Magia das marionetas é para todos

A Revista Pontos de Vista visitou o Museu da Marioneta, no Convento das Bernardas, em Lisboa. Um museu inteiramente dedicado ao teatro de marionetas.

452

O teatro de marionetas, também designadas como títeres, bonifrates ou robertos, existiu em quase todas as civilizações e em quase todas as épocas.

Na China, na Índia, em Java e em muitas outras partes do Oriente, o teatro de bonecos tem uma tradição antiga que é impossível determinar quando começou. A história do teatro de marionetas em Portugal ainda não está na sua totalidade construída. Porém, na Europa, existem registos e referências desde a Idade Média a este tipo de teatro. À época, eram utilizadas na igreja por forma a difundir a fé cristã.

Na Europa do séc. XVI, na igreja apenas se falava latim e, portanto, a maior parte da população não entendia o que ouvia. Para que algumas liturgias fossem explicadas, recorria-se às marionetas para contar a história e assim passar a mensagem.

Com o Concílio de Trento, as marionetas são proibidas nas igrejas e nessa altura passam para a rua (SÉC. XVI), sobretudo as marionetas de luva por serem mais fáceis de transportar de manipular.

Nos séculos XVII e XVIII, as elites começam a criar a tendência de ter nas suas festas momentos de marionetas de fios e desta forma a arte sobreviveu bem até ao Séc. XX. Porém, com o aparecimento da rádio e posteriormente da televisão, o teatro de marionetas infantilizou-se e passou a ter como público-alvo as crianças.

No entanto, havia sempre quem entendesse que as marionetas iam muito além do universo infantil. Um dos grandes nomes é Henrique Delgado, tido como o grande investigador que recolheu e divulgou muito daquilo que hoje se conhece do teatro de marionetas em Portugal. Apesar de esforços por parte de marionetistas, por cá, na televisão as marionetas foram usadas em espetáculos apenas para crianças…

MUSEU DA MARIONETA

Criado em 1987 pela Companhia de Marionetas “São Lourenço e o Diabo” de Helena Vaz e do José Alberto Gil que se dedicava à realização de espetáculos pelo país e pelo estrangeiro. Encontra-se, desde Novembro de 2001, no Convento das Bernardas.

Este museu é inteiramente dedicado à interpretação e divulgação da história da marioneta e difusão do teatro do género, percorrendo a história desta expressão artística através do mundo, apresentando os diferentes tipos de marionetas e as diversas abordagens que elas permitem, com especial relevo para a marioneta portuguesa.

Aquilo que começou com um espólio pequeno, tem vindo a aumentar, muito devido a doações de colecionadores e por depósitos.

Hoje já detêm coleções de quase toda a parte, desde marionetas e máscaras do sudeste asiático e africanas do colecionador Francisco Capelo, com exemplares de máscaras e marionetas orientais, de Java, Bali, Sri Lanka, Birmânia, Tailândia, Índia, Vietname, China, mantendo os núcleos das mais significativas famílias de marionetas europeias e brasileiras.

Com um trabalho fundamental para a promoção destes espetáculos, o Museu da Marioneta tem conseguido provar que as marionetas não são apenas para crianças.

Desde marionetas de sombra, de água, de fios, de máscara, ali estão representadas as famílias de marionetas mais importantes da Europa e portuguesas. Das suas exposições fazem parte mais de mil peças e marionetas de todos os tipos de técnica de manipulação e máscaras provenientes das mais diversas partes do mundo e de várias culturas.

COISAS PARA VER O ANO TODO

Existem duas exposições anuais temporárias no museu. A primeira deste ano, é em parceria com o Festival Monstra e dedicada ao cinema de animação que está disponível para visitar a desde fevereiro. A segunda, acontece a partir de junho em que o espólio do museu é exposto.

Entre as exposições também se realizam alguns espetáculos para os mais novos e para os mais velhos amantes da arte.

O museu desenvolve ainda um serviço educativo que engloba todas as idades, com visitas orientadas, oficinas de construção de marionetas, festas de aniversário e as Manhãs Criativas para pais e filhos (sempre no último domingo de cada mês). As marionetas são para todas as idades devido à sua transversalidade a tantas áreas e começa a ser utilizada enquanto instrumento pedagógico.

“MUSEU À MEDIDA”

A pensar no desenvolvimento criativo e interpessoal, o museu criou o “Museu à Medida”, uma proposta que pretende agir enquanto facilitador para o desenvolvimento de competências no processo de aprendizagem das várias disciplinas, possibilitando o contacto com diversos meios de expressão artística, promovendo a prática ativa da exploração de materiais e o confronto com diferentes culturas. O projeto está pensado para ser desenvolvido com escolas e instituições culturais.

Henrique Delgado dizia que “dar vida a um ser inanimado é o ato supremo da criação”. Por isso, deixe-se surpreender e visite um espaço onde há sempre histórias para serem contadas e que surpreendem do início ao fim.

AGENDA FEVEREIRO 

9 DE FEVEREIRO, 10H30:

OS FANTOCHES TAMBÉM AMAM – INÊS PINA

RESERVAS E INFORMAÇÕES: museu@museudamarioneta.pt  – 213 942 810

24 DE FEVEREIRO, 10H30:

BETTHA DALA KHOLA, MÁSCARAS DO SRI LANKA

RESERVAS E INFORMAÇÕES: Sujeito marcação prévia.: 21 394 28 10 ou museu@museudamarioneta.pt