A capital foi escolhida pela Comissão Europeia como lugar para discutir temas atuais sobre os oceanos à escala global, no Centro de Congressos de Lisboa.

O European Maritime Day é um evento anual promovido desde 2008 pela Direção-Geral dos Assuntos Marítimos e das Pescas (DG MARE) da Comissão Europeia que reúne mais de um milhar de intervenientes nas diferentes fileiras da economia do mar.

Apresentado como a “WebSummit do Mar”, este palco internacional de debate do mar esteve este ano focado no empreendedorismo, pesquisa, inovação e investimento, com vista a aumentar as tecnologias sustentáveis e cadeias de valor emergentes na vasta economia do mar.

O Comissário Europeu dos Assuntos Marítimos e das Pescas, Karmenu Vella, o Diretor-Geral da DG MARE (Direção-Geral dos Assuntos Marítimos e das Pescas), João Aguiar Machado, e o Presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina, foram outras presenças ilustres neste evento, organizado pela Comissão Europeia, com o apoio do Ministério do Mar de Portugal e da Câmara Municipal de Lisboa, e que conta já com a 12.ª edição das comemorações do Dia Europeu do Mar, sendo esta edição a primeira que se realiza em Portugal.

No seu discurso de abertura do European Maritime Day e satisfeita com os números associados ao evento que contou com a maior adesão de sempre, 1.400 participantes, a Ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, não pode deixar de realçar que estes números são demonstrativos da importância do Oceano, da alta dinâmica em que se encontra a economia do mar e do papel central que a União Europeia tem vindo a desempenhar no seu sucesso.

“Por isso o tema desta 12ª edição do European Maritime Day não poderia ser mais adequado: Empreendedorismo, Investigação, Inovação e Investimento Azuis. Com efeito, este é um dos vetores centrais da estratégia estruturada pela Comissão, e por isso cumprimento o Comissário Karmenu Vella, e igualmente prosseguida pelo governo português, através do Ministério do Mar”, disse a Ministra do Mar durante o seu discurso.

Salientou, ainda, que o Mar poderá ser, sem dúvida, o motor de desenvolvimento sustentável de Portugal, a via para construir prosperidade com sustentabilidade.

“Quando avançámos com a implementação da estratégia de governação inteligente do mar no início desta legislatura, lançámos um conjunto de iniciativas destinadas a efetivar um melhor ordenamento do espaço marítimo, desenvolver modelos de negócio de baixo carbono na economia azul e suplantar os constrangimentos dos custos de contexto do investidor, da fraca oferta de financiamento e de um ecossistema de inovação ainda incipiente”.

GOVERNAÇÃO INTELIGENTE DOS OCEANOS

Nos mesmos dias, na Gare Marítima de Alcântara, realizou-se a 4.ª edição do Oceans Meeting, evento promovido pelo Ministério do Mar de Portugal e que vem ganhando prestígio ao longo dos anos.

Este ano, a edição do Oceans Meeting incidiu sobre o tema central “Governação Inteligente dos Oceanos”, propondo cinco painéis para reflexão: Governação dos Oceanos e Partilha de Dados; Inovação, Startups Azuis e Financiamento; Tecnologias de Limpeza dos Oceanos; Governação dos Oceanos – Desafios dos Pequenos Estados Insulares em Desenvolvimento; Governação Inteligente dos Oceanos – Cooperação para Soluções Práticas.

No discurso de abertura do evento, a Ministra do Mar alertou para os desafios do mar. “O Oceano está no centro dos desafios globais que a Humanidade enfrenta. Desafios como o lixo marinho, as alterações climáticas, a perda de biodiversidade, a segurança alimentar e, claro, a sustentabilidade. Enfrentar estes desafios globais e ao mesmo tempo desenvolver estas novas oportunidades de riqueza implica indubitavelmente uma governação do oceano assente na exploração e utilização sustentável dos recursos marinhos. O aproveitamento dos recursos só será benéfico se for sustentável”.

É por isso que a sustentabilidade é o centro de uma governação inteligente do oceano, o tema do Oceans Meeting 2019, organizado pelo Governo através do Ministério do Mar.

“A governação inteligente do oceano é um foco estratégico que se encontra alinhado com a Agenda 2030 da ONU: agir para promover a prosperidade, protegendo o planeta. Ou seja, a erradicação da pobreza tem de estar de mãos dadas com o combate às alterações climáticas e à proteção ambiental. E o Oceano é a principal arma de combate aos efeitos nefastos das alterações climáticas”, realçou a Ministra do Mar, Ana Paula Vitorino.

O Oceans Meeting contou com a presença de organizações Internacionais como a ONU, Comissão Europeia, IMO, entre outros, e, em números revistos estiveram presentes e representados 64 países, 47 delegações, 1 chefe de Estado, 22 Ministros, 8 Secretários de Estado, 7 organizações Internacionais, 203 participantes internacionais, 100 participantes nacionais.