Solução global de mobilidade automóvel adaptada às necessidades do cliente

“As vantagens do renting, de uma forma muito resumida, passam por garantir em permanência uma solução otimizada, que acompanha as evoluções tecnológicas de cada setor e adaptada às diferentes necessidades de cada cliente”. Quem o afirma é Eduardo Antunes, Diretor Fleet & Business Sales da FCA Portugal, S.A, em entrevista à Revista Pontos de Vista. Quer saber mais sobre o Grupo FCA e as diversas valias do renting? Não perca esta entrevista.

343

O Grupo FCA assume-se como um dos mais prestigiados neste mercado. Neste sentido, que análise é possível perpetuar do crescimento da marca e quais as mais-valias que a mesma aporta ao cliente?

A Marca Fiat – Fabbrica Italiana Automobili Torino, celebrou no passado dia 11 de julho 119 anos de vida, tendo sem dúvida um longo e bem-sucedido historial no mundo. Em Portugal, iniciou o seu percurso comercial em maio de 1929, sendo desde então uma presença indispensável no dia-a-dia dos portugueses.

Com a denominação FCA Portugal desde há três anos, demos início a uma nova estratégia que tinha por objetivo aumentar as vendas no mercado nacional, através de uma renovação profunda da Rede de Concessionários e uma ampla diversidade de novos produtos e processos, com um particular enfoque na atividade e respectiva redefinição da estratégia orientada para o mundo Fleet, assente em três pilares distintos:

  • Produtos, concebidos para a atividade Fleet&Business desde a fase de design;
  • Pessoas, formadas e especializadas para uma correta identificação das necessidades dos clientes profissionais;
  • Experiência cliente, com soluções exclusivas e direcionadas para a satisfação das necessidades específicas dos clientes profissionais.

Em primeiro lugar, o PRODUTO, com a FCA a disponibilizar ao mercado uma das gamas mais alargadas de soluções de mobilidade, como são exemplo os dois modelos citadinos Fiat Panda e o Fiat 500, duas referências a nível Europeu no segmento A,  com uma quota de mercado conjunta de 30%, a família Fiat Tipo, que disponibiliza três modelos distintos num só, com as carroçarias sedan, hatchback e station wagon, o modelo Alfa Romeo Giulia, líder em estilo e performance, permite o regresso da marca ao segmento D com um sedan desportivo que se posiciona a nível Europeu no “top 5”, o Alfa Romeo Stelvio, um conceito inovador na marca e particularmente procurado pelos clientes Fleet “user-chooser”, os modelos Fiat 500X e o Jeep Renegade, que em conjunto representam um em cada sete vendas no segmento I0 a nível Europeu e toda a nossa gama Fiat Professional, que cobre todas as necessidades profissionais até quatro toneladas, incluindo o “best seller” em vendas Fiat Ducato, conjuntamente com o Fiorino, Doblò, Talento e a pickup Fullback.

Em segundo lugar, as PESSOAS, com equipas especializadas e em contínuo processo de formação, que possibilitam que a FCA se diferencie das demais marcas do mercado ao oferecer processos estandardizados, específicos para o mundo B2B e que permitem um correto diagnóstico das necessidades Fleet, o que nos leva ao terceiro pilar, o da EXPERIÊNCIA CLIENTE de referência, que nos permite oferecer soluções exclusivas e corretamente direcionadas às verdadeiras necessidades Fleet previamente diagnosticadas, na procura contínua duma satisfação plena e consecutiva fidelização dos nossos clientes Fleet&Business.

A conjugação dos fatores anteriormente identificados, conjuntamente com a renovação feita em 35% da nossa Rede de Concessionários nas Marcas Fiat e Fiat Professional, em 95% na Marca Abarth e em 75% nas Marcas Alfa Romeo e Jeep, permitiu criar as fundações necessárias para atingirmos os resultados que nos posicionam hoje, depois de decorridos sete meses de 2018, no TOP 3 do ranking do Mercado Automóvel em Portugal, com a marca Fiat com um crescimento acumulado de 19% face a esse período em 2017.

Recentemente, a Jeep passou a ser representada e comercializada em Portugal pela FCA. Este foi um grande passo dado pelo grupo? O que significa esta aquisição para o grupo e para Portugal?

A estratégia do grupo FCA Portugal tem assente nos últimos três anos numa comunicação para o mercado e para os clientes orientada na Qualidade de Gama, nomeadamente com o lançamento dos modelos Alfa Romeo Giulia e Stelvio, na continuidade do Value for Money, com a gama Fiat Tipo e na Diversidade de Gama, com a nova marca JEEP, o que nos tem permitido de forma clara reconquistar segmentos de onde estivemos afastados e adicionalmente conquistar outros onde não tínhamos grande histórico.

De facto a marca JEEP, a mais recente do nosso portefólio e sendo parte integrante do mesmo desde o passado mês de setembro de 2017, reconhecida como a mais ampla em termos de oferta de modelos UV (Utility Vehicle), nomeadamente com o nosso modelo Compass a pautar o regresso da JEEP ao segmento dos SUV compactos, tem conseguido uma impressionante performance, quer nos diferentes meses em isolado, quer no acumulado dos primeiros sete meses do ano, com um crescimento superior a 2.661,1%.

É notória a performance a nível nacional desta marca agora italo-americana, tendo igualado nos primeiros seis meses do ano a totalidade dos volumes realizados no país nos últimos quatro anos!

De facto, a grande maioria dos clientes da JEEP procuram o conceito de liberdade… a liberdade para se deslocarem na cidade, para a montanha e para a praia, num veículo versátil que no fundo lhes permita a possibilidade de se deslocarem para qualquer lado, em segurança e de forma confortável, nomeadamente quando viajam para o trabalho no dia-a-dia. Muitos destes clientes procuram a rutura com os tradicionais conceitos de berlina e/ou station wagons, logo ambicionam um conceito “cool” e simultaneamente prático, versátil e que consiga enfrentar qualquer terreno, estrada ou engarrafamento…

Em resumo, a marca Jeep como parte integrante do portefólio de marcas do grupo FCA Portugal, possibilita a entrada num novo segmento de mercado, nomeadamente pela conquista duma tipologia de clientes particulares e profissionais, novos utilizadores de Utility Vehicles, que procuram como solução de mobilidade veículos com Estilo, Funcionais e Versáteis.

O posicionamento da Jeep ao lado da Alfa Romeo como marca ‘premium’ do grupo obrigou a uma vasta reestruturação da rede de concessionários e a fortes investimentos. Que outros desafios o grupo enfrentou ou enfrenta?

Com o objetivo claro de nos posicionarmos com uma dispersão geográfica de Norte a Sul do país e sabendo que 80% das vendas de automóveis estão concentrados nos distritos litorais que vão de Braga até Setúbal e mais o Algarve, onde era imperativo termos a cobertura total que temos atualmente, procedemos a 35% de renovação da nossa rede de concessionários nas marcas Fiat e Fiat Professional, 95% de renovação na marca Abarth e 75% de renovação nas marcas Alfa Romeo e Jeep, contando hoje a nossa renovada rede de concessionários entre todas as marcas, com 35 Grupos concessionários, representando perto de 50 pontos de assistência entre rede primária e secundária e com uma capilaridade de norte a sul do país, ilhas inclusive.

A LeasePlan e a Fiat Chrysler Automobiles (FCA) criaram uma parceria de renting em vários mercados europeus, incluindo Portugal. Em que moldes se processará esta parceria?

A parceria existente entre a Leaseplan e a Fiat Chrysler Automobiles assenta num acordo comercial global em vários mercados europeus, nomeadamente em Portugal, no âmbito do qual a Leaseplan se reveste como o parceiro preferencial da rede de concessionários da FCA, nos mercados onde o grupo não tenha operações de renting próprias, colocando-se dessa forma ao dispor dos clientes da FCA e com um particular enfoque  no segmento das SME, soluções de renting best in class da Leaseplan adaptadas às viaturas das gamas FCA mais adequadas às necessidades dos clientes Fleet , garantindo-se assim que duas empresas de referência no setor automóvel trabalham conjuntamente no sentido explorar todas as oportunidades de negócio existentes, com equipas comerciais dedicadas a atuarem com vista a um objetivo comum – a satisfação do cliente que procura uma solução de mobilidade automóvel FCA associada ao renting Leaseplan.

Quais são, afinal, as vantagens do renting para as empresas e particulares? O que precisamos de saber sobre renting?

As vantagens do renting, de uma forma muito resumida, passam pelo garantir em permanência uma solução otimizada, que acompanha as evoluções tecnológicas de cada sector e adaptada às diferentes necessidades de cada cliente, sejam elas de âmbito informático, tecnológico, de mobiliário, ou de mobilidade. De facto este produto financeiro, abrange hoje em dia todos os setores e pode ser aplicado a quase todos os bens móveis, dando a flexibilidade a qualquer cliente com perfil para contratar um renting, de se focar no seu core-business e não se preocupar com as restantes variáveis, embora que necessárias para o desenvolvimento da sua atividade.

Chegamos assim ao renting automóvel através do qual, se garante a um cliente seja ele profissional ou particular e pela utilização duma viatura automóvel FCA, a melhor solução de mobilidade de acordo com as suas necessidades, sejam elas temporais ou quilométricas, com mais ou menos serviços incluídos, por um valor mensal definido de acordo com a folga orçamental de cada um, teoricamente sem lugar a custos extraordinários futuros.

Sente que o universo empresarial já compreende as mais-valias do renting na sua orgânica enquanto organização? O que ainda falta em Portugal para que esse sentido de recetividade seja criado nas empresas lusas?

O renting ainda é visto com alguma desconfiança, quanto a mim perfeitamente injustificável nos dias de hoje, mas enquadrada pelos anos iniciais do produto. Como em todos os setores, a chave do sucesso neste mercado, prende-se com o nível de confiança e estabilidade na estratégia que se consegue transmitir ao mercado, constituído por empresas, que por sua vez são constituídas por pessoas, trazendo assim a este contexto o fator humano, por vezes facilmente relevado para segundo plano. Nesse sentido, conseguir uma relação de confiança entre empresas, passa por conseguir criar uma relação de confiança entre as pessoas das diferentes empresas e fazer com que as mesmas apostem em nós, dotando-nos de maior competitividade face aos restantes players do mercado.

No âmbito do renting, o que podemos continuar a esperar de vocês? Quais as novidades e os desafios mais prementes?

Em termos de renting, as apostas claras e que têm tido bastante visibilidade no mercado, têm sido algumas das novidades que já trouxemos este ano 2018 para o mercado Fleet, nomeadamente com soluções de renting multiproduto de cross selling e a utilização duma viatura citadina com a opção de utilização de uma viatura de maiores dimensões para um período de férias pré-definido. Dois exemplos claros das novidades que já lançámos no mercado e que serão o futuro ao qual daremos continuidade, numa procura constante para conseguirmos oferecer soluções de mobilidade adaptadas às reais necessidades do mercado.

Adicionalmente, continuaremos a explorar novos canais de mobilidade que têm surgido recentemente, com tipologias de clientes bem distintas das “tradicionais” e atuais, que obrigarão os diferentes players do mercado a reenquadrarem-se, como é o caso do Private Lease e o próprio Car-sharing.

Escolher o Grupo FCA é…?

…uma aposta na solução global de mobilidade automóvel mais adaptada às reais necessidades do Cliente, possível pelo empenho contínuo e individual que cada colaborador da FCA Portugal coloca no seu dia-a-dia, de modo a implementarmos no mercado a relação de confiança, segurança e perenidade que os clientes Fleet esperam e ambicionam do Grupo Fiat Chrysler Automobiles.