© Stork Composites

No decorrer do tempo, à medida que os processos de extração dos recursos naturais começaram a ser alvo de maior controlo e exigência (condições de trabalho, segurança e obrigações ambientais), e o mercado se tornou exigente em termos de dimensões de produto e cores de moda, em paralelo, desenvolveram-se processos industriais, que permitiam obter produtos concorrenciais, de forma artificial, e que foram ao encontro desses requisitos, acrescendo capacidade de escalar produção e reduzindo custos de fabrico.

Muitos destes produtos conquistaram mercado porque democratizaram o preço, outros porque copiaram a estética do que na natureza existe de forma singular e não repetível, e outros ainda vieram mitigar algumas das fragilidades do produto natural.

Os processos milenares de transformação do planeta, que criaram este produto e deram origem aos padrões únicos que contam a História da mãe Terra, são também responsáveis por essas fragilidades e resultantes menos-valias.

Apenas uma fração da matéria-prima extraída consegue chegar ao consumidor final. Uma parte relevante desse desperdício está contido nas designadas “escombreiras”, matériaprima rejeitada, quer pela sua coloração, quer pela geometria, e que constitui uma menos valia ambiental e paisagística, da indústria extrativa.

Esta realidade não retira mérito ao uso da Pedra Natural – o desafio que coloca aos intervenientes do setor extrativo e de transformação, contribui para o surgimento de novas soluções, tornando-a ainda mais bela e distinta!

O produto STORK nasce deste racional: tirar partido máximo do produto natural e acrescentar características que o beneficiem.

Nas últimas décadas, as empresas do mercado da Pedra Natural mitigaram parcialmente estas características através da aplicação de telas de reforço e proteção no reverso das placas finalizadas, desenvolvendo produtos híbridos com base em compósitos laminares, como é o caso do STORK.

STORK – stone + cork, é uma solução desenvolvida e fabricada em Portugal, com patente internacional, inovadora no mercado do revestimento, leve e multifuncional.

Com baixo impacto ambiental, pelo facto dos componentes coexistirem na natureza, apresenta-se como um único produto, com as características técnicas e estéticas distintivas de dois materiais naturais : pedra e cortiça.

A solução compósita é realizada através do recurso a metodologias industriais de aplicação de fibra de vidro e resinas epóxi, o que permite apresentar uma produto cuja performance mecânica é muito superior à da Pedra Natural, quando solicitado à flexão, e ao choque/impacto.

A adesão entre os componentes é demonstrada consistentemente ao longo de milhões de ciclos de ensaio, com variações extremas de temperatura, em laboratórios acreditados.

O uso de cortiça promove o isolamento acústico e de vibrações, beneficiando utilizadores em divisões contíguas, tanto para chão e teto, como em paredes. Quando usado de forma consistente, permite isolar termicamente, com ganhos mensuráveis nos consumos de sistemas de aquecimento e arrefecimento.

O produto STORK incorpora aglomerado técnico de cortiça, um material produzido usando desperdícios reciclados de cortiça (já originalmente com baixa pegada de carbono).

Em paralelo, desde o momento em que o compósito é formado, a taxa de peças danificadas na manipulação, distribuição comercial e aplicação é muito baixo, favorecendo a cadeia de valor.

Acresce o facto de se usar espessuras de pedra muito mais finas, contribuindo de forma relevante para um rácio de utilização de material extraído bastante melhorado, com impacto a nível ambiental e económico, incorporando resinas e fibras com origem 100% natural.

Por último, a alteração para um terço a um quarto da espessura original de pedra, conjugada com a espessura de cortiça, permitem uma redução para menos de metade do peso original da solução, chegando este valor a 70% do peso original em alguns casos!

Cruzando este dado, com a maior robustez do produto, com os aspetos operacionais do transporte, manipulação em fase de obra e na aplicação do produto, concluímos que o STORK constitui uma enorme mais-valia para os operadores do mercado, desde a extração ao utilizador final.

Pedro Faria, General Manager da Stork

https://www.linkedin.com/in/pedro-mb-faria/