Business concept on tablet with hologram

Bem implementada, a digitalização envolve muito mais, do que um simples acrescentar ou substituir softwares e máquinas. É uma profunda transformação que reinventa a estratégia e processos da empresa completamente. A tecnologia é apenas um meio para atingir um fim – para facilitar a transformação.

Ao abordar a digitalização desta forma, as empresas vão adaptar-se mais facilmente a um ambiente em mudança constante. As empresas mais pró-ativas, vão colher os frutos da Indústria 4.0, cujo desenvolvimento se intensificará nos próximos anos. Apesar de muitos líderes da indústria ainda o verem como um desafio muito complexo, é na verdade uma oportunidade para libertar o potencial criativo da base industrial em Portugal, desde que as empresas comecem a transformar as habilidades e o conhecimento das suas equipas o quanto antes.

OS DADOS ALIMENTAM  A CADEIA DE VALOR

Com a globalização em ascensão, a digitalização facilita a partilha entre cadeias de valor cada vez mais fragmentadas. As empresas estão a expandir os seus departamentos de criação, desenvolvimento de produto e produção para diferentes regiões geográficas, isto é especialmente visível em setores altamente internacionalizados, como o da Moda (do luxo ao pronto-a-vestir) e do Automóvel. Para permitir que as equipas internacionais trabalhem juntas o mais efetivamente possível, há apenas uma solução: plataformas digitais que incorporem dados confiáveis e completos, acessíveis em tempo real por todos os envolvidos no processo de trabalho. Estas ferramentas são ainda mais relevantes, pois as empresas precisam de estruturar uma série de dados de várias fontes e utilizá-los em todos os departamentos da empresa.

No mercado atual os clientes esperam mais: personalizar o artigo encomendado, recebê-lo de imediato, conhecer a sua origem, etc. Isto, por sua vez, implica que cada etapa do ciclo de vida do produto, de uma ponta à outra da cadeia de valor, tenha de se acelerada, garantindo a rastreabilidade de cada modelo comercializado. Uma vez mais, a chave está na partilha de dados, sem falhas e imediata entre as pessoas, organizações e soluções envolvidas.

A PRODUÇÃO ESTÁ A TRANSFORMAR-SE

As tecnologias digitais são especialmente cruciais na etapa da produção. As fábricas estão a ficar mais inteligentes e conectadas, adquirindo um papel central na cadeia de valor.

Uma fábrica 4.0 é conectada internamente (produtos, máquinas, pessoas, processos, todos comunicam), bem como, com todo o ecossistema de parceiros, subcontratados e distribuidores. Não esquecendo os próprios consumidores, que estão cada vez mais envolvidos no design dos produtos.

Essa fábrica também é inteligente. Máquinas com sensores transmitem dados continuamente, que quando analisados, permitem a máxima qualidade, eficiência e retorno do investimento. Mais próxima do que nunca da eficiência operacional, a fábrica 4.0 também adquire a flexibilidade necessária para se adaptar a pedidos alternados de alto e baixo volume, pequenos lotes ou até mesmo o feito-à-medida. Esta produção transformada permite uma variedade de modelos económicos sem precedentes.

COMO SE ENCAIXAM OS SERES HUMANOS NESTA IMAGEM?

No gabinete de design, a tecnologia liberta a criação de inúmeras restrições. Com as soluções 3D atuais, ou mesmo realidade virtual ou aumentada, um universo sem limite de criação está a abrir-se para as equipas de design. Os departamentos de desenvolvimento de produto estão também capacitados com ferramentas altamente efetivas e ergonómicas, para desenvolver rápido e melhor os produtos esperados pelos consumidores. Os designers podem, a partir de agora, dedicar-se totalmente à sua principal missão: criar.

À medida que a fábrica recupera a importância na cadeia de valor, o mesmo acontece com o papel das equipas que nela trabalham. As máquinas inteligentes substituem os seres humanos para remover tarefas repetitivas, e acompanham-nos na sua atividade diária para que possam alinhar os seus papéis e trazer valor acrescentado onde a sua contribuição é insubstituível.

Seria um erro subestimar o impacto destas mudanças, todavia benéficas, na definição das profissões: a aquisição de novos conhecimentos e habilidades é fundamental à sua transformação digital bem-sucedida. Assumir o controlo das tecnologias da era digital é uma oportunidade das empresas se projetarem serenamente na quarta revolução industrial. As mais perspicazes vão antecipar-se, repensando a forma de abordar o desenvolvimento pessoal das suas equipas.

Artigo de opinião, Lectra