Pedro Pereira de Carvalho, Chairman da TECLA

A TECLA, nascida em meados de 1958, representa esse paradigma, ou seja, o prestígio de quem tem vindo a promover um périplo de preocupação e satisfação com os seus clientes e parceiros, não esquecendo que foi uma das primeiras instituições privadas de formação profissional a operar em Portugal, tendo sido edificada com o desiderato de se tornar uma empresa privada de referência, no mercado nacional e internacional. E, olhando para os dias de hoje, acreditamos que esse feito tenha sido alcançado.

“Trata-se, acima de tudo, de um projeto personalizado, apostado na capacidade, na inteligência humana e na formação de profissionais competentes e bem-sucedidos”, refere Pedro Pereira de Carvalho, atual Chairman da TECLA, em entrevista à Revista Pontos de Vista, em que fez uma análise profunda do que a marca representa no mercado atualmente.

Com 60 anos de atividade, celebrados no ano transato, muitas foram as alterações e as mudanças que surgiram durante o seu percurso de excelência no setor de formação profissional. Segundo o nosso interlocutor, estas seis décadas de existência no mercado, “passaram por modificações positivas, que não colocaram em causa a história passada e que se traduzem no orgulho por partilhar com os clientes a essência, visão, missão, crenças, valores e política da qualidade e formação profissional da marca”, salienta convicto.

Atualmente, a TECLA é um grupo, capaz de assegurar uma maior adequação de cada área de negócio em que atua às necessidades de cada segmento de mercado.

É claro que, efetivamente, o núcleo “duro” da TECLA ainda continua a ser a formação profissional, sendo que para o líder da marca, “a formação é essencial para todos”. No entanto, este conceito renasceu de um modo mais moderno, inovador e dinâmico, deixando de estar somente associado aos tradicionais cursos de datilografia e secretariado, propósito da sua criação. Nestes últimos anos a vertente de formação tem vindo a ser adaptada, com base e foco em diversas áreas, desde comportamental, gestão, informática, multimédia, entre outras. No entanto, a formação que ministra passou a ser tão abrangente que a empresa tem atualmente, desde áreas mais comportamentais, como a gestão de relacionamento interpessoal, a áreas mais práticas como são o caso das áreas de eletricidade e energia, eletrónica e automação. “Cerca de 60 a 70 porcento do negócio da TECLA é a formação profissional. É por esta razão que faz todo o sentido procurar diariamente ideias inovadoras para os nossos formandos, rumo ao seu êxito e, posteriormente, ao nosso”, afirma.

Não podemos parar no tempo e devemos adaptarmo-nos ao mercado

Para além deste tipo de formação, a TECLA procura acima de tudo possibilitar uma oferta alargada de acordo com as mais variadas necessidades, que passa também pela formação de reciclagem/formação contínua.

E tem a TECLA promovido esta mudança de paradigma de uma forma alicerçada e direcionada para o futuro? “Naturalmente que sim, até porque não podemos parar no tempo e devemos adaptarmo-nos ao mercado, sabendo que cada vez mais queremos dar ao nosso cliente outro tipo de serviços e, para isso, passamos a ter outras empresas no grupo, empresas essas que não têm necessariamente como área de negócio a consultoria ou a formação profissional, como são exemplo a recente aquisição de participações em empresas do ramo da hotelaria e da indústria têxtil”, realça, não deixando de lembrar que “isto tudo, porque sentimos que enquanto empresa não devemos estagnar e temos, de certa forma, procurar diversificar. Nunca é solução ficarmos reféns apenas de uma ideia”, assume o representante da TECLA, assegurando que procuram afirmar-se e destacar-se perante as outras empresas, tentando fazer “com o mesmo, um pouco mais”.

Excelência, Qualidade e Personalização «made in» TECLA

Quando questionado sobre de que forma é que a TECLA se destaca das demais empresas do setor, Pedro Pereira de Carvalho assumiu que o Grupo, pretende, acima de tudo, que os seus clientes tenham um acompanhamento diário personalizado. “Cada formando é único, com exigências, necessidades e objetivos individuais. E queremos que estes possam, fundamentalmente, confiar na TECLA para evoluir rumo ao sucesso, porque a confiança é a base de qualquer relação profissional. Claro que aliada à confiança vem a qualidade, um dos nossos valores bem assentes, que garante a eficácia e a evolução dos resultados dos nossos clientes. Queremos estar na linha da frente na resposta às necessidades das organizações sendo cada mais incisivos na prestação dos nossos serviços”.

Para além destes valores assumidos, o Chairman, assume também que a diferença com que tentam fazer o seu trabalho e a forma como internamente o fazem, são a base do sucesso daquela que é a empresa privada de formação profissional que foi pioneira no norte do país. É regida por linhas orientadoras focadas em cumprir as exigências do cliente, os critérios legais e demais requisitos estatutários e regulamentares; melhorar continuamente a eficácia dos sistemas de gestão da qualidade e da formação profissional, de forma a que as partes interessadas vejam satisfeitas as suas necessidades e expetativas; estabelecer, monitorizar e, quando aplicável, rever objetivos estratégicos, operacionais e metas que permitam a concretização da visão, missão, crenças e valores da empresa. Mas, atrair, reter e desenvolver continuamente os colaboradores, promovendo o reforço das suas competências, motivação e satisfação é primordial, assegura Pedro Pereira de Carvalho.

A importância do capital humano está patente nos valores da TECLA

Sem escamotear que existe espaço para continuar a melhorar, pois esse é o segredo para a evolução de qualquer projeto, para o nosso entrevistado é claro que o corpo de recursos humanos é essencial. “Não tenho qualquer dúvida que, sem a excelência dos nossos colaboradores, não conseguimos crescer enquanto empresa”. Assim, a importância do capital humano está patente nos valores da TECLA, porque é assumidamente “um dos pilares mais importante dentro de uma empresa. Reconhecemos e valorizamos os nossos recursos humanos e o trabalho dos mesmos”.

E, é através desta valorização do capital humano e do bom funcionamento interno e da confiança que transmitem aos clientes, que o nosso entrevistado garante que o sucesso tem vindo a ser alcançado. “O cliente que nos procura, seja o individual ou organizacional, tem ao seu dispor um projeto à medida. Procuramos saber quais são as suas necessidades e, posteriormente, responder às mesmas”, afirma Pedro Pereira de Carvalho.

E como perpetuam? O nosso entrevistado é claro nesta vertente e assume que o percurso deve ser realizado, “através das nossas parcerias nacionais e internacionais. Todo este know-how permite-nos transmitir ao nosso cliente todo o conhecimento e instrução de forma a obter o sucesso e bons resultados e, quem sabe, até se internacionalizar. O acompanhamento personalizado é uma preocupação constante para nós. Estamos preocupados em diagnosticar as necessidades de cada um, traçar um plano à medida, tentar perceber se de facto está a corresponder às expectativas e necessidades, qual o impacto, e se é necessário fazer um ajustamento. É aqui que estamos na linha da frente, é na oferta diferenciada do serviço”.

De acordo com Pedro Pereira de Carvalho, o feedback tem sido bastante positivo. A marca conseguiu conquistar a confiança de milhares de clientes, distribuídos por diversas áreas de atividade, individuais ou pertencentes aos setores público, privado e associativo. A força de uma marca com 60 anos constrói-se por cada um dos clientes que identificam a TECLA como marca de excelência e referência.

2019 foi positivo, mas a TECLA ambiciona mais

Para o Chairman da TECLA, um dos grandes impulsionadores deste projeto, é a relação de transparência e honestidade que a empresa mantém com os seus clientes e parceiros e, é por essa razão que “estes são os responsáveis pelo sucesso da TECLA”.

Contudo, ainda há muito trabalho pela frente no que toca à sensibilização por parte das empresas de modo a que estas percebam o quão fundamental é a formação dos seus colaboradores. Para o representante da TECLA, este é um tema sensível e uma luta diária. “A maior parte das empresas ainda não compreende a importância da formação como fundamental nos seus critérios orientadores. É preciso sensibilizar as empresas de que quanto maior o investimento em formação, mais produtivo o colaborador se poderá tornar. E, por conseguinte, esse investimento irá incrementar a competitividade da empresa, sendo esse o caminho a percorrer”.

As ambições da TECLA estão bem delineadas, tal como o caminho a seguir. O sucesso do projeto TECLA deve-se ao empenho e à dedicação de toda a equipa que, diariamente, ambiciona e aspira a perfeição e, confiança depositada pelos seus parceiros.

Segundo Pedro Pereira de Carvalho, “2019 foi um ano francamente positivo porque aumentamos a equipa, consolidamos áreas de negócio, conseguimos entrar noutros mercados, reforçamos os nossos parceiros, fortalecemos também a confiança dos que trabalhavam connosco e ainda pelas parcerias que fomos conquistando, fruto das perspetivas futuras, já há muito tempo ambicionadas, de abrir delegações em Cabo Verde, na ilha de São Vicente e Moçambique, em Maputo, já no próximo ano.

Como alguém que se destaca enquanto líder, Pedro Pereira de Carvalho, não tem qualquer dúvida ao finalizar o seu discurso incisivo, afirmando que escolher a TECLA, é, acima de tudo, “sinónimo de qualidade, confiança e inovação”, conclui o nosso entrevistado.