“ESTAMOS POSICIONADOS NA LINHA DA FRENTE PARA RESPONDER ÀS NECESSIDADES DO FUTURO PÓS-PANDEMIA”

A Revista Pontos de Vista foi conhecer uma das cidades portuguesas mais emblemáticas e prestigiadas e esteve à conversa com Ricardo Rio, Presidente da Câmara Municipal de Braga, que nos contou como o município tem vindo a lidar com a pandemia da COVID-19, como é importante proteger a população, abordando ainda o futuro pós pandemia, pois o desiderato um futuro melhor em prol das suas gentes.

103

A Câmara Municipal de Braga tem vindo assumir uma postura de compromisso e transparência, fomentando um relacionamento de maior proximidade e acessibilidade entre os Bracarenses e o poder local. Qual tem vindo a ser o seu propósito ao longo dos anos, enquanto presidente da mesma e quais são aquelas que pode considerar as conquistas mais importantes para o município?
Nos vários domínios de atuação municipal, ao longo dos últimos anos houve uma clara aposta, reconhecida pela sociedade no seu todo, na transparência, compromisso e abertura, sendo estes vetores transversais que desde o primeiro dia norteiam a nossa atuação. A dimensão social e a económica foram e continuam a ser as principais prioridades. Fomentamos o crescimento da cidade atraindo novas empresas e ajudando a crescer as que já aqui estavam instaladas. Criamos mais de oito mil empregos e atraímos várias multinacionais para o território. Hoje as pessoas vivem com melhor qualidade de vida do que quando iniciamos funções e as instituições viram as suas carências diminuídas. De salientar que o sucesso deste trabalho resulta do facto de ser efetuado em parceria com as forças vivas locais.

Considerada uma das mais jovens cidades europeias, Braga consegue aliar na perfeição a sua história bimilenar a uma juventude e vitalidade revigorante. Assim, de que forma tem promovido um trajeto tendo como principal desiderato a melhoria da qualidade de vida da população, sem esquecer esta simbiose entre as características tradicionais e as modernas?
É verdade que Braga traduz uma fusão singular entre história e futuro, tradição e juventude. Estas são caraterísticas que muito nos orgulham. Aliamos ao nosso legado histórico riquíssimo o dinamismo próprio de uma das cidades mais jovens do país e da Europa. Esta juventude e vitalidade fez com que Braga ostentasse os títulos de Capital Europeia da Juventude em 2012 e Capital Ibero-Americana da Juventude em 2016. Fruto do desenvolvimento económico que experienciamos, com a atração de empresas, criação de empregos e captação de talentos, temos a excelência do conhecimento, o espírito empreendedor da juventude e o dinamismo de um tecido empresarial diversificado e inovador. Juntamos a estes fatores o desenvolvimento de uma política de proximidade que envolve todas as freguesias do Concelho no sentido de dotar todas as comunidades de melhores meios e infraestruturas.

Mundialmente atravessamos uma situação de pandemia em consequência do coronavírus, e que tem trazido consequências que marcarão a história do planeta, quer a nível humanitário quer económico. De que forma a Câmara Municipal de Braga viu a sua capacidade de resiliência posta à prova?
Do ponto de vista da saúde pública, assim que nos deparamos com esta nova realidade começamos a encetar esforços no sentido de nos preparamos e minimizarmos o impacto deste vírus junto da comunidade. Assim, e devido ao nosso trabalho atempado de preparação face a esta situação, podemos afirmar que Braga está na linha da frente no combate à propagação desta pandemia. A nossa abordagem inovadora e proactiva foi, inclusivamente, elogiada pela ONU e pela OCDE. A prioridade passou, em primeiro lugar, por garantir a saúde de todos os Bracarenses e evitar uma maior propagação do vírus. Depois, associado a este enorme esforço, veio o de trabalhar para mitigar o forte impacto económico da crise junto da nossa população. O Concelho tem vindo a crescer a nível económico e de criação de emprego de qualidade, pelo que a resiliência do nosso tecido empresarial tem atenuado o impacto que inevitavelmente se está a sentir.

Continuaram a trabalhar no sentido de tornar Braga, numa cidade cada vez mais funcional e prática, adequando-se às necessidades dos novos tempos e às presentes exigências que delas advém? Quais foram as iniciativas e medidas tomadas pelo Presidente, em prole da proteção e do bem-estar dos seus munícipes?
Nas mais diversas áreas de atuação, temos desenvolvido políticas que visam precisamente aumentar a proteção e bem-estar dos nossos cidadãos, tais como a redução da carga fiscal para famílias e empresas; o projeto ´Braga a Sorrir´, de apoio à saúde oral aos mais carenciados; a oferta de refeições aos alunos dos escalões A e B durante as pausas letivas ou a redução dos tarifários da AGERE para IPSS´s e famílias numerosas. Procedemos à requalificação de equipamentos fundamentais como o Altice Forum Braga, o Parque Desportivo da Rodovia, o Centro de Juventude ou Mercado Municipal e construímos um novo Quartel dos Bombeiros. Podemos ainda referir a elaboração de uma estratégia tendo em vista a candidatura à Capital Europeia da Cultural em 2027, o título de melhor Cidade Europeia do Desporto em 2018 ou a concretização de projetos de investigação no contexto da descarbonização. Tudo isto são áreas nas quais Braga se afirma como referência nacional até internacional.

A atenção que dão a grupos mais afetados, como os idosos, também acentua uma linha de conduta humanizada, muitas vezes desvinculando de certos valores corporativos que têm sido priorizados. Tal tem ganho especial atenção no combate à COVID-19, nas medidas efetuadas de responsabilidade e sensibilidade social pela Câmara Municipal de Braga?
Braga criou um conjunto de ações de apoio aos cidadãos com enfoque especial nos mais carenciados e na proteção dos grupos de risco. Criamos uma Linha de apoio gratuita para apoiar cidadãos com mais de 60 anos, em isolamento ou situação vulnerável, que necessitem de ajuda para a realização de tarefas como a compra de medicamentos urgentes e bens alimentares de primeira necessidade. Disponibilizamos ainda gratuitamente testes de deteção do Covid-19 a todos os profissionais e idosos alojados em lares residenciais e distribuímos materiais de proteção como máscaras, luvas e fatos protetores, pelas IPPS´s e instituições necessitadas.

Também o destino Braga tem suscitado maior interesse a novos segmentos do turismo cultural e que tão bem o define. Que estratégias foram e estão a ser utilizadas para continuar a cativar os turistas?
Braga tem vindo a reforçar a atratividade turística fruto de uma estratégia promocional desenvolvida pelo Município em estreita colaboração com os diversos agentes do território. Fomos eleitos, em 2019, o segundo melhor destino europeu, uma distinção que fez com passássemos a estar presente nas mais reputadas publicações turísticas de todo o mundo. Visitar Braga é fazer uma viagem no tempo dentro da modernidade. Essa é a nossa grande atratividade, que nos tem permitido conquistar novos mercados turísticos em todo o mundo. Este é um período complicado para o turismo devido à pandemia, mas estamos certos de que iremos ter uma rápida retoma assim que regressar à normalidade.

Acredita que, apesar de todo este momento incerto, ainda há espaço para perspetivas positivas de futuro? Como prevê que será o futuro de Braga?
Sabemos que, paradoxalmente, os momentos de incerteza e medo constituem oportunidades para se repensar o futuro. Num horizonte mais alargado, o futuro pós-pandemia terá de ser assente na inovação, na aposta na prosperidade económica e no estreitar de laços entre os vários países e cidades. Esta é uma oportunidade para atingirmos os objetivos do desenvolvimento sustentável, da criação de uma Cidade mais verde e menos poluída, com melhores condições de vida para a generalidade da população. Em Braga desenvolvemos um novo modelo estratégico de desenvolvimento. Diagnosticamos fatores de competitividade, traçamos estratégias para o futuro e compartilhamos responsabilidades nas atividades e na implementação. Esse trabalho faz com que estejamos posicionados na linha da frente para responder às necessidades desse futuro pós-pandemia.

Gostaria de deixar uma mensagem aos nossos leitores e a todos os Bracarenses, sobre a forma de encorajamento para enfrentar os dias difíceis que se vivem?Vivemos uma situação totalmente imprevisível e sem precedentes, juntando-se a estes fatores o grau de incerteza relativamente à evolução da pandemia que se mantém e que dificulta a atuação dos decisores. Da nossa parte, temos trabalhado de forma incansável para que os Bracarenses estejam em segurança e sintam o mínimo possível os impactos da pandemia. Mas é fundamental que se encarem estes tempos com um grande sentido de responsabilidade individual perante aquilo que cada um tem de fazer. O cumprir daquilo que são as regras recomendadas desde a primeira hora em termos de higienização e de distanciamento social é essencial para conseguiremos conter a propagação da Covid-19.