidade aberta” por parte da Coreia do Norte.

Contudo, o regime de Pyongyang indicou continuar aberto ao diálogo com os EUA, depois de o Presidente norte-americano ter anulado a cimeira, decisão que o regime de Kim considerou “extremamente lamentável”.

LUSA