O Consolata Museu | Arte Sacra e Etnologia, está situado em Fátima e encontra-se sob a tutela do Instituto Missionário da Consolata. Abriu ao público em 1991 pretendendo, através de objetos de arte sacra e etnográficos, introduzir o visitante no espírito missionário da Igreja e levá-lo a participar com ela no esforço de evangelização do mundo. Constituído por um acervo de várias regiões do mundo, pretende-se mostrar as expressões culturais que revelem a diversidade e os pontos de contacto que traduzem as relações entre os povos. Pretende-se igualmente despertar e cultivar nas pessoas e na sociedade contemporânea sentimentos de solidariedade e de fraternidade que atingirão a sua expressão mais alta na missionação e na partilha de bens.

Breve Historial

O Instituto Missionário da Consolata veio para Portugal em 1943 fixando a sua sede em Fátima. É uma instituição que tem por finalidade formar padres e irmãos para as Missões e contribuir para a animação do espírito missionário no nosso país. A ideia de construir o Centro de Animação Missionária surgiu quase contemporaneamente com a fixação do Instituto em Fátima. Por vários motivos o projeto foi sucessivamente adiado até que a partir de 1985 se pensou seriamente na sua concretização.

Pretendeu-se que todo este conjunto introduzisse o visitante no espírito missionário da Igreja e levá-lo a participar com ela no esforço da evangelização do mundo. Integrado no centro, criar-se-ia um Museu com um acervo composto pelas seguintes coleções: presépios e imagens de Meninos Jesus de várias épocas e proveniências recolhidos pelo P. Dr. Francisco António Rosado Belo; Crucifixos de várias épocas e proveniências recolhidos pelo P. Dr. Manuel Rodrigues Vermelho; e objetos etnográficos recolhidos pelos Missionários da Consolata espalhados pelo mundo.

Após a conclusão do anteprojeto, foi solicitado apoio técnico ao IPPC que designou o Dr. António Nabais para dar consultoria técnica para o programa museológico e montagem do museu que abriu as suas portas a 13 de outubro de 1991.

Gonçalo Cardoso, Diretor do Consolata Museu

Em maio de 2000 inaugurou a Sala dos Pastorinhos que guarda as relíquias dos Santos Francisco e Jacinta Marto. Esta teve como primeiro objetivo ir ao encontro do público que procura os símbolos relacionados com as Aparições de Fátima.

Sendo a função educativa uma das principais missões museológicas, o CONSOLATA MUSEU tem desenvolvido uma estreita aproximação com vários estabelecimentos de ensino. Através do seu Serviço Educativo, o museu tem vindo a trabalhar em parceria, principalmente com os docentes das disciplinas de História, História da Arte, Geografia e Educação Moral e Religiosa Católica. Estes têm considerado a visita ao museu como uma importante estratégia para os seus alunos alcançarem determinados objetivos programáticos, além de os sensibilizar para o respeito para com as diferentes culturas do mundo.

A ação educativa praticada por este museu, bem como a investigação, conservação, documentação e comunicação, permitiu a sua integração na Rede Portuguesa de Museus e a certificação pelo Herity International, sendo o único museu em Fátima a receber estes galardões. Fruto da sua intensa atividade, o museu recebeu também uma Menção Honrosa na categoria do Melhor Serviço de Extensão Cultural nos Prémios APOM 2011 (Associação Portuguesa de Museologia).

Gonçalo Cardoso, Diretor do Consolata Museu