Foto e Texto: NIT

pandemia do novo coronavírus continua bem ativa na Europa, mas numa altura em que a maioria dos países estuda o regresso faseado a alguma atividade, vem um apelo de certa forma inesperado da Comissão Europeia: que os Estados-membros levantem restrições às viagens na União Europeia (UE) “o mais rapidamente possível”, de forma a permitir a retoma do turismo europeu que estima perdas de faturação de 50%.

“De forma a permitir que o turismo seja retomado, o colégio [de comissários] considera que as restrições às viagens devem ser levantadas o mais rapidamente possível, evitando discriminações com base nas nacionalidades e tendo em conta os desenvolvimentos epidemiológicos”, declarou a vice-presidente da Comissão Europeia Věra Jourová, citada pela Lusa.

A responsável lembrou que este é um dos setores que mais pesa no Produto Interno Bruto (PIB) europeu, num total de 10%, sendo transposto em 27 milhões de empregos diretos e indiretos.

Věra Jourová adiantou ainda que “os serviços da Comissão estão a trabalhar em diretrizes concretas” para o setor do turismo, nomeadamente no que toca aos transportes, orientações que serão divulgadas nos próximos dias e a pensar no próximo verão.

Segundo um estudo divulgado no passado fim de semana, as primeiras estimativas indicam que Portugal está entre os países europeus onde o turismo mais vai cair em 2020.