Apesar de muito distintas, ainda existem pessoas que desconhecem a existência destas opções de implementação ou que não sabem distingui-las. Esse conhecimento é necessário, já que muitas lojas podem estar a perder a oportunidade de poupar centenas de euros mensalmente.

Conheça as diferenças entre as formas de implementação de pagamentos referidas acima e alguns dos meios de pagamento mais utilizados atualmente em Portugal.

Em que consiste o gateway de pagamentos?

Um gateway de pagamento, ao contrário do intermediador, é mais complexo e requer um investimento inicial nas empresas de pagamento. Também existe a necessidade de recorrer a um programador ou a uma empresa para implementar o sistema.

No entanto, a longo prazo, esta torna-se uma solução mais barata, profissional e vantajosa pois os seus consumidores não irão para outra página; todo o processo de compra é realizado no seu website. Claro que, devido à simplicidade do processo, o número de vendas tende a subir.

O inconveniente do gateway passa pela necessidade de contratação para a gestão de riscos. Este valor pode ser mais baixo se adicionar determinadas condições, como a gestão apenas para produtos de valor superior a 100€, por exemplo.

Nesta opção, será necessário fazer um pagamento mensal às entidades dos meios de pagamento que quer implementar no seu website. Escolher entre um a dois métodos de pagamento será suficiente. Esta opção pode ser contratada à Redunicre e pode aceitar pagamentos com cartões das principais marcas, pagando uma taxa por transação.

Método ideal para:

  • Empreendedores que tenham suporte técnico para o seu e-commerce – mesmo que em regime freelancer;
  • Lojas que tenham um elevado volume de vendas mensais.

Em que consiste o intermediador de pagamentos?

Esta forma de implementação permite uma maior facilidade no processo de integração de pagamentos numa loja e-commerce. Com apenas alguns cliques, estes intermediadores podem ser associados à sua loja online e estará pronto para receber pagamentos online dos seus clientes.

Apesar de vantajosa a nível de instalação, esta opção apresenta taxas associadas um pouco mais elevadas em cada pagamento.

Neste método, todo o processo é feito fora do seu website, portanto é provável que alguns clientes sejam recusados – algo que podia não acontecer caso o meio fosse seu.

Método ideal para:

  • Empreendedores que estão em fase inicial na sua loja online;
  • Lojas com um baixo número de pedidos mensais.

Meios de Pagamento mais Comuns no E-Commerce em Portugal

Referência Bancária ou Cartões

Seja através do uso da referência bancária e da entidade ou através da inserção dos códigos do próprio cartão, ou  com cartões usando o serviço de 3D Secure, estas são as soluções que não podem faltar na sua loja online. São práticas e conferem uma maior segurança ao processo de pagamento.

Alguns cartões, no entanto, não possuem os códigos necessários ao uso online – falamos essencialmente do CVV ou CVC. Nestes casos, e se a loja em questão for aderente, a aplicação móvel MBWay pode ser usada como alternativa.

Através desta opção, os consumidores podem pagar apenas com o seu número telefónico ou podem criar um cartão virtual que forneça todas as informações essenciais para pagamento na sua loja.

Existem empresas que podem ajudá-lo a implementar um sistema para receber pagamentos online. Em alguns casos, conseguirá receber pagamentos de qualquer parte do mundo, tendo sempre um ambiente online seguro para os seus clientes.

Transferência Bancária

Apesar de ser uma opção que vai requerer um pouco mais de atenção da sua parte – e, provavelmente, de envolvimento do próprio consumidor, não deixa de ser uma a que os portugueses já estão acostumados e de relativa facilidade.

Nesta opção deve fornecer o seu IBAN aos consumidores e estes farão a transferência do valor a ser pago. Como recomendação, peça sempre ao cliente que envie o comprovativo de transferência no final do pagamento, para confirmar que este foi realizado.

Paypal

Esta é uma das opções mais conhecidas para fazer compras online, e uma das mais usadas atualmente. O seu uso é simples e rápido, sendo possível comprar com apenas um clique, caso o consumidor assim o deseje.

No entanto, existem portugueses que ainda sentem alguma reticência no uso deste meio de pagamento. O Paypal requer a criação de uma conta pessoal e a ligação da mesma a uma conta bancária.
E se não puder integrar uma plataforma de e-commerce no meu site?
Mesmo para os comerciantes que não possuem um site ou que não têm possibilidade de integrar uma plataforma de e-commerce no seu site, existem alternativas digitais bastante práticas.

É o caso do Redunicre@Payments, uma solução de pagamentos à distância na qual é enviado um link da transação para o email do cliente final. Através deste link, o cliente faz o pagamento e o comerciante recebe na hora o valor da compra/reserva.

Luís Inverno – SEO EXECUTIVE – UniK SEO