Sobreviver com o salário mínimo

No início de cada ano, o valor do salário mínimo é atualizado em muitos países. Este conceito tem como objetivo proteger os trabalhadores e garantir o valor mínimo que eles recebem, independentemente do cargo que ocupam. Em Portugal o salário mínimo tem crescido gradualmente ano após ano e em 2019 chegou a 600€ mensais.

572

Quanto dinheiro sobra na carteira depois de satisfazer as necessidades básicas de alimentação?

No início de cada ano, o valor do salário mínimo é atualizado em muitos países. Este conceito tem como objetivo proteger os trabalhadores e garantir o valor mínimo que eles recebem, independentemente do cargo que ocupam. Em Portugal o salário mínimo tem crescido gradualmente ano após ano e em 2019 chegou a 600€ mensais.

Porém, será que o salário mínimo é suficiente para satisfazer as necessidades básicas de alimentação em Portugal? A equipa analítica do Picodi.com decidiu analisar os preços de 8 grupos de alimentos em 52 países e confrontá-los com o salário mínimo em respectivos países. O resultado foi bem interessante, já que demonstrou as diferenças no poder aquisitivo em diversos lugares no mundo e por conseguinte, realçou a desigualdade na qualidade de vida entre os países em etapas diferentes do desenvolvimento económico. Qual posição ocupa Portugal na lista dos países examinados?

Preços de alimentos básicos

Para efeitos do presente relatório, criamos uma lista dos produtos divididos em 8 categorias: pão, leite, ovos, queijo, carne, frutas e legumes. Apesar de ser uma lista básica, são os produtos que constituem a base nutricional para uma pessoa adulta por período de um mês.

Em Portugal, o valor que uma pessoa precisa pagar para garantir a satisfação das necessidades alimentares básicas é de 87,55€.

Os produtos e os seus preços médios em Portugal:

  • Leite (10l) — 6,30€
  • Pão (10 un., cada uma de 500g) — 10,80€
  • Arroz (2,5kg) — 1,32€
  • Ovos (20 un.) — 2,78€
  • Queijo (1kg) — 7,17€
  • Carne (6kg) — 43,92€
  • Frutas (6kg) — 7,64
  • Legumes (8kg) — 7,62

É POSSÍVEL SOBREVIVER COM O SALÁRIO MÍNIMO?

A relação entre os preços de comida e o salário mínimo

A partir de 01.01.2019 o salário mínimo em Portugal foi fixado em 600€ (valor líquido: 534€). Considerando os preços de comida em Portugal, as despesas em produtos nutricionais básicos constituem 16,4% do salário mínimo, o que coloca Portugal no lugar 19 na lista de 52 países que foram examinados.

De acordo com o nosso ranking, as melhores condições referentes ao salário mínimo encontram-se na Austrália, Irlanda e Reino Unido. Tendo em consideração os preços locais, os cidadãos com a remuneração mínima vão gastar apenas 7% do seu salário para satisfazer as necessidades alimentares básicas. Alguns países onde a percentagem dos gastos na alimentação é maior do que em Portugal são: Polónia (17.1%), Brasil (31.5%) e Eslováquia (19.1%). A Espanha fica na 5. posição com a necessidade de gastar apenas 9.1% do salário mínimo na alimentação.

Os cidadãos das Filipinas e Nigéria que recebem remuneração mínima nos seus países enfrentam as piores condições económicas em relação aos gastos em comida. O custo da alimentação básica por um mês consome 81.3% do salário mínimo dos filipinos, enquanto na Nigéria o custo dos mesmos produtos excede 2 vezes o valor oferecido na remuneração mínima oficial.

PREÇOS DE ALIMENTOS BÁSICOS

Metodologia

O seguinte relatório utiliza os dados referentes aos salários mínimos publicados nas páginas oficiais dos governos em 52 países da Europa, Ásia, América de Norte e de Sul, África e Austrália. Na maioria dos países, os valores de salário mínimo atualizados entram em vigor no dia 1º de janeiro de cada ano. Na Grécia, por exemplo, os valores do salário mínimo continuam iguais desde 2013. Os preços dos produtos no presente relatório foram retirados dos dados disponíveis no numbeo.com, providenciados por milhares de usuários. Para qualquer conversão de moeda, usamos a taxa média de dezembro 2018.

Autor da análise: Picodi.com

Link para o realtório: https://www.picodi.com/pt/revista-pechinchao/sobreviver-com-o-salario-minimo