Comunidade da Beira Baixa aposta em “Três Dias, Três experiências”

A Comunidade Intermunicipal da Beira Baixa está a desenvolver uma nova estratégica turística que visa atrair mais visitantes e que promove o território como destino ideal para uma "escapadinha".

266

Sob o lema “Beira Baixa: Três dias, Três Experiências”, esta estratégia aposta em mostrar os produtos e locais que o visitante pode descobrir ao nível do turismo de natureza, do turismo cultural e do turismo gastronómico, explicou à agência Lusa o secretário executivo da Comunidade Intermunicipal da Beira Baixa (CIMBB), Hélder Henriques.

 “O que pretendemos é mostrar às pessoas as grandes potencialidades do território. Convidá-las para virem, no mínimo por três dias, com a convicção de que as nossas propostas e o facto de este ser um destino alternativo e bastante atrativo as leve a regressar ou a ficar mais dias”, apontou.

Com o grande objetivo de ajudar o desenvolvimento territorial por via do turismo, este programa tem apostado em instrumentos que facilitem as visitas e que levem a mensagem de que esta região lhes permitirá fazer “uma pausa” na sua rotina diária, usufruindo de tranquilidade, cultura e gastronomia em ambiente natural.

“O que estamos a dizer é que temos aqui um refúgio para todos os que queiram escapar do ‘stress’ do dia-a-dia e que há cá muito para conhecer e saborear com a vantagem de o fazer num território muito genuíno e que ainda mantém características naturais“, acrescenta Hélder Henriques.

Com particular atenção para os mercados nacional e espanhol, este programa já levou à criação da aplicação móvel “Visit Beira Baixa” e também tem chamado fotógrafos para registarem os locais de interesse menos comuns e para os darem a conhecer, além de ter construído roteiros que passam por diferentes concelhos da Beira Baixa. O projeto também tem apostado na promoção e divulgação de eventos que podem atrair visitantes e tem agora em marcha uma visita (uma ‘short-break’) para jornalistas e bloggers de viagem, que deverá contribuir para divulgar os diferentes roteiros.

Hélder Henriques lembra que há vários pontos de destaque em cada um dos concelhos da CIMBB e aponta alguns exemplos incontornáveis, como a travessia do trilho dos Apalaches, em Oleiros, ou os passeios de barco no rio Tejo. Do turismo de natureza para o turismo cultural, inscreve-se a possibilidade de conhecer a cidade de Castelo Branco e a sua rede de museus, ou de participar na recolha de lenha para o maior madeiro de Natal do País, em Penamacor, descobrindo também toda a rota de madeiros. Idanha-a-Velha, Monsanto, Penha Garcia e os vários monumentos da Beira Baixa são outros dos ‘ex-libris’ inscritos nas brochuras promocionais.

Entre as “joias” do território, a CIMBB também destaca a gastronomia, como o azeite da Beira Baixa, o cabrito estonado, as tigeladas ou a perdiz de escabeche, sem esquecer os famosos enchidos regionais.

“Temos muitos argumentos para potenciar o turismo, mas também queremos fazê-lo de forma sustentável e de modo a que este possa ter retorno para a população e até em termos de conservação do património”, ressalva o secretário executivo da CIMBB. A estratégia é de médio e longo prazo, mas a CIMBB espera que no Natal e na Páscoa já se possam começar a colher alguns frutos de uma promoção que tem sempre “caráter intermunicipal”.

“Beira Baixa: Três dias, Três Experiências” é um programa cofinanciado pelo Centro2020, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.

A CIMBB integra os concelhos de Castelo Branco, Idanha-a-Nova, Oleiros, Penamacor, Proença-a-Nova e Vila Velha de Ródão.

Fonte Agência Lusa