Constitui-se no seu programa por uma habitação principal, por duas habitações secundárias, por um edifício religioso aberto ao uso da comunidade exterior (Mesquita Hadja Oumou KOUMA), um espaço desportivo polivalente, espaços de apoio à logística habitacional como cabeleireiro, lavandaria, cozinhas tradicionais exteriores, uma piscina interior e uma central de segurança.

O edifício principal surge de um conjunto de intenções relacionadas com as vistas do Rio Niger. Relações espaciais e programáticas muito específicas onde a definição de percursos de circulação definem a relação de interior/exterior, privado/público (tendo sido este o maior desafio apresentado pelo programa pedido pelo cliente) e quais os limites de cada interveniente. Estando inserido numa cultura muçulmana, a habitação principal destina-se única e exclusivamente à utilização do chefe de família e as habitações secundárias destinam-se às respetivas esposas e famílias. O layout total do projeto está preparado para a ampliação para mais duas habitações (elementos modulares e simétricos na leitura do conjunto).

Estes percursos cruzam-se pontualmente para resolver vontades, hábitos culturais de um país com longos séculos de história e cultura e intenções concetuais do cliente, criadas de forma a potencializar ao máximo o próprio contexto urbano em que se insere, assim como enaltecer o contexto geográfico único e de uma beleza extraordinária.

As relações visuais com o Rio Niger são constantes e potencializadas estrategicamente quer pela abertura de envidraçados, quer pela criação de terraços numa cota elevada.

A habitação principal constitui-se por amplos salões em dois pisos, ligados por um vazio interior que une ambos os espaços pelas relações visuais, assim como por um elevador interior. Ligados diretamente a estes salões podemos encontrar uma piscina interior com um duplo pé-direito, uma sala de cinema, um ginásio, amplos terraços com vistas diretas para o Rio Niger e um bar. A escolha dos acabamentos e materiais foram definidas para potencializar as qualidades espaciais e o máximo conforto dos seus habitantes.

Mesquita Hadja Oumou Kouma

Inaugurada em finais de 2018, a Mesquita Hadja Oumou KOUMA insere-se no projeto Villa Niger, como um elemento primordial. Seu nome é uma homenagem à mãe do cliente. Esta constitui-se por dois espaços de oração bem definidos e separados por diferentes pisos.

A abertura desde espaço religioso a todos que o queiram utilizar nas suas práticas religiosas faz dele um ponto de encontro urbano. Um elemento unificador da própria vida social e religiosa desta zona da cidade de Bamako.

O projeto base teve como premissa resolver os percursos de privado/público e masculino/feminino, pois ambos devem circular e fazer as suas práticas religiosas em espaços distintos.

A grande cúpula com as pontuais aberturas de luz permite a entrada de uma luz zenital e os vãos abertos pontualmente adicionam ao espaço um ambiente místico de culto e oração.

Sendo o piso inferior reservado aos intervenientes masculinos, e o piso superior às intervenientes femininas, as práticas religiosas decorrem durante todo o dia. Os sistemas de som instalados na torre, que caracteriza a tipologia programática em questão, alertam para os momentos de oração das práticas diárias.

Inserido num contexto urbano em crescimento e com premissas orientadoras muito definidas (localização da bacia hidrográfica do Rio Niger, orientação solar, entre outras) e num contexto sociocultural muito específico, a Villa Niger e a Mesquita Hadja Oumou KOUMA surgiram na capital do Mali, a cidade de Bamako, como um objeto arquitetónico de referência e de exceção a tudo o que tem sido desenvolvido na última década em Bamako.

A excelência é o denominador comum no projeto, na construção, na execução, na finalização e na decoração da Villa Niger em Bamako, por AF ARCHITECTURE.