A Reserva de Conservação do Deserto do Dubai e o Emirates One&Only Wolgan Valley, na Austrália, representam o compromisso de longa data do Grupo na proteção de ecossistemas frágeis e no apoio ao turismo sustentável em diferentes partes do mundo. Ambas as reservas de conservação protegem ecossistemas valiosos e, ao mesmo tempo, proporcionam experiências únicas e sustentáveis ​​para os visitantes de todo o mundo.

A Reserva de Conservação do Deserto do Dubai

O Emirates Group financia as operações da Reserva de Conservação do Deserto do Dubai, de 225 quilómetros quadrados (DDCR em inglês), um habitat no deserto que é protegido pelo Governo desde 2003. Esta é a maior área que o Dubai dedicou a um único projeto e que visa preservar o ambiente único do deserto do Dubai para as gerações futuras. A DDCR assume um papel importante na pesquisa ecológica, colaborando ativamente com universidades locais e internacionais. As descobertas e resultados das pesquisas têm ajudado a melhorar o conhecimento sobre o ecossistema do deserto, reunindo dados científicos sobre espécies raras e ameaçadas do deserto, acabando também por monitorizar o seu equilíbrio e a preservar o seu ambiente natural.

Em 2018, a DDCR recebeu a visita de mais de 285.000 turistas, através da Arabian Adventures, de vários operadores turísticos parceiros da Emirates e do Al Maha Desert Resort. A DDCR oferece experiências no deserto, além de atividades de limpeza do deserto em coordenação com a Arabian Adventures. Durante o ano passado, a DDCR foi aceite como candidato à Lista Verde da IUCN para Áreas Protegidas e Conservadas, um padrão global para as Áreas Protegidas mais bem geridas do mundo.

Emirates One&Only Wolgan Valley

Já há mais de 10 anos que a Emirates apoia a proteção da vida selvagem e da flora da Austrália, através do Emirates One & Only Wolgan Valley, em New South Wales. A propriedade foi o primeiro resort de luxo do mundo a receber uma certificação internacional pela CarboNZero, baseada na Nova Zelândia, a qual passou por uma avaliação abrangente das emissões de gases de efeito estufa. O Emirates One & Only Wolgan Valley também realiza pesquisas regulares para identificar oportunidades e desafios para a conservação de espécies ameaçadas.

A Emirates e o Emirates One&Only Wolgan Valley financiaram em conjunto o desenvolvimento da aplicação e do site WomSAT em colaboração com a Universidade de Western Sydney para ajudar os investigadores a identificar oportunidades para a conservação do vombate – os vombates são uns animais com origem australiana que estão a ser ameaçados pela sarna sarcótica, uma doença de pele, muitas vezes fatal. Esta ferramenta é usada para registar sempre que se avistam estes animais e rastrear a saúde da população desta espécie, de modo a contribuir para o tratamento dos vombates afetados pela sarna sarcótica. O Emirates One&Only Wolgan Valley também está a liderar uma série de outros projetos de conservação, como o Projeto de Restauração do Rio Wolgan, um programa contínuo de manuseamento de ervas daninhas e apoio a projetos de pesquisa com a Universidade de Western Sydney.

Unidos pela vida selvagem e pela Declaração de Buenos Aires

Desde 2015, a Emirates continua o seu forte apoio em ações para travar o comércio ilegal da fauna e flora selvagens, que está a ter consequências devastadoras para os animais ameaçados em muitas partes do mundo. Em 2018, o Emirates Group também assinou a Declaração de Buenos Aires sobre Viagens e Turismo e o Comércio Ilegal de Animais Selvagens, uma iniciativa que está a ser liderada pelo Conselho Mundial das Viagens e Turismo (WTTC em inglês) com o objetivo de alcançar mil milhões de viajantes através de mensagens para travar o comércio ilegal de animais selvagens e trabalhar com as comunidades para desenvolver um turismo sustentável que forneça os meios de subsistência e proteja a vida selvagem. O WTTC e o World Wildlife Fund estão a desenvolver diretrizes para eliminar o tráfico ilegal de vida selvagem.

O Emirates Group adotou ainda uma política de tolerância zero ao tráfico de animais selvagens e criou formações específicas para que seus colaboradores vigiassem e soubessem identificar sinais de alerta de contrabando de animais selvagens durante o transporte e a triagem de cargas. A Emirates não transportará espécies proibidas, troféus de caça ou quaisquer produtos associados a atividades ilegais de vida selvagem.

Usando o seu reconhecimento enquanto marca para aumentar a consciencialização sobre o tráfico ilegal de animais selvagens ameaçados, a Emirates apresentou quatro dos seus A380 com decalques especiais inspirados nos animais selvagens. Desde então, os aviões já voaram milhões de quilómetros em 48 cidades, em 29 países, em cerca de 6.000 voos, levando esta mensagem importante pelo mundo inteiro e estimulando conversas sobre a preservação da vida selvagem.

Conservação e Natureza da Vida Selvagem dnata

A dnata assinou recentemente um memorando de entendimento (MOU) com a Universidade de Pretória na África do Sul para apoiar os seus projetos de pesquisa e reabilitação. Sob o dnata4good, a parceria visa salvaguardar a vida selvagem e o meio ambiente, fortalecendo e melhorando a pesquisa, formação e consciencialização veterinária. Além disso, aumentar ainda o envolvimento através de oportunidades de voluntariado e garantir medidas necessárias para cuidar de animais feridos e reabilitá-los para voltar à natureza. A iniciativa será parcialmente impulsionada pela participação dos colaboradores para proteger a biodiversidade na África do Sul e manter os ecossistemas equilibrados.

Oferta de um Ghaf

Os funcionários do Emirates Group que moram em Meydan Heights (Emirados Árabes Unidos) poderão participar num evento, a 27 de abril, para a plantação de árvores Ghaf, em parceria com a Goumbook. O evento tem como objetivo consciencializar para a importância da conservação do deserto, com um foco específico na árvore Ghaf. O Ghaf é uma árvore tolerante à seca, que suporta ambientes desérticos severos e que pode ser utilizada para fins de florestação, economizando água.