Eduardo Peregrino

Vale d’Oliveiras Quinta Resort & Spa é um elegante resort de 5 estrelas, entre Carvoeiro e Ferragudo, no Algarve. O que podemos esperar deste paraíso a poucos minutos de algumas das melhores praias e campos de golfe da Europa?

Começaria por dizer precisamente o que os nossos hóspedes dizem de nós: um resort de elevada qualidade, com um ambiente familiar onde se respira elegância e tranquilidade.

A nossa localização é um dos fatores diferenciadores. Eu próprio quando visitei o resort pela primeira fiquei na dúvida se estar a cinco quilómetros da praia iria atrair os clientes necessários para conseguir suportar um negócio desta dimensão.

Apercebi-me de imediato que existe mercado para este tipo de produto, e melhor ainda, durante todo o ano! São clientes que querem conhecer a região e procuram hospedar-se em resorts que lhes permita facilmente chegar a diversos locais de interesse. Querem conhecer a gastronomia local, as praias, as vilas os campos de golfe ou as maravilhosas Caves de Benagil! Não são clientes de ficar sete dias na piscina do resort e ir sempre à mesma praia. Isso é interessante do ponto de vista da divulgação do destino, mas também muito positivo para a economia local.

Que tipo de apostas estratégicas são colocadas em prática para que o Vale d’Oliveiras se destaque dos demais?

Essencialmente queremos ser um resort que se preocupa com o ambiente e temos vindo a adotar diversas medidas nesse sentido.

Existem diversos fatores que nos tornam num resort único e autêntico, como por exemplo, a nossa arquitetura de influência algarvia, com mais de 200 chaminés típicas da região. A construção foi muito bem enquadrada com a paisagem envolvente, de baixa densidade e onde predominam os espaços verdes.

Na zona dos alojamentos, todos têm acesso direto para pátios interiores com jardins muito bem cuidados, fontes de água e esculturas de artistas locais, guardadas por arcadas imponentes em seu redor. Além disso, estarmos no meio de um olival, daí toda a nossa estratégia de comunicação estar centrada neste elemento. Damos genuinamente valor às nossas origens: a primeira palavra que sai para qualquer hóspede seja ele português ou não, é sempre bom dia ou boa tarde, só depois prosseguimos noutra língua.

Outro elemento que nos distingue é a nossa horta biológica. É aqui que se encontra a mesa do Chef, onde realizamos atividades gastronómicas e eventos exclusivos, plantamos os nossos produtos mediante as estações do ano, uma pequena vinha e cerca de 20 árvores de fruto. Um verdadeiro paraíso onde pessoalmente gosto de ir todos os dias.

Conte-nos o que torna este Resort tão único e especial?

Sem dúvida que é o ambiente. O resort é sempre muito sereno e tranquilo, durante todo o ano. O pôr-do-sol aqui é lindíssimo. Outro fator muito importante e a ótima combinação entre o espaço versus número de hóspedes. Não somos um resort de massas, a nossa capacidade máxima são cerca de 350 hóspedes, mas o resort está tão bem distribuído que isso nunca se percebe. Faço o convite para nos visitar em agosto quando estamos perto dos 100% e vai achar que estamos a 50% ou 60%. É fantástico poder passar férias no Algarve num local tranquilo, sem filas ao pequeno-almoço, sem ter de esperar por uma cama na piscina. Isso aqui tudo possível!

Outro elemento importantíssimo nesse ponto é sem dúvida a equipa. Convidaria a ver os sites de avaliação onde falam de nós e vai entender que as pessoas que trabalham connosco são sempre o elemento central das avaliações dos hóspedes. São os nossos hóspedes que o dizem!

Estamos a falar de um destino para todo o ano?

Sem dúvida. Estamos abertos todo o ano, com ocupações médias de 72% – 74%. Temos públicos completamente distintos em função das épocas.

No verão temos estadias mais curtas (média de 7,2 noites) e no inverno de 21 noites! Falamos de públicos completamente distintos. O que possibilita esta amplitude é o facto de termos quartos de hotel e apartamentos, estilo T1 e T2.

Qual é o público-alvo do Vale d’Oliveiras O Quinta Resort & Spa?

No verão falamos essencialmente de jovens famílias, onde se destacam os portugueses, espanhóis, franceses, irlandeses e ingleses.

No inverno são casais sem filhos, idades superiores a 50 anos e que ficam em média mais de 21 noites! 70% deles jogam golfe e vêm da Suécia, Noruega, Canadá e Alemanha.

Mas é também no inverno que temos casais ou pequenos grupos que procuram locais autênticos como o nosso para retiros de Wellness. Temos nesse sentido umas instalações muito completas, com um Spa com cinco salas de tratamento, onde além das massagens e tratamentos de beleza, destacaria o nosso serviço de fisioterapia que tem tido imenso sucesso. Temos também uma piscina interior aquecida, sauna, Jacuzzi, ginásio e banho turco.

Que tipo de serviços e atividades de lazer pode uma família disfrutar durante a sua estadia no resort?

Somos um resort orientado para famílias e de final de março até setembro, são os nossos principais clientes.

O Ollie´s Kids Club é o local favorito dos nossos pequenos hóspedes. Contamos com uma equipa de profissionais qualificados e além do espaço do kids club, temos também um parque infantil que regularmente conta com algumas surpresas: insufláveis ou atuações de “circo”. É tudo gratuito. Temos também um serviço de babysitting profissional disponível (com custos). O Kids Club está aberto durante as férias escolares da Páscoa e Verão e conta com um programa de atividades diversificado, onde destacaria as atividades ao ar livre, nomeadamente na nossa horta.

Temos também menus específicos para crianças e kits completos que as famílias podem requerer na reserva e que contem tudo o que necessita para umas férias com crianças: intercomunicadores, banheira, brinquedos, muda-fraldas, pratos e talheres, entre outros. Bem perto do resort, destacaria o Slide & Splash (dois quilómetros ou o Zoomarine (22 quilómetros).

A arte de bem receber representa a “pura hospitalidade portuguesa” com que se definem?

Os portugueses são por natureza um povo hospitaleiro e isso é por si só um excelente ponto de partida para um país que encontrou no turismo uma oportunidade para contornar os tempos mais difíceis da nossa economia.

No Vale d´Oliveiras, a missão é criar memórias únicas e é com essa premissa que recebemos os nossos hóspedes diariamente. O que mais me orgulha é o facto de ter sido a equipa a definir a nossa missão.

Foi numa ação de teambuilding que de entre muitas opiniões, conseguimos chegar a este consenso e que não poderia estar mais de acordo.

Considera que “made in Portugal’ tem mais relevo nos dias de hoje? Porquê?

Com certeza. Vivi fora de Portugal nos anos 80 e 90 e ficava muito chateado quando dizia de onde era e de seguida vinha a pergunta: onde fica Portugal? Isso não é parte de Espanha? Qual a língua que falam em Portugal?

Hoje é totalmente o oposto. Para isso contribuíram essencialmente grandes personalidades do mundo da música e desporto, exportação de produtos de excelência, como calçado ou vinhos. O Turismo e o país ganharam com este impulso.

Qual é que considera ser o segredo para o sucesso de qualquer unidade hoteleira?

Eu acredito que em qualquer negócio de pessoas, o sucesso são as pessoas! Claro que este segredo deve ser dos mais difíceis de trabalhar, mas não deixa de ser este o elemento principal.

Pode o Vale d’Oliveiras ser um destino de sonho?

Ao longo dos anos temos realizado muitos casamentos e para esses casais, ficamos na memória por este dia único, ou por outro lado, famílias recém-constituídas que passam férias pela primeira vez juntas, por isso sim, pode ser e é um destino de sonho!