O produto do título será usado exclusivamente para financiar ou refinanciar veículos pré-selecionados, com prioridade para veículos com maior contribuição líquida positiva no que respeita a mudanças climáticas (emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE) – comumente referidos como CO2) e ao meio ambiente (em particular, a redução de Óxidos de Azoto (NOx)). Para este efeito, a ALD selecionou, uma carteira inicial de 14.348 veículos elegíveis para financiamento, composta por 24% de veículos elétricos (EV) e 76% de veículos híbridos (HEV) e veículos híbridos plug-in (PHEV), em 13 países da Europa.

A emissão é única na medida em que a Estrutura da Obrigação de Impacto Positivo da ALD está alinhada com os Princípios de Obrigações Ecológicas da ICMA, bem como os Princípios para os Financiamentos de Impacto Positivo* desenvolvidos pelo programa da Nações Unidas para o Meio Ambiente. Para que o vínculo se qualificasse como um Impacto Positivo, a ALD desenvolveu uma abordagem de avaliação do ciclo de vida, baseada numa medida robusta e de impacto transparente da frota em todas as fases da vida útil dos veículos. Para tal contou com a ajuda da Quantis, uma empresa especializada em análises de ciclos de vida. O portfólio inicial da ALD evitará o equivalente a 17.000 toneladas de CO2 e 99.000 kg de emissões de NOx numa base anual, comparativamente a uma frota similar alimentada por motores de combustão.

A VigeoEiris emitiu uma segunda opinião sobre as credenciais ambientais desta Obrigação de Impacto Positivo e o seu alinhamento com a estratégia de desenvolvimento sustentável da ALD. Adicionalmente, este título beneficia da certificação da Climate Bond Initiative.

A Société Générale foi o único subscritor desta obrigação, alavancada na combinação da sua reconhecida capacidade de consultoria, estruturação e distribuição, com a sua experiência ao nível de Obrigações de Impacto Positivo, promovendo soluções financeiras inovadoras e personalizadas, que facilitem a transição para uma economia de baixo carbono. Esta emissão demonstra mais uma vez o compromisso da Société Générale em posicionar-se na vanguarda da área de financiamento de impactos positivos, ajudando a construir um mercado de títulos sustentável e apoiando plenamente os seus clientes nas suas necessidades de financiamento, aprofundando fontes de financiamento dos mercados de capitais para projetos de crescimento sustentável.

Sandrine Enguehard, Head of Impact Structuring, Société Générale CIB, refere que: “Esta transação representa um marco importante para o desenvolvimento e diversificação do mercado de “títulos verdes”, sendo a primeira emissão de uma empresa global de gestão de frotas, como a ALD. Adicionalmente, com a abordagem do Impacto Positivo, a ALD participa numa medida sólida e de impacto transparente da frota, sendo a primeira a obter a certificação Climate Bond Initiative do setor”.

Stéphane Renie, Head of Corporate Social Responsibility da ALD acrescenta: “Com esta primeira Obrigação de Impacto Positivo, a ALD reforça e desenvolve a sua estratégia de crescimento sustentável, apoiando a mudança das suas atividades para uma mobilidade ecológica, e em particular de baixas emissões. Alcançar ambas as qualificações – obrigações ecológicas e o impacto positivo, foi um desafio, mas que se revelou extraordinariamente esclarecedor: para veículos com baixas emissões é de extrema importância olhar para além das emissões de CO2 e considerar o panorama global, em termos de fases da vida e tipo de emissões. Os resultados são encorajadores e reforçam a estratégia da ALD de ser um ator chave na transição energética, em todos os aspetos do nosso modelo de negócios”.

A frota de baixas emissões da ALD é de 84.000 veículos alternativos (EVs, PHEVs, híbridos) sob gestão, no final do primeiro semestre de 2018, mais de 50% de crescimento anual, representando hoje uma percentagem ligeiramente abaixo de 5% da frota total. A ambição da ALD é ter uma frota alternativa mínima, de 200.000 veículos sob gestão até 2020.