A defesa da proteção de dados e a guerra eletrónica entre os Estados Unidos, China e Rússia são temas em destaque na 12.ª edição. A agenda de 2019 foca-se ainda na sustentabilidade das diversas áreas da economia e nos problemas emergentes dos avanços tecnológicos. “Temos como objetivo mudar as previsões pessimistas que nos são apresentadas todos os dias. Desde futuras oportunidades às questões que afetam o equilíbrio social e a justiça em todo o mundo”, esclareceu a secretária-geral do evento, Matilde Guimarães Lopes.

O OPOMUN 2019 vai receber escolas de cinco países, para além de Portugal: Turquia, Dinamarca, Espanha, Itália e Tunísia, num total de mais de 50 nacionalidades entre os participantes.

O evento consiste numa simulação das Nações Unidas onde jovens de vários países se juntam para discutir assuntos de grande importância no palco mundial. Os procedimentos do debate seguem os das Nações Unidas, tentando recriar o mais fielmente a sua dinâmica. Os participantes têm a possibilidade de explorar e defender os pontos de vista dos países que representam. A conferência tem o objetivo de aprofundar a arte da negociação e motivar o gosto pelo debate político, pelo que os delegados têm de aprender a arranjar um compromisso entre os seus interesses como nação, mas também de ter em consideração o bem geral de um mundo interligado.

A organização do OPOMUN conta com o apoio da Câmara Municipal do Porto e do Museu da Misericórdia do Porto (MMIPO), numa edição que abre também o ângulo do turismo e da cultura, com uma visita guiada pelas ruas da cidade do Porto no primeiro dia da conferência.