Sob o tema “Espécies Marinhas Ameaçadas. Da Ciência para a Consciência”, nesta edição foram avaliados projetos de conservação dedicados a espécies marinhas classificadas como “Criticamente em Perigo”, “Em Perigo” e “Vulnerável”, segundo a «Lista Vermelha» da União Internacional para a Conservação da Natureza  (IUCN Red List of Threatened Species).

Um jurí internacional constituído por especialistas na área da conservação, selecionou como vencedores dois projetos:

| «Whale Tales Project», proposto pela Arditi – Agência Regional para o Desenvolvimento da Investigação, Tecnologia e Inovação, receberá um financiamento de 50 mil euros. Dedica-se ao estudo do cachalote (Physeter macrocephalus), cujo estatuto de conservação é “Vulnerável”. O foco do “Whale Tales” é no arquipelago da Madeira, área onde existe pouca informação sobre a utilização de habitat por esta espécie.

| «Eel Trek», desenvolvido pela Fundação Gaspar Frutuoso, receberá um financiamento de 100 mil euros. Tem como objetivo o estudo da migração da enguia-europeia (Anguilla anguilla), classificada como “Criticamente em Perigo”, e que é fundamental para a sua conservação uma vez que o seu ciclo de vida é complexo, entre o oceano e os rios.

Para João Falcato, CEO do Oceanário de Lisboa e administrador da Fundação Oceano Azul, “o financiamento de 150 mil euros do Fundo para a Conservação dos Oceanos é um apoio relevante a projetos que se dedicam à conservação de uma espécie em particular, principalmente quando se sabe à partida que as suas populações estão ameaçadas. O nosso compromisso para o futuro é a conservação do oceano sem nunca esquecer as espécies que são necessárias proteger”.

Há 20 anos a apoiar a conservação do oceano, o Oceanário de Lisboa, juntamente com a Fundação Oceano Azul, pretende não só promover a proteção de espécies ameaçadas, através de financiamento e de apoio ao conhecimento científico, mas também elevar a consciência para a importância do equilíbrio do oceano e dos recursos marinhos, partilhando a visão de que a conservação do oceano é uma responsabilidade de todos.