Direção de Recursos Humanos
Carla Carvalho

Como chegou até à ALD Automotive e quais diria que são as suas motivações de futuro?

A minha presença dentro do Grupo Société Generale é vasta e a minha passagem para a gestora de frotas do Grupo acabou por ser natural. Sendo o nosso core business a gestão de frotas, trabalhar sobre a mobilidade dos nossos Clientes e dos nossos colaboradores em particular, de uma forma corporativa, coerente e justa, é talvez o meu maior desafio futuro.

Outra missão importante e pertencendo o Renting a um setor fortemente competitivo, passa por integrar os nossos colaboradores numa transição energética responsável, promovendo a experiência e formação para o conhecimento destas novas tecnologias. É importantíssimo desenvolver internamente as competências de futuro, só assim conseguiremos acompanhar as novas formas de mobilidade e de inovação existentes a grande velocidade no nosso setor. Um exemplo recente foi a disponibilização aos nossos colaboradores da Electric Mobility station, que lhes permite conhecer uma forma de mobilidade interna, elétrica, atual e disruptiva.

Sendo a Diretora de Recursos Humanos da marca, a sua função assenta na relação com as pessoas. O que é para si mais difícil neste exercício de gerir pessoas?

Vivemos numa época de rápido avanço tecnológico nas organizações e gerir relações humanas nestas alturas é realmente desafiante. Neste contexto dar a devida valorização aos nossos colaboradores que são a alavanca principal do crescimento do nosso negócio é essencial. Pessoas que têm a capacidade de inovar e de pensar “fora da caixa” e que são capazes não só de desempenhar a sua função, mas de criar, surpreender e fazer a diferença. Por essa razão, criámos o ano passado um grupo de inovação, composto por colaboradores que trabalham em conjunto para trazer projetos diferentes e inovadores para a empresa.

Sente que ainda existe preconceito relativamente a mulheres líderes no universo dos negócios?

As mudanças implementadas em conjunto com as políticas de recursos humanos funcionam como agentes de mudança da cultura da empresa. A ALD Automotive aposta numa forte cultura de igualdade e inovação, onde as pessoas têm a capacidade de se adaptar rapidamente e agarrar o sentido de oportunidade, assumindo assim um papel vital e crucial no crescimento da empresa, seja Homem ou Mulher.

Como exemplo, a empresa tem mais de 100 colaboradores com um grande equilíbrio, de 46% sexo masculino e 54% do sexo feminino. Acreditamos que valores humanistas como a liberdade de trabalho, a igualdade de género e de direitos, a autonomia e responsabilidade têm um peso essencial nas organizações.

Que mensagem gostaria de deixar a todas as mulheres que irão ler a sua entrevista?

As lutas e conquistas dos direitos de género são notórias para toda a humanidade, mais liberdade e mais igualdade. Hoje em dia o perfil das Mulheres é muito diferente daquele do começo do século, e felizmente existe um maior equilíbrio em termos de género, quer no âmbito familiar, quer no mundo do trabalho.  Atualmente, as mulheres têm maior destaque no mundo dos negócios, por exemplo, os Membros da Direção da ALD Automotive Portugal são compostos por 50% de mulheres, e existem políticas nacionais e internacionais que incentivam a diversidade e a igualdade de géneros nas equipas. Já está mais do que provado que as mulheres são profissionais e perfeitamente capazes de conquistar aquilo que ambicionam e de efetuar transformações profundas no curso da história.

Bem sei que ainda existem realidades muito diferentes da nossa, onde as lutas em busca da salvaguarda de direitos das mulheres é crucial. É preciso acreditar na mudança e continuar a lutar por uma vida condigna para todos.

Direção de Parcerias
Patrícia Sanches

Patrícia Sanches é, atualmente, Diretora de Parcerias da ALD Automotive, sendo um cargo de enorme responsabilidade. Como analisa o seu trajeto até aos dias de hoje?

O meu trajeto foi sempre muito ligado à área comercial, num percurso enriquecedor nesta área tanto em Portugal como a nível internacional, que me permitiu assumir este recente desafio e contribuir de forma positiva, assim o espero, para o desenvolvimento e crescimento da área de parcerias e do produto de Renting em Portugal.

Há um enorme potencial de clientes que pretendem um Renting e que não o procuram necessariamente junto de uma gestora de frotas. Aqui o nosso papel é fundamental para selecionar e dotar os nossos parceiros de ferramentas para converterem essas oportunidades eficazmente.

O meu objetivo passa por dar continuidade à imagem de liderança e notoriedade da marca ALD Automotive na distribuição indireta, fortalecendo a relação junto dos atuais parceiros, bem como abordar novas soluções de parcerias.

As mulheres empreendedoras têm vindo crescer e a conquistar o seu espaço. Mas é suficiente? Existem as mesmas oportunidades para mulheres e homens?

Sim, sem dúvida. Sou talvez a mais recentemente nomeada para um cargo de direção na ALD Automotive Portugal. Cresci no Grupo ALD Automotive e sempre senti a igualdade entre homens e mulheres como ponto estratégico de atuação da empresa. Se assim não fosse, o convite para desempenhar funções e adquirir experiência internacional na sede da empresa em Paris, e agora como parte da direção em Portugal, não teria sido possível.

De igual forma, a presença feminina é cada vez maior no mundo dos negócios. É fácil ser-se mulher no mundo dos negócios? Alguma vez sentiu dificuldades ou enfrentou obstáculos pelo facto de ser mulher?

Falamos muitas vezes entre nós, sobre a igualdade e a presença das mulheres no mercado automóvel, num mundo que era até há uns anos quase que exclusivo do perfil masculino. A verdade é que nunca senti dificuldades/condescendência pelo facto de ser mulher, talvez por pertencer a uma empresa onde claramente essas diferenças não existem. No entanto, é nitidamente um setor de negócio dominado por homens.

Se pudesse mudar algo imediatamente de forma a tornar um mundo melhor para o universo feminino o que seria?

O equilíbrio entre a família e o trabalho é fundamental para que o percurso nas duas áreas seja bem-sucedido e complemente a mulher enquanto ser individual/ mãe/ profissional. Numa perspetiva mais abrangente, em termos universais, o acesso à educação, liberdade de expressão e de escolhas mais do que essencial, é uma questão de justiça. É desolador que nalguns países ainda seja um direito a alcançar, parece uma realidade tão distante da nossa, só temos de estar gratas às feministas que conquistaram a igualdade. É um longo caminho a trilhar e começámos com alguns séculos de atraso.

Que mensagem gostaria de deixar a todas as mulheres que irão ler a sua entrevista?

Serem otimistas à partida, e acreditarem que pelo facto de sermos mulheres já estamos dotadas de capacidades que nos permitem estar em clara vantagem!

Direção Financeira

Marta Lopes de Armada

O que considera que no seu trabalho é mais desafiante?

Assumindo uma função de responsabilidade numa multinacional de relevância como é a ALD Automotive e sendo a marca e o Grupo em que se insere cotados em bolsa, surgem naturalmente desafios diários para garantir o controlo da atividade, minimizando todos os riscos inerentes ao negócio.

A minha posição exige uma aprendizagem constante e uma visão muito atenta e abrangente face à complexidade da dinâmica do negócio, numa empresa onde a inovação é uma prioridade.

Como caracteriza o seu percurso até ao momento na empresa?

O meu percurso na ALD Automotive foi sempre marcado por desafios dentro da área financeira, criando processos e estruturando funções e equipas ao longo do tempo. Ter tido a oportunidade de criar as fundações do Reporting, Controlo de Gestão e Análise de Risco, assumindo também a responsabilidade pela Contabilidade, permitiu-me ter as bases essenciais para manter o equilíbrio entre os pontos críticos do departamento financeiro e do negócio.

O que é mais difícil quando se é mulher e se constrói, também, uma carreira?

Assumindo uma função de Direção e tendo um foco absoluto no rigor da informação e no cumprimento de prazos e de reporte ao acionista, a gestão familiar é sem dúvida um desafio. A chave passa por manter o equilíbrio entre os objetivos da esfera pessoal e profissional, formando e atribuindo autonomia e sobretudo, confiando nas equipas que me acompanham.

Se pudesse mudar algo imediatamente de forma a tornar um mundo melhor para o universo feminino o que seria?

Na verdade, sinto-me privilegiada por pertencer a uma empresa onde existe igualdade de oportunidade entre géneros.

Penso que a criação de uma plataforma de partilha de realidades como a ALD Automotive, poderá estruturar as bases para as empresas seguirem os casos de sucesso e implementarem medidas de oportunidade para a valorização pelo mérito, independentemente do género.

Que mensagem gostaria de deixar a todas as mulheres que irão ler a sua entrevista?

A confiança em desempenhar qualquer função e acreditar na capacidade de adaptação são as bases para eliminar barreiras. Acredito que a mudança de mentalidade passa pela atitude. Atitude para informar, atitude para agir e atitude para mudar.

Direção Qualidade

Susana Jacinto

Num mercado de trabalho onde as questões ligadas à Qualidade e serviço ao cliente são cada vez mais fulcrais, que características indicaria como sendo fundamentais para um líder e gestor desta área?

O Cliente procura cada vez mais um serviço de qualidade prestado com a máxima eficiência. Por isso, diria que a experiência, o conhecimento, o profissionalismo, a competência, a dedicação, aliados a uma atenção ao detalhe, a uma maior exigência, e capacidade de inovação, são talvez as características fundamentais para um gestor nesta área.

Assegurar um processo em melhoria continua e focado na satisfação do Cliente fazem parte das competências necessárias, numa área cada vez mais competitiva e onde o Cliente é cada vez mais atento à qualidade do serviço que lhe é prestado.

A desigualdade do género assume-se como um obstáculo à evolução. Durante a sua carreira, alguma vez sentiu ou enfrentou obstáculos pelo simples facto de ser mulher?

Com mais de 20 anos de experiência profissional, metade dos quais como elemento da Direção da ALD Automotive, posso afirmar que o facto de ser mulher nunca constituiu um obstáculo na minha evolução profissional na empresa. Ter tido a oportunidade de evoluir na função, de ter atualmente a meu cargo áreas que requerem um elevado grau de ética, exigência, rigor e conhecimento, como a gestão de risco e controlo interno, a gestão da qualidade e a conformidade, evidenciam o reconhecimento e a confiança que a empresa sempre depositou em mim ao longo do meu percurso profissional.

O que falta, na sua opinião, para que a igualdade de oportunidades seja cada vez mais uma realidade?

A igualdade de oportunidades já é uma realidade dentro da ALD Automotive, foi sempre um tema presente, e promovido de forma recorrente pelo Grupo (que tem origens francesas). Em Portugal, como empresa que presta serviços, apesar de estarmos ligados a um setor que poderíamos dizer como “tendencialmente masculino” – o setor automóvel, sempre vi as oportunidades surgirem, tanto para a evolução na função, como para a mobilidade interna e externa. Exemplo disso é o número de mulheres que temos em cargos de responsabilidade na empresa, que entraram nos programas de mobilidade, inclusive dentro do Grupo.

Se pudesse mudar algo imediatamente de forma a tornar um mundo melhor para o universo feminino o que seria?

Não é uma questão fácil. Estamos numa era de grande mudança cultural e evolução tecnológica onde as questões de género já não deveriam ser questões e onde deveríamos poder evoluir de forma natural, sem ser “por decreto”.

Que mensagem gostaria de deixar a todas as Mulheres que irão ler a sua entrevista?

A competência, o profissionalismo, a responsabilidade, a ética, a perseverança e o compromisso, aliados a um equilíbrio entre vida profissional e vida pessoal, são os fatores chave para o sucesso em qualquer atividade.

De qualquer forma, devemos celebrar o facto de, mesmo com todos os desafios com que nos deparamos no dia-a-dia, conseguirmos estar, conseguirmos ter presença, conseguirmos ser mulheres!