A AMBAR é já uma velha conhecida dos portugueses. São 80 anos de história e para assinalar decidiram renovar o vosso compromisso com a sustentabilidade, através da utilização de matérias-primas e resíduos da indústria têxtil. Esta é uma visão que pretende transmitir que mensagem?

Sendo uma empresa com um forte sentido de responsabilidade social e consciência ambiental, em 2018 a marca assumiu um compromisso com a implementação e manutenção dos requisitos do FSC e PEFC.

À medida que as marcas se comprometem com metas cada vez mais ambiciosas nos seus projetos de sustentabilidade, as iniciativas de cooperação e junção de sinergias são cada vez mais fulcrais. À medida que crescem as preocupações dos consumidores em torno da sustentabilidade, a economia circular, por meio da qual os materiais e produtos são reutilizados e depois reciclados, em vez de descartados, está a ganhar terreno.

No último ano andamos a ligar o setor têxtil ao setor do papel. Fizemos uma parceria entre a AMBAR e a Valérius — o projeto 360 — que passa por fazer papel algodão a partir dos desperdícios do têxtil (terceiro setor maior poluidor do mundo) e do papel e usá-lo em produtos AMBAR, desde uma gama completa de produtos escolares e escritório até á embalagem.

Esta nova área de negócio está ainda em fase inicial, prevendo-se que os primeiros produtos em papel algodão totalmente reciclado da AMBAR cheguem ao mercado no final de 2019. Destacamos o potencial desta nova área nos mercados externos, nomeadamente nos países nórdicos, onde a procura por produtos ambientalmente sustentáveis é muito elevada. Tal como nos brinquedos pedagógicos, a expectativa é que este novo segmento venha a representar, “dentro de três ou quatro anos”, uma fatia em torno dos 25 por cento da faturação total da AMBAR.

Nos últimos anos os materiais reaproveitados e reciclados tornaram-se cada vez mais inovadores e orientados pelo design. Com um visual mais “clean” as marcas estão a trabalhar para tornar os produtos mais virados para o futuro.

A Ambar é uma marca com visão de futuro e por isso anunciou o seu compromisso com a sustentabilidade, colocando a reutilização, a reciclagem e a maior longevidade do produto no centro de sua estratégia.

Em 2014 iniciaram um novo ciclo, com uma nova administração, reposicionaram-se no mercado e chegaram a níveis incríveis tanto em Portugal como internacionalmente. Na sua opinião, quais foram as mudanças mais significativas que ocorreram e que traçaram este novo rumo?

Desde logo, no mercado nacional, aproveitamos o grande reconhecimento da marca para rapidamente retomar o seu posicionamento. Nesta fase, a marca recebia o selo de Superbrand, como Marca de Excelência sendo identificada como uma das marcas de maior notoriedade no mercado Português.

Aposta forte a nível internacional através da participação nas feiras internacionais do setor para crescer nos mercados onde já atuávamos e expandir para novos mercados, crescer nas exportações foi uma das estratégias assumidas pela marca.

Porto outro lado, o investimento em novos equipamentos e tecnologias que visão a eficiência da produção e possibilitaram o alargamento da gama de produtos.

A criação de duas novas áreas estratégicas de negócio, a ambarcience e os Fine Papers permitiram-nos ser mais abrangentes em termos de targets e clientes.

De empresa consolidada a icónica têm certamente muitos candidatos a querer construir uma carreira na AMBAR. É possível traçar um perfil dos vossos colaboradores?

Compreender as bases do comportamento humano é essencial para elevar a produtividade em qualquer empresa. Para um gestor, é fundamental procurar alternativas para aumentar a eficiência do trabalho e a competitividade. Uma das melhores formas de fazer isso é alinhar as atividades da empresa ao perfil dos seus colaboradores, garantindo que cada um esteja na função certa. Quando cada colaborador tem um perfil definido é mais fácil delegar tarefas e funções, para que sejam realizadas da forma mais benéfica para a empresa. As mudanças no mercado de trabalho não são novidades para ninguém. Se no passado bastava uma graduação para estar à frente dos concorrentes, o perfil do colaborador atual exige outras aptidões além do conhecimento técnico.

Em termos ambientais, todos os colaboradores participam ativamente na redução do impacto ambiental da atividade da empresa, através de utilização de tecnologias amigas do ambiente e de uma política efetiva de reciclagem.

Hoje, os nossos funcionários são mais dinâmicos, flexíveis e independentes, capazes de contribuir para o desenvolvimento da empresa, dominam amplamente o conhecimento exigido pela sua profissão, mantendo o equilíbrio entre o lado técnico e o humano. Tudo isto aliado a uma base de formação continua, temos trabalhadores motivados e focados em atingir os objetivos organizacionais.

Relativamente a estágios, que tipo de programas ou parceiras têm estabelecidos?

Cada vez mais a entrada no mercado de trabalho de jovens recém-licenciados, faz-se por via de estágios nas empresas. Esta prática, cada vez mais usual, tem vantagens para os dois lados. Se por um lado ao recém-licenciado é aberta uma oportunidade de colocar em prática aquilo que aprendeu na universidade, para a empresa, receber estagiários, tem o enorme benefício de poder avaliar com tempo, a criatividade, a energia e a capacidade de trabalho dos seus estagiários.

A Ambar tem neste momento múltiplas parcerias protocoladas com Universidades de todo o país para realização de estágios. Recebemos alunos das várias instituições de ensino desde a universidade do Minho, Aveiro e Porto. Podemos falar no caso do IPAM (Instituto Português de Administração e Marketing) que está localizado bem próximo da nossa empresa. A parceria que temos desenvolvido com o IPAM tem-nos permitido reforçar a estrutura interna com conhecimento e competências técnicas e profissionais que nos permitem desenvolver novos projetos e desencadear novos processos de gestão de marketing. A capacidade de resposta, o envolvimento e o empenho demonstrado têm sido importantes, mas fundamental têm sido os desafios que continuamente nos lançam obrigando-nos a refletir e a crescer, através da injeção de novas formas de ver e analisar problemas e na procura de soluções inovadoras e eficientes.

Por outro lado, a Universidade do Porto, através da faculdade de Ciências que atesta e acredita todos os brinquedos científicos e tecnológicos lançados no mercado.

Quais são, segundo a sua experiência as maiores benesses de se realizar um estágio?

Os programas de estágio têm como objetivo a formação de profissionais mais capacitados e identificados com o seu estilo de vida e valores. Os programas não só ajudam a capacitar estudantes para a atuação no mercado de trabalho, como também, contribuem para o desenvolvimento da organização que pensa o futuro e a permanência no mercado. As vantagens não são apenas para as empresas, há também muitos benefícios para os estagiários. A atividade de estágio ajuda a construir competências fundamentais para o futuro profissional dos estudantes. Programas bem estruturados permitem trocas de experiências entre os estagiários e o seu contato com vários setores da organização, enriquecendo a sua formação. Além disso, promovem a ampliação de conhecimentos teóricos e a reflexão sobre a relação com a prática. Se, por um lado, programas de estágio permitem que as empresas formem quadro de profissionais de sucesso, por outro, possibilitam uma inserção no mercado de trabalho com condições diferenciadas de aprendizagem, oportunidade de identificação com a organização e de iniciação profissional. Por todos esses elementos empresas com programas de estágio bem estruturados são empresas que garantem o seu sucesso no futuro.

Desde o caderno de capa preta até aos mais recentes brinquedos ambarscience, qual diria que foi o maior contributo que a AMBAR teve para com os portugueses?

O caderno agrafado de capa preta, lançado pela Ambar em 1968, tornou- se no produto mais reconhecido da marca, marcando uma geração de estudantes. Bastante flexível e resistente, este clássico é um dos produtos mais vendidos da marca. Dos 80 anos de vida e de história da Ambar, também fazem parte artigos tão icónicos como as pastas de arquivo e as agendas. Além da aposta no mercado externo, a diversificação dos segmentos de negócio foi outra das nossas opções estratégicas, pois detetamos um défice de imagem da marca nas gerações mais jovens e decidimos contorná-lo entrando num novo nicho de mercado: os brinquedos científicos e pedagógicos, com a ambarscience, lançada no final de 2017. O objetivo central da ambarscience é proporcionar às crianças experiências que lhes permitam adquirir de uma forma lúdica, competências essenciais para o século XXI. Para atingir esse objetivo a marca parceria com a Faculdade de Ciências criou um grupo de trabalho conferindo a qualidade didática que a marca entende ser essencial como fator crítico de sucesso. Marcas com 80 anos em Portugal há poucas e neste setor é a única. Estamos presentes em todas as etapas da vida dos nossos consumidores com produtos diferenciadores e de qualidade que se distinguem pela inovação e design.

Atualmente um dos grandes desafios enfrentados pelas empresas passa pelo desenvolvimento de uma capacidade de diferenciação que não se baseie unicamente nos benefícios tangíveis do produto ou na competitividade pelo preço pois, mais rapidamente, poderão ser ultrapassadas pela concorrência. Neste contexto, a marca ganha importância e a sua gestão engloba conceitos como a imagem, a notoriedade, a personalidade e a fidelidade. A gestão das marcas já não é a mera gestão e venda de produtos ou serviços, mas sim, um negócio de comunicação e de venda de ligações afetivas e de benefícios emocionais. Hoje em dia, e cada vez mais, os consumidores melhor informados e mais exigentes no que respeita ao seu consumo.

Temos de trabalhar para o futuro e ter produtos que vão acompanhar sempre os nossos consumidores quando estão já em idade adulta, mas também fazer com que reconheçam a marca ainda na infância.