“O DESAFIO PASSA POR REFORÇAR O PAPEL DO ADVOGADO ENQUANTO PARCEIRO DO CLIENTE”

A Revista Pontos de Vista esteve à conversa com João Santos Pinto, Partner na CVSP ADVOGADOS, onde foram abordados diversos temas de importância atual e recorrente, como a vertente do direito imobiliário e questões relacionadas com os Golden Visa. Saiba mais sobre estes e outros temas.

156

A CVSP Advogados conta com oito anos de existência, sendo que uma das chaves para o sucesso vai de encontro com a satisfação do cliente e as relações profissionais a longo prazo. O que fazem para assegurar essas características num meio tão competitivo?
O escritório tem uma clientela internacional diversificada o que torna ainda mais desafiante compreender os interesses e a satisfação dos clientes. Desde o primeiro momento que tentamos perceber quais as suas necessidades e o seu enquadramento sociocultural para que possamos estar alinhados com as suas expetativas. Por outro lado, o acompanhamento personalizado é uma das características que marca o escritório, o que é também reconhecido e valorizado pelos mesmos.

Atualmente atravessamos um momento atípico provocado pela Covid- 19. Como se adaptaram a esta nova realidade?
No início não foi fácil, dado que cada membro da equipa teve que passar necessariamente por um processo individual de adaptação. Trabalhar a partir de casa e conciliar a parte pessoal num contexto de confinamento necessário. Em todo o caso, as novas tecnologias acabaram por facilitar todo este processo, o que permitiu que se continuasse a dar resposta às mais diversas solicitações dos clientes.

Considera que, entre as muitas medidas tomadas pelo Governo, o setor imobiliário foi uma classe abrangida ou esquecida? Acredita que a avaliação imobiliária irá continuar em alta?
Depende. Ao nível do arrendamento, embora ainda seja prematuro avaliar o impacto das medidas, o Governo criou algumas soluções para tentar reduzir o impacto provocado pelo Covid-19 e a consequente perda de rendimento. Ainda assim, poderia ter ido mais além. Mais do que impor aos senhorios sacrifícios no cumprimento da função social do Estado, deveria claramente alargar os benefícios fiscais a este sector. Já quanto ao programa Renda Segura o próprio Governo já admitiu que ficou aquém das expectativas.
Embora esta crise não seja específica do sector imobiliário, poderá vir a afetar de forma transversal todos os sectores da economia, embora neste momento não tenha tido repercussões significativas neste sector. No que concerne em específico à avaliação imobiliária, acredito que irá continuar em alta, dado que a procura se mantém estável e o preço da de mão-obra continua em crescendo.

Perante todas as adversidades que Portugal enfrentou, foi enaltecido como um dos países com resposta mais eficaz, ganhando pela segurança sanitária rapidamente posta em prática. Tal competência irá permitir continuar em alta na venda e transação de imóveis nos próximos anos?
O imobiliário será sempre visto como um investimento seguro. Ao nível dos preços, ainda que possa ocorrer algum ajustamento, em termos práticos não se verificou uma quebra significativa. Assim, neste contexto, os preços manter-se-ão estáveis, o que fará com que a procura subsista. Ao nível do mercado de luxo tudo indica que os preços se manterão em alta e não ficaria surpreendido se até se mantivessem essa tendência.

Portugal foi identificado como um país com maior segurança, acabando por ser um dos muitos motivos para se considerar o destino perfeito para viver após a Pandemia, nomeadamente para os cidadãos estrangeiros. Prevê que continuem a obter os Golden Visa para atividade de investimento? Quais são os benefícios que analisa?
Os Golden Visa foram um instrumento muito importante na captação de receita na crise financeira 2007-2008. Nesta atual crise também podem ter um papel relevante na recuperação económica. A autorização legislativa aprovada no âmbito do Orçamento do Estado para 2020 que permitiria a abolição do Golden Visa na área metropolitana de Lisboa e Porto veio criar alguma insegurança junto dos investidores. Contudo, face ao contexto atual espero sinceramente que o Governo volte atrás nessa intenção.
Os benefícios são diversos. A captação de investimento permite injetar dinheiro na economia, na arrecadação de receita fiscal e em muitos casos na própria reabilitação urbana.

Que desafios futuros podemos esperar da CVSP Advogados para garantir o compromisso com o cliente?
Ao invés de ser um mero prestador de serviços externo, o principal desafio futuro será reforçar o papel do advogado enquanto parceiro do cliente e entender o seu negócio e as suas necessidades.