Dia da Língua Portuguesa e da Cultura na CPLP

Em 2009, institucionalizou-se o dia 5 de maio como o Dia da Língua Portuguesa e da Cultura na Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP). Pretendia-se, dessa forma, promover a afirmação da Língua Portuguesa e da diversidade cultural existente no espaço da nossa Comunidade, bem como impulsionar a visibilidade da CPLP nos contextos nacional, comunitário e internacional.

876

Desde então, têm-se multiplicado a cada ano as celebrações do 5 de maio, por meio de iniciativas promovidas pelos Estados da CPLP, tanto membros como associados, pelas respetivas missões diplomáticas, pelas universidades e leitorados de português, pelas associações das diásporas e por muitos cidadãos apaixonados pela nossa língua e pela nossa cultura.

Em 2019 não foi diferente. Ao longo das últimas semanas, o Dia da Língua Portuguesa e da Cultura na CPLP tem sido comemorado em diversas cidades em todo o mundo, inclusive na sede da CPLP, em Lisboa, onde decorre, em colaboração com numerosos parceiros da sociedade civil, um importante calendário de eventos públicos que se prolongarão até ao mês de junho.

A língua portuguesa é hoje falada por cerca de 260 milhões de pessoas espalhadas por todos os continentes. É a língua mais falada no hemisfério Sul, e é também uma das línguas mais usadas na internet e nas redes sociais. As projeções demográficas das Nações Unidas preveem que o número de falantes de português poderá aumentar para 500 milhões até ao final do século, o que indica um crescente valor geoestratégico.

Mais do que um mero instrumento de comunicação, toda a língua carrega consigo valores, modos de pensar e a herança do universo cultural onde se desenvolveu. Nesse sentido, a Língua Portuguesa é um património comum dos nossos países, que foi sendo alimentado ao longo dos séculos com as contribuições de todos os seus falantes, e que hoje manifesta e reflete toda a diversidade do nosso espaço. A nossa língua comum é também um importantíssimo recurso, capaz de gerar riqueza e criatividade nos planos simbólico e material, para nós e para as gerações futuras.

É essa língua diversa que possibilita e favorece o estabelecimento do diálogo entre os Estados-membros da CPLP. Partilhar o mesmo idioma facilita o nosso entendimento na esfera política, a nossa troca de experiências e de conhecimentos na área da cooperação, e pode ser ainda uma eficiente ferramenta para alavancar negócios e investimentos. Por tudo isto, a promoção e a difusão da Língua Portuguesa adquirem especial relevância no âmbito da nossa Organização.

As três conferências internacionais sobre a promoção do português no sistema global, promovidas pela CPLP, indicaram já os principais elementos a trabalhar, salientando-se, entre outros, a pluricentralidade da Língua Portuguesa, o ensino e a formação em língua portuguesa em contextos multilingues, o potencial económico da língua portuguesa e a promoção da cultura, da ciência e da inovação em língua portuguesa.

Em paralelo, é indispensável que continuemos a fortalecer a atuação do Instituto Internacional da Língua Portuguesa (IILP), instituição vinculada à CPLP com sede na Cidade da Praia, que tem a missão de prestar apoio técnico à CPLP no que diz respeito à elaboração e implementação de políticas e planos de promoção e difusão da língua portuguesa.

Ao abordar a problemática da Língua, haverá igualmente que ter presente que, dentro dos próprios países que integram a CPLP, a utilização da Língua Portuguesa não é homogénea. Nesse sentido, é preciso, com base na situação concreta de cada país, desenvolver estratégias para a difusão e o fortalecimento da língua a nível nacional. E temos que valorizar também a promoção da Língua Portuguesa junto das nossas diásporas, ao mesmo tempo que se incentiva a promoção e a difusão da língua portuguesa em países terceiros, ou seja, o ensino do português como língua estrangeira.

Finalmente, a adoção da Língua Portuguesa como língua oficial e de trabalho em organizações internacionais, especialmente no âmbito das Nações Unidas, é uma área muito discutida e de grande visibilidade. Trata-se de um processo gradual, que exige um esforço conjunto, desde logo financeiro, de todos os Estados-Membros da CPLP.

É importante, assim, reiterar que a Língua Portuguesa não é apenas um traço identitário original do espaço da CPLP. É sobretudo um ativo geopolítico, económico e cultural com um potencial para o futuro cada vez mais promissor.

Opinião de Francisco Ribeiro Telles, Secretário Executivo da CPLP