Pierfrancesco Vago, Executive Chairman da MSC Cruises, disse: “O nosso enfoque na inovação desde que construímos os nossos primeiros navios de cruzeiro em 2003, garante que tenhamos uma das frotas mais modernas no mar, além de uma das mais avançadas no que diz respeito ao desempenho ambiental. E, graças ao nosso planeamento a longo prazo, todos os avanços introduzidos permitirão alcançar uma redução de 29% em toda a frota na intensidade (taxa) de carbono até 2024, comparativamente a 2008, no caminho de cumprir a meta de redução de 40% estabelecida para 2030.“

 “Além disso, na semana passada, anunciámos que o projeto PACBOAT de células de combustível movidas a Gás Natural Liquefeito (LNG) será instalado a bordo do MSC Europa – o primeiro dos 5 navios de cruzeiro movidos a LNG que se juntarão à nossa frota. Esta não só será a estreia em todo o mundo de uma tecnologia que promete ser mais eficiente para operações marítimas de alta potência, como também é outro exemplo concreto do nosso firme compromisso de formar parceria e apoiar o desenvolvimento acelerado das tecnologias de última geração que levarão a companhia, e o próprio sector, a ter navios a operar com emissões zero.”

 “Por reconhecermos que até a mais avançada tecnologia ambiental marítima actual é insuficiente para alcançar imediatamente a neutralidade do carbono, o compromisso adicional que assumimos hoje garante que a nossa frota não contribua negativamente para as mudanças climáticas a partir de 1 de janeiro de 2020. Somos uma empresa com mais de 300 anos de herança marítima e com um enfoque histórico no longo prazo, típico de empresas familiares como a nossa. Para nós, este é mais um passo no nosso compromisso de longa data de proteger os oceanos, os destinos que visitamos e as comunidades portuárias às quais chegamos.”

A MSC Cruzeiros compensará todas as emissões directas de dióxido de carbono (CO2) das suas operações marítimas de toda a frota através de uma combinação de projectos de compensação de carbono desenvolvidos de acordo com os mais altos padrões das principais entidades internacionais que tomam medidas imediatas sobre as emissões de gases de efeito estufa. Todos os custos destas compensações, bem como quaisquer outros itens associados, serão cobertos directamente e na íntegra pela Companhia.

Pierfrancesco Vago acrescentou: “Trabalharemos com os principais fornecedores de compensações de carbono capazes de compensar as emissões de CO2 com o mais alto nível de integridade. A nossa visão é também investir em projectos que forneçam benefícios quantificáveis ​​à comunidade, protejam o meio ambiente e apoiem os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU.”

A MSC Cruzeiros visa desenvolver, em particular, um portefólio de compensação de carbono que incorpore projectos que protejam e restaurem os habitats oceânicos e costeiros, além de absorver mais CO2 do que acontece neste momento. Como actualmente os projetos de Carbono Azul focados nos habitats costeiros são escassos, a MSC Cruzeiros apoiará o desenvolvimento do que se tornará no primeiro carbono a ser gerado a partir do vasto oceano do planeta, constituindo um novo e importante meio para proteger e melhorar a biodiversidade marinha e apoiar as comunidades que dependem dos recursos altamente pressurizados do mar.

O Executive Chairman da MSC Cruises concluiu: “As compensações pelo Carbono Azul serão uma área específica do nosso compromisso de garantir a neutralidade do carbono com efeito imediato. Colocaremos os nossos colaboradores e os nossos recursos a trabalhar também para apoiar o desenvolvimento de projectos específicos deste tipo e para facilitar os processos de certificação, que podem gerar esta forma inovadora de compensações que beneficiam directamente os oceanos e as comunidades que vivem à beira-mar. À medida que mais projectos estiverem disponíveis, aumentaremos continuamente a nossa confiança nos mesmos, como uma área adicional de enfoque dentro do nosso compromisso geral de longa data em alcançar operações com emissões zero.”

O compromisso da MSC Cruzeiros de proporcionar operações com emissões zero também inclui um enfoque específico na eficiência energética e noutros aspectos das suas operações para além das emissões. Desde 2017, todos os novos navios da MSC Cruzeiros têm sido equipados com instalações de energia eléctrica do cais para o navio, um recurso que permite aos navios de cruzeiro passar imediatamente a “emissões zero” em qualquer porto que esteja preparado para esta tecnologia. Este facto proporcionará um benefício geral ainda maior quando a fonte final de energia em terra for renovável.

Todos os detalhes desta iniciativa de neutralizar o carbono da MSC Cruzeiros foram revelados na passada sexta-feira, dia 8 de novembro, numa conferência de imprensa dedicada a bordo do MSC Grandiosa, o novo navio emblemático  da companhia e um dos navios mais avançados em termos ambientais até ao momento. O MSC Grandiosa foi entregue à MSC Cruzeiros no último dia do mês de Outubro, no mesmo dia em que a companhia iniciou a construção do MSC Europa, o primeiro de cinco navios de cruzeiro movidos a Gás Natural Liquefeito (LNG) que serão inaugurados entre 2022 e 2027.

O MSC Grandiosa e o MSC Europa representam um progresso adicional significativo em termos de cumprimento do objectivo da MSC Cruzeiros de minimizar e reduzir continuamente a pegada ambiental da frota.