É atualmente diretora de gestão da Texoleo, formou-se em Engenharia de Gestão Industrial e já conta com uma experiência diversificada de carreira. Que história pode ser contada sobre o seu percurso?

Nascida em Viana do Castelo, sou mulher minhota de nascença, de vocação e de coração. Formei-me em Gestão e Engenharia Industrial pelo ISCTE, de 1993 a 1998, com especialização na área da Logística. Fiz um estágio profissional na Unilever/Tibbett & Britten, em 1998, tendo passado do projeto de estágio para a Exel Logistics. Passei ainda pelos CTT e pela MSAS Global Logistics, para voltar ao grupo Exel depois de um processo de fusão, como diretora comercial e marketing. Em 2007, assumi a responsabilidade da direção logística da marca “A Loja do Gato Preto” na Península Ibérica e em 2014 assumi a direção comercial e marketing da GEFCO Portugal. Em 2016, iniciei um projeto pessoal como diretora de gestão da empresa Texoleo (www.texoleo.com), a qual se dedica à venda on-line na área dos lubrificantes e peças automóveis.

O que a levou a seguir Engenharia e Logística? Em alguma altura duvidou da sua escolha?

A opção pela Engenharia e pela Logística foi tomada, porque na altura era um  em franco desenvolvimento. Nunca duvidei da minha escolha e hoje sinto que foi uma boa aposta, até porque o meu quotidiano nunca é igual. Há novidades todos os dias, problemas para resolver, pessoas para gerir, processos para organizar e um planeamento fundamental para evitar erros, para minimizar custos e para maximizar proveitos. Considero que a minha formação académica e todas as especializações realizadas (marketing, comercial, financeira e desenvolvimento de projetos), contribuíram para a minha atividade atual. O curso de Gestão e Engenharia Industrial é vasto e alargado, com várias áreas de estudo e intervenção, o que facilita, visto que nos possibilita ter uma visão da gestão nas vertentes financeira, operacional e marketing.

Quais os maiores desafios de ser diretora de gestão?

Os maiores desafios de ser diretora de gestão, passam pela organização da empresa, pela liderança dos recursos humanos através da exigência e da motivação, pela permanente inovação tecnológica, por uma gestão financeira responsável e de acordo com os objetivos de negócio definidos pela Administração e pela orientação, serviço de qualidade e foco no cliente, razão principal pela qual a empresa e as empresas existem.

A área em que trabalha é maioritariamente dominada por homens ou já existe um equilíbrio entre géneros?

As empresas e áreas onde trabalhei, essencialmente na gestão comercial / marketing e na gestão financeira sempre apresentaram um equilíbrio de géneros. A área operacional foi e continua a ser geralmente dominada pelo género masculino, mas pelo facto de vermos cada vez mais mulheres nas áreas das Engenharias, esse domínio tende a decrescer gradualmente. Atualmente a área onde trabalho é equilibrada quanto ao género feminino e ao género masculino.

Em algum momento da sua vida profissional sofreu algum tipo de preconceito por ser mulher? Como é que, na sua opinião, se contornam estas questões?

Felizmente, que em nenhum momento da minha vida profissional sofri qualquer tipo de preconceito por ser mulher, mas sempre que o presenciei ou percebi com outras mulheres ou com outras pessoas mais vulneráveis, agi, denunciei e até me prejudiquei.

Tanto na vida profissional como na vida pessoal, a humildade é tida como uma qualidade bastante positiva e benéfica, onde ninguém é pior ou melhor do que os outros, estando todos no mesmo nível de dignidade, de cordialidade, respeito, simplicidade e honestidade. A humildade não implica humilhação.

Estas questões contornam-se com orgulho próprio, com frontalidade, sem receios e com a verdade, com educação e saber estar, com empenho e demonstração de trabalho, com paixão pelo que se faz e por quem representamos e com muita garra!

O que considera que é necessário fazer para se ter sucesso naquilo que se faz independentemente da área?

Quando decidimos ser profissionais, quando decidimos ser empreendedores, gerir negócios ou iniciar o nosso próprio negócio, dar oportunidades de emprego e crescimento a outros profissionais, não decidimos apenas gerir uma empresa ou ter a nossa própria empresa. Trata-se de algo maior, da realização de um sonho, daquilo que nos move e nos motiva diariamente a empenhar toda a nossa energia para atingirmos o sucesso profissional e pessoal, uma necessidade da maior parte dos seres humanos, e que não é nada fácil de ser encontrada, já que é preciso também passar por diversos sacrifícios e adversidades para chegar onde desejamos e para construir o tão desejado caminho para o sucesso!

As minhas dicas ou sugestões para se ter sucesso:

  1. É preciso trabalhar muito e bem;
  2. É preciso saber claramente qual a nossa missão;
  3. É preciso ter orgulho próprio;
  4. É preciso ser grato pelas conquistas e pelas vitórias;
  5. É preciso ser resiliente;
  6. É preciso compreender que o sucesso pessoal e profissional depende da rede de relacionamentos que construímos;
  7. É preciso ser autocritico;
  8. É preciso encarar os problemas com serenidade e frieza;
  9. É preciso ser equilibrado na sua forma de ser e de estar;
  10. É preciso ser feliz, porque a felicidade só depende de nós.