Nuno Rosa, Diretor de Marketing e Operações da Masterlink

Ao longo do seu percurso, a Masterlink procurou sempre melhorar a sua competitividade pela via tecnológica, o que levou à evolução do produto e consequente evolução dos serviços. “Fomos mudando e sofisticando a forma como ajudamos os nossos clientes a transformarem-se. A transformação digital é, acima de tudo, a adaptação ou mudança do negócio do nosso cliente, tendo por base o potencial tecnológico disponível”, referiu o nosso entrevistado.

A sistemática procura pela inovação, por parte da Masterlink, resultou num percurso consolidado em criar soluções de negócio. As suas dinâmicas vieram continuadamente a sofisticar-se, tornando o seu conceito cada vez mais robusto e mais completo, dando primeiro origem a um conjunto de componentes de software, direcionados para a automação de processos de negócio. “A determinada altura começámos a ter a peça de software que nos permitia ir para o mercado com uma proposta de valor interessante sem estar continuamente, em cada nova oportunidade, a desenvolver tudo de raiz.”

Este processo de transformação, por parte da organização, permitiu à empresa assumir-se como uma software house e como uma empresa monoproduto, com uma tecnologia proprietária, que atua no mercado apenas e exclusivamente com o seu produto e que se propõe trabalhar através de uma rede de parceiros.

A Plataforma Masterlink

Após um longo e sustentado caminho de evolução, com o objetivo de democratizar a capacidade de criar soluções em contexto web e facilitar a automação de processos tornando o ambiente de negócio mais organizado e menos complexo, surge a Plataforma Masterlink – uma ferramenta de TI que se adapta à dimensão e necessidades de cada negócio pela sua flexibilidade, fácil acesso e sem a necessidade de saber programar. Sendo uma plataforma no-code, tem por base o foco na experiência do utilizador não técnico, mas também permite dar resposta a necessidades especificas, através de APIs que permitem a clientes e parceiros estenderem a plataforma.

Para Nuno Rosa, a plataforma foi-se encadeando e desenvolvendo ao longo dos anos. “A plataforma foi surgindo de uma forma faseada, até que, a determinada altura, fomos percebendo que tínhamos a “cola” necessária para unir vários módulos e, aí sim, percecioná-la como uma plataforma. O facto de ser uma plataforma no-code é importante porque não requer pessoas altamente especializadas para a poder utilizar/parametrizar. Esta ferramenta permite que as empresas tenham autonomia e esse é um fator decisivo. Torna-se duplamente motivador – quer para as pessoas especializadas em tecnologia, como para as que não entendem de tecnologia – porque conseguimos trazer estas últimas ao “jogo” e levá-las a participar na transformação digital da sua organização.”

É uma ferramenta “horizontal”, transversal a qualquer tipo de negócio, logo pode ser utilizada em qualquer setor no mercado nacional ou internacional. Este produto adapta-se às necessidades do negócio de cada cliente, tendo a sua proposta de valor sustentada no desenvolvimento de soluções e com benefícios, tais como: autonomia, no-code, redução de custos, flexibilidade e rapidez na adaptação a novas necessidades.

“Se antes a velocidade a que o negócio se ajustava sempre foi muito importante e crítica para o seu sucesso, agora é brutal porque estamos num mundo mais global, mais digital, mais célere. (…) queremos disponibilizar a ferramenta que permite ao negócio caminhar para o digital na sua velocidade, deixando de ficar refém de procedimentos morosos e metodologias tradicionais do desenvolvimento de software, abraçando em definitivo abordagens efetivamente ágeis: iterativas e incrementais.”, afirma Nuno Rosa.

Aposta na internacionalização

Resiliência, inovação e ambição, foram as três palavras escolhidas por Nuno Rosa para definir a Masterlink, que pretende ir ainda mais longe, apostando na internacionalização para o futuro a curto/médio prazo. “No modelo em que estamos, o mercado nacional é extremamente exíguo para crescer como produto. (…) necessitamos de escala e, para que isso seja uma realidade, temos de ganhar mercado. Estamos a dar os primeiros passos em direção a um mercado de proximidade e, assim que consolidarmos a nossa posição e tirarmos daqui algumas aprendizagens, vamos crescer para o resto do mercado e, honestamente, estamos a pensar no mercado global.”

É neste crescimento sustentado para o mercado global, que a Masterlink vai querer continuar a manter a sua estratégia de crescimento na transformação digital. https://www.masterlink.pt/

Quero ser contactado pela Masterlink