Biópsia sinoval no diagnóstico da artrite reumatóide é tema central do Colóquio A.N.D.A.R.

Em Portugal, mais de 70 mil pessoas vivem com artrite reumatóide.

258

A biópsia sinoval, exame que permite diagnosticar mais cedo a doença, ainda não é prática generalizada e o ‘porquê’ estará em discussão no Colóquio A.N.D.A.R. 2019, uma iniciativa da Associação Nacional dos Doentes com Artrite Reumatóide, que se realiza no dia 29 deste mês, na Fundação Calouste Gulbenkian.

O evento, que conta com o Alto Patrocínio do Presidente da República, contará ainda com a participação de Manuel Sobrinho Simões e Maria Carmo-Fonseca, cientistas e investigadores mundialmente reconhecidos e com vários prémios nacionais e internacionais, e que farão as suas intervenções sobre “Da inflamação à neoplasia: primado da medicina narrativa” e “Medicina de precisão”, respetivamente.

Recorde-se que a artrite reumatóide é uma doença reumática inflamatória crónica, que pode ocorrer em todas as idades, afetando sobretudo as estruturas articulares e periarticulares. Quando não tratada precoce e corretamente, a artrite reumatóide acarreta, em geral, graves consequências para os doentes, traduzidas em incapacidade funcional e para o trabalho.

Conheça o programa aqui.