Quando se deu o início desta atividade profissional na área de seguros particulares e empresas?

A minha atividade no setor da mediação de seguros iniciou na década de 90 quando passei a colaborar com o então diretor comercial da empresa em que trabalhava e que era o responsável pela carteira de seguros dessa mesma empresa.  Inicialmente e durante muitos anos, a Norsecur foi exclusivamente uma mediadora cativa de um grande grupo industrial português, a sua carteira era composta pelos seguros da empresa desde a frota automóvel, aos patrimoniais, acidentes de trabalho, responsabilidade civil, enfim todos os seguros obrigatórios e facultativos associados a uma empresa , assim como alguns seguros particulares mas todos ligados a elementos da administração e direção da empresa.

Em 2010 o diretor comercial aposentou-se e naturalmente fiquei com a responsabilidade da gestão da carteira da Norsecur . Passado pouco tempo tornei-me sócia-gerente da Norsecur e desde aí a mediação de seguros passou a ser a minha atividade principal, pois durante muitos anos conjuguei as funções de gestão de clientes do canal HORECA com a mediação de seguros.

De onde surgiu o gosto pela mediação de seguros? Porquê a aposta nesta área?

A atividade seguradora surgiu no meu percurso profissional com a necessidade de alguém assistir o responsável da carteira de seguros da empresa onde trabalhava, por ter sido uma opção aceite pelas partes interessadas, por ter tido a sorte de ter apreendido com uma pessoa que estava sempre pronta e disponível  para me explicar os meandros dos seguros e porque consegui responder ao que era esperado de mim e finalmente por ter sido mais tarde aceite a minha proposta em me tornar sócia e gerente da Norsecur. Todos estes factos associados ao reconhecimento necessário, com muito trabalho, dedicação e bons resultados, permitiram que chegasse á posição atual com o crescimento e a diversificação da carteira de clientes da Norsecur .

Realmente nunca fez parte dos meus planos trabalhar em seguros. Sempre quis ser professora de educação física ou educadora infantil, mas a vida foi-me apresentando outras oportunidades pelas quais só posso estar grata. Faz parte de mim fazer, com competência e eficiência, as tarefas que nos são atribuídas, e se for possível com satisfação e realização pessoal. Só assim conseguimos responder ás nossas expetativas e dos outros e acima de tudo prestar um bom serviço aos clientes, que são a base fundamental de qualquer negócio.

De que forma é que a Norsecur apresenta soluções adequadas às necessidades de cada cliente, visando a proteção particular e de negócios?

A Norsecur está situada geograficamente em Águas Santas no Concelho da Maia, mas temos clientes em vários pontos do pais para além do Grande Porto, Trás os Montes, Minho, Centro, Lisboa e Algarve. Temos uma carteira de clientes muito diversificada. Atualmente temos cerca de 750 clientes particulares e 65 empresas. Para conseguirmos apresentar aos nossos clientes e potenciais clientes a solução mais adequada às suas necessidades, temos que comunicar, esclarecer, perguntar, saber quais as preocupações que têm, e quais as coberturas que gostariam de contratar para que em caso de imprevisto se sintam realmente protegidos e seguros. Mesmo nos seguros obrigatórios temos que ter o cuidado de conhecer o nosso cliente, porque uma cobertura especifica pode mudar toda a experiência desse cliente relativamente ao sector dos seguros. A mediação de seguros é muito mais do que o ato de vender seguros, é uma área que nos permite um relacionamento próximo com os clientes enquanto indivíduos e só com este tipo de postura é que conseguimos ter mais de 90% de retenção de clientes, o que é uma coisa absolutamente extraordinária e da qual nos orgulhamos muito.

Como é que na Norsecur, garantem um serviço de excelência focalizado no cliente, de forma a preservar a sustentabilidade da empresa?

O serviço de excelência focalizado no cliente que passa, como já referi pela preocupação de conhecer as suas necessidades, abrange também na Norsecur uma continuidade através da nossa disponibilidade e de uma gestão baseada em valores como a responsabilidade e a seriedade, a competência profissional e conhecimento do negócio e do mercado. Temos o cuidado de não nos relacionarmos com o cliente só na altura na venda, do pagamento anual e na ocorrência de sinistros. Parabenizamos os nossos clientes nos seus aniversários, enviamos no Natal e no Verão uma pequena lembrança a todos os clientes, fazemos sorteios de convites para concertos musicais e outros espetáculos, temos um tratamento diferenciado para os nossos clientes. Sempre que conseguimos que um cliente saia da Norsecur satisfeito é um carimbo de excelência no serviço ao cliente e de objetivo cumprido no final do dia.

A Norsecur tem vindo, ao longo dos anos a crescer de uma forma sustentável. Conhecemos bem as nossas forças, sabemos mante-las e obter retorno e por isso temos apresentado resultados positivos, mas no mundo dos seguros a volatilidade associada á carteira de clientes é uma preocupação. É muito fácil, e ainda bem, mudar de mediador de seguros e num espaço de dois anos uma carteira pode alterar drasticamente. É por isso que quando trabalhamos num crescimento sustentável para além de estarmos a apostar no futuro preservando as condições socioeconómicas da empresa e do que nos rodeia, estamos a optar por uma gestão flexível, tentando sempre antever tendências, e  valorizando cada vez mais duas vertentes essenciais: a satisfação dos clientes e o negócio digital através por exemplo das redes sociais e outras ferramentas tecnológicas.

Associada a sustentabilidade a Norsecur tem como ADN a responsabilidade social. Não faz qualquer sentido existir empresas que não estejam inseridas na sociedade que as rodeia. A Norsecur tem um papel ativo na comunidade através de apoios ao desporto, à cultura, a associações sociais, à participação em eventos de solidariedade e mais uma vez com o enorme prazer de termos sempre a colaboração dos nossos clientes, como por exemplo na época natalícia que desde sempre organizamos recolha de prendas, bens de  primeira necessidade  ou géneros alimentícios para determinada instituição diferente todos os anos, e os nossos clientes contribuem com enorme generosidade.

A realização pessoal e sucesso profissional são muito importantes para si. É possível conjugar estes dois critérios? De que forma?

Numa atividade como a mediação de seguros e particularmente no caso da Norsecur, é muito difícil distinguir a empresa do indivíduo. Eu sou há muitos anos a Norsecur. Principalmente desde que alargamos a nossa carteira de clientes e que saímos da sede da empresa onde nascemos e da qual continuamos mediadora cativa, para uma loja com atendimento ao público em geral, a Norsecur passou a ser reflexo da minha maneira de estar e ser na vida. Tive mais uma vez, a sorte de contratar uma colaboradora que está comigo há dez anos e que partilha dos ideais e dos valores que fazem o dia a dia da Norsecur.

A conjugação da realização pessoal e do sucesso profissional tem sido fácil se olhar para o resultado final e a cada contrato novo associar um cliente feliz, o objetivo tanto pessoal como empresarial foi cumprido.

Para além de ser uma mulher no mundo do empreendedorismo, quem é a Rosário Amorim? Como se descreve?

Como já referi o meu percurso de vida foi muito diferente do que eu pensaria que ia ser, mas se voltasse atrás provavelmente faria tudo igual. Tenho 53 anos e uma vida cheia de tristezas e alegrias, desgostos e surpresas, saudades e entusiamos, tive a felicidade de ter dois filhos, a dor profunda e incalculável de perder o mais novo, mas com o apoio da família, dos amigos e com o amor do meu filho mais velho continuei a andar para a frente. Não gosto de discussões ou de confrontos. Gosto de trabalhar e de ser útil. Gosto de estudar e investir na minha formação, o que continuo a fazer com alguma regularidade porque entendo que são momentos para refletir, aprender, relembrar e simultaneamente com grande impacto motivacional e de atualização na gestão da Norsecur.

Sou muito grata por ter uma família unida e amiga, por ter bons amigos e por ser a Avó do meu querido neto de dois anos que veio colar o meu coração.

Considera-se realizada com aquilo que faz? O que ainda falta fazer enquanto mulher e profissional?

Considero que uma das vantagens da experiência que a vida nos dá, é a capacidade de aceitar o que nos é possível fazer, mas fazê-lo da melhor maneira com a preocupação de melhorar, de aprender, de questionar e de crescer. Através da Norsecur e do meu trabalho sei que consigo ajudar os outros, sei que tenho as ferramentas para suavizar situações graves e muitas vezes dramáticas, sei que a Norsecur através do nosso serviço é um ponto de apoio e que os nossos clientes se sentem seguros em recorrer à nossa ajuda, por isso é  impossível não me sentir pessoal e profissionalmente realizada.

Profissionalmente espero sinceramente que a Norsecur consiga manter este rumo de crescimento e de diferenciação. Gostava muito de ter um espaço próprio para a Norsecur pois acredito que iria contribuir largamente para o crescimento do negócio e ainda estou à procura da fórmula mágica para aumentar a carteira substancialmente relativamente a clientes empresariais.

A nível particular e como mulher, espero que o Mundo caminhe em direção a uma igualdade justa e equilibrada entre todos independentemente do sexo, raça ou credo, que sejamos capazes de valorizar o que temos, de preservar, de pensar no futuro das gerações vindouras e que seja possível aos governantes de um modo geral, iluminarem-se e despertarem para o que realmente é importante. Que o poder verdadeiro seja o dos laços humanos e não das contas bancárias e da vaidade.