As novas tecnologias, as respostas da Europa às profissões do futuro, a revolucionária tecnologia de Blockchain ou a Inteligência Artificial foram alguns do temas debatidos ao longo do dia neste workshop que se pautou pela diversidade e pela partilha de opiniões, que enriqueceram quem esteve presente e quis saber mais sobre os novos conceitos bem presentes nesta era da transformação digital.

O workshop foi constituído por quatro painéis de oradores entusiastas nos temas abordados e contou com um discurso de abertura de Carolina Paixão, do Núcleo de Estudantes de Psicologia, Ciências da Educação e Serviço Social da Associação Académica de Coimbra. “É um orgulho ter jovens como a Carolina interessados por estes temas, que são atuais e têm de começar a ser pensados, pois mais cedo do que esperamos vamos ter grandes alterações nos nossos empregos, devido à robótica e às novas tecnologia”, referiu Cristiana Gonçalves, Coordenadora da Academia Jovem Aliança.

Durante a manhã o primeiro painel, constituído pelo Prof. Norberto Pires (UC), Prof. Pedro Lima (IST), Prof. Jorge Conde (IPC) e moderado pela Presidente da Associação de Estudantes do ISEC, Ana Rita Gomes, debateu a Inteligência Artificial e a Robótica.

Foi proposta uma reflexão sobre as novas tecnologias, a inteligência artificial e a importância da aquisição de competências para responder aos novos desafios.

“Nos últimos 40 anos verificou-se uma evolução tecnológica e dos sistemas. Profissões que deixaram de existiram, outras que nasceram e outras, ainda, que se reinventaram. A interação com máquinas permite-nos evoluir e fazer coisas até então impossíveis No entanto, não nos podemos esquecer da importância da interação humana”, elucidou-nos o professor Norberto Pires

Seguiu-se a área de Data Science e Aplicações sob a perspetiva do Prof. Ricardo Mendes Ribeiro (UM) e da Profª. Carla Silva (FCT) que levou consigo para a sua intervenção a robot Pi.

“Este é um projeto baseado em Inteligência Artificial e modelado por um algoritmo de aprendizagem. A Pi, nossa robot, é uma interface desse mesmo projeto, no qual pretende dar resposta à interação existente entre os nossos computadores, a mesa interativa e as plataformas digitais com conteúdos criados para os óculos VR e AR”, explica Carla Silva.

Durante a tarde e num ambiente de descontração, curiosidade e partilha, o público recebeu o presidente do partido Aliança, Pedro Santana Lopes, e o cabeça de lista do partido às Europeias, Paulo Sande para falarem sobre as respostas da Europa às profissões de amanhã.

O worshop foi finalizado com a chamada tecnologia do futuro: a Blockchain. Foi a vez do Prof. Miguel Pupo Correia (IST), Prof. Dário Rodrigues (IPS), Fred Antunes (APBC) e Nuno Lima Luz (CTSU/Deloitte Legal) debaterem as oportunidades da Blockchain.

“O workshop correu muito bem. Tivemos ótimos painéis com excelentes oradores. O público que estava na sala mostrou-se muito interessado nos temas debatidos, intervindo positivamente. A presença da “PI” dinamizou imenso o evento e estava tudo muito entusiasmado por poder estar em contacto com uma realidade que ainda não é nossa, mas que, muito em breve, vai ser”, disse-nos Cristiana Gonçalves.

DATA SCIENCE SCHOOL

O Data Science School, que incorpora uma Metodologia Pedagógica e Científica Inovadora, é um projeto que se encontra inserido no ISCIAC na Universidade Atlântica pelo seu Centro de Estudos e Investigação em Inteligência Artificial e Ciências Comportamentais (CEII-ACC) através do núcleo de investigação Inteligência Artificial e Aplicações e o núcleo de Educação, Intervenção e Desenvolvimento Comportamental.

“Associado à Investigação e Inovação desenvolvemos produtos com tecnologia diferenciadora para o mercado de software educacional, de gestão e supervisão educacional, comercializando também soluções integradoras na área de educação especial numa lógica de Inteligência Artificial”, explica-nos a professora e investigadora Carla Silva.

Neste âmbito a ISCIAC Software Technologies tem desenvolvido algumas plataformas de conteúdos para óculos de Realidade Virtual e Realidade Aumentada de modo a colaborar de forma integradora neste projeto no qual se insere a PI e outros formatos de Inteligência Artificial.

“Como Cientista e Professora, acredito que a modelação de dados e sua análise e interpretação figura na base de muitas das novas profissões do futuro, que ainda nem sequer são faladas agora, mas numa década o futuro muda exponencialmente”, conclui Carla Silva.