A MBA é uma empresa de distribuição de produtos da área da saúde, catalogados em três áreas distintas: ortopedia, cirurgia geral e anestesia. Presente na Península Ibérica há cerca de 30 anos e no mercado português há 20 anos, foram já vários os projetos levados a cabo pela MBA em países europeus durante o seu percurso. Tendo como pilares a tecnologia, o serviço prestado e o conhecimento, hoje é com orgulho que Vítor Morais nos diz que, pelo segundo ano consecutivo, a MBA está a crescer acima dos dois dígitos.

“A nossa presença no mercado enquanto empresa multinacional coloca-nos em países como Itália e Espanha, assim como em Portugal. Nos três países estamos a crescer acima do que o mercado faz, conseguindo aumentar a nossa quota, ano após ano. Estamos muito orgulhosos da unidade de negócios portuguesa, liderada por Vítor Morais, pelo crescente respeito que está a gerar entre a comunidade médica portuguesa e pelo elevado nível de serviço e profissionalismo que a sua equipa desenvolve no seu dia adia”, acrescenta Carlos Marina, CEO da MBA.

Quais são as novidades dos últimos anos neste setor?

Posso dizer que a maior novidade a nível da afetação das empresas prendeu-se, não tanto com o produto em si, mas sim com a crise que o país atravessou há alguns anos. Sendo nós uma empresa de distribuição de produtos, essa crise acabou por nós bater à porta mais cedo. No entanto, a MBA soube reagir, adaptar-se e posicionar-se num bom caminho. Procurando constantemente pelos melhores produtos e materiais inovadores que acarretem mais-valias à empresa, paralelamente, a MBA tem vindo a apostar fortemente na formação externa e interna dos seus colaboradores.

Enquanto empresa de distribuição temos uma maior capacidade de nos adaptarmos ao mercado e de assumir uma posição crítica perante os produtos que distribuímos e presentes no mercado. Com a ajuda dos nossos colaboradores e parceiros apostamos nos produtos com um forte potencial, assumindo-nos, assim, referentes no mercado, com um papel importante em algumas especialidades e na sua expansão, bem como na influência dos comportamentos de consumo do cliente. Somos uma parte ativa das empresas fabricantes.

A posição crítica relativamente aos produtos, a pesquisa e a procura de opiniões sobre os produtos internacionais são fatores que nos permitem criar confiança entre os demais profissionais de saúde.

Começaram o vosso percurso nas Astúrias, marcando um ponto decisivo no entendimento da traumatologia e ortopedia. De que forma?

Este tem sido um logo caminho. Há mais de 30 anos que estamos no mercado, o qual se tem revelado bastante promissor. Foi um caminho de entendimento, de análise e, principalmente, de autocrítica sobre todo o trabalho que viemos a desenvolver ao longo do tempo. Procurámos sempre atender às necessidades dos clientes e de quem queremos servir, pois é aí que está o nosso passado e o futuro. Isto levou-nos, em primeiro lugar, a um levantamento constante das necessidades do mercado e, especificamente, dos nossos clientes, e, em segundo lugar, à procura constante de produtos de qualidade de forma a evoluir e a servir essas necessidades do mercado. Efetivamente, conseguimos estar presentes de forma diferente juntos dos nossos clientes e dos nossos parceiros e conseguimo-lo baseando-nos em três fatores: equilíbrio – orientado para um negócio estável e duradouro, com base no respeito e transparência com os nossos clientes; confiança – tanto no serviço que prestamos ao cliente como na nossa capacidade de resposta célere, nos produtos que obtemos e que fornecemos aos nossos clientes, e na proximidade. Com cerca de 280 colaboradores na distribuição e venda, a MBA tem a maior rede comercial a nível Ibérico; por fim, o conhecimento e o forte know-how que temos no setor da saúde. Acima de tudo, procuramos ser considerados parceiros no trabalho e nas dificuldades e procuramos ser sempre parceiros íntegros e de confiança.

Em 1999 expandiram a vossa atuação para um nível internacional e chegaram a Portugal. Que balanço faz destes últimos 20 anos?

As mudanças em Portugal, e não só nestes últimos anos, foram tremendas. Foram mudanças a nível tecnológico, político, económico, mas também a nível social. Neste percurso a MBA passou por altos e baixos, acompanhando não só as tendências do mercado como as próprias dificuldades sociais que existem. A verdade é que sobrevivemos a muitas mudanças e podemos dizer que hoje a MBA goza de uma saúde estável e com expectativas para o futuro promissoras.

Não posso deixar de referir a qualidade do grupo de trabalho que representa a MBA. Queiramos ou não, no meu entender, quem faz as empresas e o nome das empresas são as pessoas que lá trabalham e não há maior satisfação a nível profissional do que ver uma equipa bem formada, motivada e que tem gosto pelo que faz no dia a dia. O trabalho de equipa que aqui se tem feito trouxe-nos até onde estamos hoje. Por isso aproveito para reconhecer a pessoas que fizeram e fazem a MBA, pelo seu esforço e dedicação.

Para concluir, o balanço é muito positivo. Permitiu-nos conhecer o mercado, analisar as suas carências e dificuldades, as dificuldades dos clientes e, principalmente, as nossas próprias dificuldades. Conseguimos reorganizarmo-nos e, neste momento, encaramos o futuro com muito otimismo.

A medicina é uma ciência em constante mutação e adaptação – o que faz com que de novas teorias saiam novas terapêuticas, técnicas e por isso novos materiais. Que desafios e oportunidades são então esperados para este setor?

Esta é uma área que está em constante evolução e mutação. Estão sempre a surgir novas técnicas e materiais e se pensarmos sobre onde é que estávamos há 30 anos e se refletirmos um pouco sobre isso, leva-nos a questionar onde é que estaremos nos próximos 30 anos com a tecnologia que temos hoje disponível e com os avanços tecnológicos que vão continuar a verificar-se. Por um lado, a população tem sofrido com o aumento de algumas doenças como as doenças oncológicas que são a segunda maior causa de mortes em Portugal ou as doenças vasculares, a primeira causa do maior número de mortes no país. No entanto, a esperança média de vida tem vindo a aumentar drasticamente. Olhemos para o forte trabalho desenvolvido pelo Serviço Nacional de Saúde através dos programas de rastreios que têm vindo a ser lançados no âmbito das doenças oncológicas e a tentativa de controlo das doenças vasculares através, igualmente, de rastreios. As pessoas vivem mais tempo, mas não querem apenas viver mais anos. Querem viver com uma maior qualidade de vida. Hoje, as pessoas estão mais informadas e são muito mais exigentes, quer com os profissionais de saúde quer com o próprio Serviço Nacional de Saúde. Neste sentido, e analisando os últimos anos, a evolução do setor foi gritante.

Os avanços tecnológicos na medicina são constantes e proporcionam aos médicos, cientistas e pacientes novidades na cura e tratamento de doenças. No entanto, a tecnologia também nos leva a perder muitas coisas no que diz respeito à condição social e humana. E isso preocupa-nos porque a saúde também é feita dessa parte, da interação e da relação humana.

Em 2017 a marca renovou-se e passou a ser MBA Surgical Empowerment sob o qual operam a MBA e Bioser. Porquê este rebranding e que novidades vieram com ele?

Em 2015, e depois da Alantra, um Fundo de investimento global, ter adquirido a maioria do capital social da MBA, iniciaram-se mudanças significativas na MBA, principalmente a nível de direção de equipas e na abordagem que se fazia ao cliente. Neste ano de 2017 a MBA e a Bioser convertem-se em duas divisões especializadas sob a chancela da MBA Surgical Empowerment. A marca criada reflete uma nova etapa para a MBA, mas vem também acrescentar ao nome um cunho que permite à MBA, por um lado, ser mais facilmente reconhecida pelo público que não conhece a sua área de atuação. A nova marca reflete, ainda o nosso valor diferencial: a possibilidade de dar “poder” aos profissionais de saúde. Entendemos este poder como sinónimo de capacidade e de habilidades, tanto na sala de operações, através dos produtos que distribuímos e do serviço de proximidade que nos distinguem, como através do campo de formação e de investigação que fornecemos.

A MBA tem vindo a procurar o equilíbrio entre o progresso e a sua atividade, onde as preocupações ambientais e a sustentabilidade estão sempre presentes, bem como o desenvolvimento social. O trabalho desenvolvido pela MBA sustenta-se, assim sendo, e desde sempre, em três linhas: na investigação, iniciando-se uma série de projetos com universidades com o objetivo de difundir canais inovadores na área da biomecânica; na ação social, onde estão bem vincadas contribuições, todos os anos, a diferentes Organizações não Governamentais (ONGs), Fundações e Entidades de Interesse Público na área da saúde, através da doação de materiais e equipamentos para o desenvolvimento das suas atividades; patrocínio e participação em atividades de inovação no campo da bioengenharia e disciplinas STEM (ciência, tecnologia, engenharia e matemática), bem como o patrocínio de atividades desportivas e de promoção da saúde.

Em conexão com o nosso compromisso com o meio ambiente, temos um Sistema Integrado de Gestão da Qualidade e Ambiente baseado e certificado segundo as normas internacionais ISO 9001 e ISO 14001. Estes fatores contribuíram para que, em 2017, se renovasse então a marca, nascendo, assim, a MBA Surgical Empowerment.