“A NOSSA VISÃO ESTÁ NA INTEGRAÇÃO DO ECOSSISTEMA DA GESTÃO DE ATIVOS FÍSICOS”

A NextBITT procura sempre a melhor solução tecnológica para os problemas ou requisitos dos clientes e parceiros. Para isso, conta com uma equipa coesa, colaborativa e dedicada com a qual Miguel Salgueiro, Founding Partner da empresa, em entrevista à Revista Pontos de Vista, se assume orgulhoso.

60

A missão da NextBITT tem sido, ao longo de cinco anos, construir soluções que resolvam problemas de gestão de ativos, independentemente do setor ou indústria. Que balanço faz destes anos de atuação, em que a inovação foi – e continua a ser – palavra de ordem?
Na realidade têm sido cinco anos de crescimento sustentado do volume de negócios mas, acima de tudo, do número de clientes e da sua diversidade e relevância no ecosistema empresarial.
Orgulhamo-nos hoje do nosso portfólio de clientes, onde temos representantes das principais empresas do setor da saúde, da ferrovia, das telecomunicações, das utilities aos setores do retalho, da banca, arenas, entre outras.
Este desempenho está assente numa equipa altamente qualificada, dedicada e dinâmica, que diariamente desafia os nossos clientes!
De destacar que neste ainda curto percurso já fomos brindados com os prémios de parceiro do ano da Microsoft em 2017 e 2019, em Washington e Las Vegas respetivamente, um grande feito para uma tecnológica Portuguesa, que muito orgulha a comunidade NextBITT!

Afirmam que o ADN da NextBITT, leva-os constantemente a uma procura pela melhor, mais rápida e segura solução técnica. Podemos dizer que essa é a grande mais-valia da empresa? Que diferentes tecnologias utilizam que posteriormente trazem valor acrescentado à solução?
Confirmo! A NextBITT não é uma empresa conservadora. Focamo-nos diariamente em facilitar e agregar valor às operações dos nossos clientes, através da constante oferta de soluções inovadoras e disruptoras.
Trabalhamos numa filosofia de “agilidade”, empregando nos nossos projetos as melhores e mais recentes práticas internacionais. O nosso foco é estar sempre na linha da frente, procurar liderar com inovação e com qualidade de serviço.
A título de exemplo, lançamos já este mês um projeto em que o objetivo é utilizar RTLS – REAL TIME LOCATION SYSTEM integrado na solução NextBITT. Por norma esta informação existe, mas em locais diferentes. O que oferecemos ao cliente é que consiga localizar todos os seus ativos num único dashboard, de forma integrada.
A nossa visão está na integração do ecossistema da gestão de ativos físicos, por diferentes softwares e até diferentes hardwares, e, desta forma, o gestor no seu dia a dia, apenas tem que consultar a app mobile NextBITT, e atuar!

À medida que o mercado cresce e expande para novas necessidades, é natural que haja uma readaptação por parte das empresas. De que forma as vossas soluções têm esta flexibilidade, por exemplo, para se adaptarem aos modernos requisitos da gestão de edifícios?
Nos últimos tempos e a título de exemplo, a NextBITT já tem sido solicitada ainda na fase de projeto de edifícios, para integração com BIM – Building Information Modeling, ou seja, a digitalização da gestão de ativos físicos passou a ter maior destaque desde o “desenho e projeção do edifício”, bem como na identificação de diferentes tipos de sensorização.
A flexibilidade e agilidade da tecnologia NextBITT, desde a sua raiz, sempre foi pensada, para ser permanentemente transversal às áreas não core dos nossos clientes. De salientar, que a mesma tecnologia que “gere” a manutenção preventiva de um grande hospital, ou da sede de um Banco, é a mesma que também monotoriza, o consumo de energia, a estafetagem, a jardinagem, a limpeza, ou um pedido de catering! No final do dia, ajudamos os nossos clientes a gerir todos os seus SLAs – Service Level Agreement de forma integrada.

Por falar em novas necessidades, não poderíamos deixar de abordar a atual realidade intitulada por COVID-19, e nas soluções de asset & facility que a NextBITT promoveu. Como é que estas soluções podem ajudar as empresas, no que ao Modelo de Plano de Contingência diz respeito?
A tecnologia NextBITT, no que à COVID-19 diz respeito, foi muito importante para alguns dos nossos clientes, por exemplo, permitiu garantir e evidenciar novas e mais rotas de serviços de limpeza do seu parque de ativos, de manutenção dos “ar condicionados”, avaliar a qualidade do ar interior e também, não menos importante, com o teletrabalho, passamos a gerir os “ativos” que os colaboradores tiveram que levar para as suas casas, garantindo desta forma os postos de trabalho, ou seja, secretárias, cadeiras, pc´s, entre outros. A tecnologia acompanha todo o processo de saída da empresa até à casa do colaborador, sabendo sempre onde estão os ativos da empresa.

NextBITT está atualmente presente em Portugal e Angola a trabalhar de igual forma em diversos setores, como saúde, transportes, indústria, entre outros. A procura por estas soluções tecnológicas de que falamos é comparativamente semelhante internacionalmente ou existem diferenças significativas?
Para além dos Países que refere, a tecnologia NextBITT também já é usada em Espanha, EUA, entre outros Países, dado trabalharmos com alguns clientes internacionais e clientes nacionais que operam em outros países.
Mas gostava de destacar, e com muito orgulho, que o setor dos facility em Portugal é uma das grandes referências internacionais. Nas diferentes interações e consultas que temos com grandes players internacionais de outros mercados e até com investidores de diferentes origens percebemos que estamos na linha da frente do que melhor se faz.
De facto, somos cada vez mais solicitados por empresas de outros Países!

Em outubro, a NextBITT completou cinco anos de vida. Talento, força de vontade e persistência foram os alicerces das inúmeras conquistas?
Sem dúvida! Mas também porque contamos com uma Equipa muito coesa, colaborativa e dedicada, mesmo em modo de teletrabalho, contamos com a compreensão das nossas famílias, mas acima de tudo, contamos com parceiros e clientes que nunca deixaram de acreditar na capacidade da NextBITT em entregar soluções criativas e disruptoras que promovem a agilidade e eficiência!

Onde pretendem chegar daqui a (mais) cinco anos? Qual é o próximo passo?
Eu acredito que não há limites definidos! Aliás, como bem vivemos hoje, o mundo está a mudar e a acelerar uma série de desenvolvimentos que estavam no imaginário, mas agora são realidade: a digitalização, a segurança, a sustentabilidade, só para mencionar alguns.
Mas queremos e aspiramos alcançar uma posição de referência a nível internacional, sempre com grande solidez e consistência.