A aposta no desenvolvimento de software, em meados do ano 2008, fez a ACIN ganhar outra dimensão, principalmente porque a empresa reconheceu as necessidades e evolução das TI no mercado. O foco é sempre colocado na apresentação de soluções práticas, simples e eficazes, que vão de encontro às necessidades dos seus clientes, quer se trate de uma pequena empresa local ou uma grande multinacional.

A opção da criação de soluções alojadas na Cloud foi feita precisamente nesse sentido, para posicionar a ACIN como um verdadeiro parceiro na disponibilização de soluções “chave-na-mão”. Os seus clientes usufruem da utilização dos seus sistemas sem um forte investimento inicial, num serviço totalmente integrado que incorpora datacenter, cibersegurança, backup’s, manutenção preventiva, corretiva e também evolutiva, que respeita os mais elevados standards internacionais, já que todas as soluções do Grupo estão certificadas pelas normas ISO 9001, ISO 27001 e ISO 20000.

Hoje, o Grupo ACIN conta com 4 empresas e com um leque de soluções abrangente que atinge várias áreas de mercado. Estas soluções foram pensadas e criadas estrategicamente para interagirem umas com as outras. São cerca de 12 as plataformas de software a operar no mercado e podemos dizer que mais vêm a caminho.

Com esta estratégia de constante inovação, o Grupo ACIN ganhou prestígio e distinção na área tecnológica, tanto em Portugal como no estrangeiro, com um crescimento constante e efetivo ao longo destes anos.

Face a este crescimento e com vista a criar maior proximidade com os seus clientes, foram criadas filiais da empresa em Lisboa, Porto, Madeira e Açores.

GTS – GLOBAL TRUSTED SIGN

A Global Trusted Sign é a mais recente plataforma criada pelo Grupo ACIN e assume-se como um dos projetos de maior potencial para a empresa.

A GTS é uma entidade prestadora de serviços de confiança, reconhecida no seio da Trusted List Browser da União Europeia e certificada segundo as exigentes normas eIDAS (Regulamento EU N.º 910/2014) e pelo Gabinete Nacional de Segurança.

Os serviços prestados pela GTS incluem Certificados Qualificados de Assinatura Digital, Certificados Qualificados de Selo Eletrónico, Selos Temporais e Certificados de Autenticação de Websites (SSL).

Para este projeto, foi criada uma infraestrutura física composta por cerca de 50 equipamentos servidor, com redundância e sistemas de prevenção de falhas – controlo constante de temperatura, alimentação elétrica ininterrupta, módulos de segurança criptográfica e sincronização UTC por meio de relógio atómico on-site. O próprio espaço físico onde residem os equipamentos foi pensado e construído segundo exigentes normas de segurança – dado que esta é uma área complexa, exigente e de difícil certificação – num investimento total que rondou os 1,4 milhões de euros.

Esta infraestrutura, denominada de PKI (Public Key Infrastructure) é um sistema que suporta a distribuição e identificação de chaves de criptografia públicas. Permite que os utilizadores e seus computadores troquem dados com segurança na Internet, sendo verificada a identidade de cada uma das partes por meio de validação das chaves públicas e suas correspondentes chaves privadas. As chaves públicas estão contidas nos certificados dos utilizadores e as chaves privadas estão armazenadas nos servidores do PKI. Estas últimas garantem e validam a autenticidade das primeiras.

Assinatura Digital sem complicações – GTSign

Numa altura em que o digital ganha cada vez mais preponderância, torna-se indispensável atestar a validade legal de documentos assinados digitalmente. É por isso que nos nossos dias, de acordo com a Lei das Comunicações Eletrónicas, já é possível que uma assinatura digital seja equiparada à assinatura autógrafa, tendo assim a devida validade e cobertura legal, desde que efetuada com recurso a um Certificado Qualificado emitido por uma entidade certificadora como a GTS.

Este certificado, até há bem pouco tempo, teria de ser instalado obrigatoriamente em pen usb ou cartão smartcard. Com a entrada do regulamento eIDAS, esta obrigatoriedade foi abandonada, sendo que agora os certificados podem estar alojados na cloud, uma opção que se assume até mais segura que o recurso aos tokens.

A GTS emite certificados qualificados de assinatura digital para pessoas singulares ou entidades colectivas, ambos do tipo normal ou profissional.

Selos Temporais Interoperáveis – GTStamp

Os selos temporais atestam a data e hora de criação, envio ou receção de um documento ou transação eletrónica. Para as organizações, e dadas as obrigações legais em várias áreas como por exemplo na Contratação Pública, torna-se indispensável a validação cronológica de um documento ou transação, provando que o mesmo não foi modificado, garantindo assim a transparência e segurança da informação.

Nos termos do Código dos Contratos Públicos, todos os documentos e atos submetidos nas plataformas eletrónicas devem ser sujeitos a aposição dos selos temporais, obrigatoriamente emitidos por uma entidade certificadora, como a GTS.

Selo Eletrónico – GTSeal

O Certificado Qualificado de Selo Eletrónico tem, do ponto de vista tecnológico, um funcionamento equivalente ao de Assinatura Digital, mas destina-se somente a entidades coletivas. Podemos dizer que o Selo Eletrónico é o equivalente ao carimbo da empresa ou ao selo branco do organismo público.

Este certificado confere aos documentos aos quais é aposto, a presunção legal de integridade e autenticidade da origem dos dados, com validade em toda a União Europeia.