Após a aquisição da primeira central solar fotovoltaica em Ourique, em outubro deste ano, a Allianz investe agora num segundo projeto de energia solar sem subsídios públicos do Estado português.

Solara está localizada no sul de Portugal, em Vaqueiros, no distrito de Faro, a cerca de 230 km a sudeste de Lisboa. Portugal é um dos principais países europeus na produção de energia renovável, com mais de 50% de energia proveniente de energia eólica, solar e hídrica. Solara será o maior projeto solar em Portugal: terá uma capacidade de 218,8 MW e irá fornecer energia renovável para aproximadamente 100 mil casas da região por ano, equivalente à energia necessária para abastecer uma cidade do tamanho do Porto, durante um ano.

Solara é um projeto importante para a área de Vaqueiros que recentemente foi impactada pelo decréscimo da população. O projeto trará benefícios económicos para o local e irá empregar 1.500 pessoas para os trabalhos de construção.

O projeto Solara irá cumprir os termos de um contrato de compra de energia de preço fixo de 20 anos (PPA).

“A Allianz é um dos principais investidores em energias renováveis na Europa, uma vez que pretendemos liderar a indústria no que se refere à integração de fatores ESG (Environmental, Social and Governance) nos nossos negócios de investimento. Este é já o nosso segundo investimento em Portugal sem subsídios em conjunto com um PPA. Estamos muito satisfeitos por nos associarmos novamente com a WElink neste projeto solar tão atrativo. Com o nosso 9º investimento solar – a Solara, teremos mais de 90 projetos incluídos nosso portfólio de energias renováveis”, refere Marc Groves-Raines, Diretor de Energias Renováveis da Allianz Capital Partners.

Os investimentos da Allianz no setor da energia renovável somam já 9 parques eólicos e 83 centrais solares, localizados na Áustria, Finlândia, França, Alemanha, Itália, Portugal, Suécia e Estados Unidos. Os parques eólicos e solares da Allianz conseguem gerar energia renovável suficiente para abastecer mais de um milhão de residências.